• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.7.2014.tde-20012015-120103
Documento
Autor
Nome completo
Gabriela Feitosa Esplendori
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2014
Orientador
Banca examinadora
Costa, Ana Lucia Siqueira (Presidente)
Bianchi, Estela Regina Ferraz
Sampaio, Lucimar Aparecida Barrense Nogueira
Título em português
Diferenças de gênero na percepção e nas estratégias de coping de pacientes em pré-operatório de revascularização do miocárdio
Palavras-chave em português
Adaptação psicológica
Cirurgia torácica
Estresse psicológico
Identidade de gênero
Revascularização miocárdica
Resumo em português
Introdução: A cardiopatia isquêmica (doença das artérias coronárias) está entre as principais causas de morte de homens e mulheres no Brasil. A cirurgia de revascularização do miocárdio é indicada diante do quadro de lesões coronarianas difusas, acometimento de mais de um território coronariano e envolvimento de artérias vitais. Frente à necessidade de submissão ao procedimento cirúrgico, o paciente sente-se exposto a situações de estresse durante todo o período perioperatório, as quais o torna fragilizado física e emocionalmente, mesmo considerando ser este o recurso para manutenção da vida. O Modelo Interacionista do Estresse, referencial adotado nesta pesquisa, mostra que o gênero desempenha função de moderador da percepção do estresse. Objetivo: Identificar as diferenças de gênero na percepção do estresse e nas estratégias de coping de pacientes submetidos à cirurgia de revascularização do miocárdio. Método: Estudo com abordagem quantitativa, observacional, exploratório e descritivo, transversal, com coleta prospectiva de dados, realizado em hospital público de alta complexidade do município de São Paulo, cuja amostra foi composta de 74 homens e 31 mulheres. A coleta de dados foi realizada entre dezembro de 2012 e julho de 2013, após a aprovação dos Comitês de Ética em Pesquisa. Como instrumentos, foram utilizados: Questionário para caracterização sociodemográfica e clínica, Escala de Estresse Percebido (PSS-14), Inventário de Estratégias de Coping de Folkman e Lazarus, para os quais foram utilizados estatísticas descritivas e testes de comparação e correlação. Duas perguntas foram elaboradas para identificar estressores/preocupações e ações que ajudaram a enfrentar o pré-operatório, cujas respostas foram categorizadas e quantificadas. Resultados: A média de pontuação de estresse para mulheres e homens foi, respectivamente, 22,5 e 19,6. Esta diferença não foi estatisticamente significante. Não houve diferenças estatisticamente significantes entre os oito domínios do Inventário de Estratégias de Coping e gênero, enquanto os domínios Resolução de problemas, Reavaliação positiva e Suporte social tiveram maiores médias de pontuação. Observou-se que os domínios Reavaliação positiva, Fuga e esquiva, Autocontrole, Suporte social e Afastamento se relacionaram significativamente com algumas variáveis clínicas e sociodemográficas. Houve diferença estatisticamente significante entre gêneros na categoria B.1-Medo do procedimento: O coração com problemas/anestesia/esternotomia, com predomínio das mulheres (p=0,009) e na categoria C-Atividades para ocupar a mente, com predomino dos homens (p=0,031). Conclusão: Diante da complexidade, novidade e incontrolabilidade relativas à cirurgia de revascularização do miocárdio, o gênero não influenciou nas pontuações de estresse e domínios de coping (Inventário de Estratégias de Coping), predominando, na amostra total, a busca pela Resolução do problema e, em seguida, focou-se na emoção, com o uso da Reavaliação positiva e do Suporte social, destacandose o apoio na fé/oração e o apoio de familiares e amigos. Homens e mulheres diferenciaram-se diante do relato quanto ao estressor e quanto à ação para enfrentar o pré-operatório
Título em inglês
Gender differences in stress perception and coping strategies in preoperative patients of coronary artery bypass grafting (CABG)
Palavras-chave em inglês
Gender identity
Myocardial revascularization
Psychological adaptation
Psychological stress
Thoracic surgery
Resumo em inglês
Introduction: Ischemic heart disease (coronary artery disease) is among the leading causes of death for men and women in Brazil. Coronary artery bypass grafting (CABG) is indicated on the diffuse coronary lesions, involvement of more than one coronary territory and of vital arteries. Faced with the need of undergoing the surgical procedure the patient feels exposed to stress during the perioperative period making them physically and emotionally vulnerable, even when surgery is the best option for sustaining life. The Interactionist Model of Stress, framework adopted in this research, shows that gender plays a moderator role in perceived stress. Objective: To identify gender differences in the perception of stress and coping strategies in patients undergoing CABG.Methods: Quantitative, observational, exploratory and descriptive, cross-sectional approach study with transversally prospective data collection conducted in a high complexity public hospital in the city of São Paulo, Brazil, with samples that consisted of 74 men and 31 women. Data collection was conducted between December 2012 to July 2013, after approval from the Ethics in Research Committees. The research materials included a questionnaire for socio - demographic and clinical characteristics, the Perceived Stress Scale (PSS- 14), the Inventory of Coping Strategies of Folkman and Lazarus - using descriptive statistics and comparison and correlation tests, and two questions involving stressors / concerns and actions that helped coping with the preoperative. The responses were then categorized and quantified. Results: The mean score of stress for women and men were, respectively, 22.5 and 19.6. This difference was not statistically significant. There were no statistically significant differences among the eight domains of the Coping Strategies Inventory and gender, and the domains of Problem solving, Positive reappraisal and Social support showed the highest mean score. It was observed that in the domains of Positive reappraisal, Escape and Avoidance, Self-control, Social support and Distancing were significantly related with the clinical and sociodemographic variables. There was a statistically significant difference between gender and category "B.1 - Fear of the procedure: Heart problems / anesthesia / sternotomy " with a predominance of women (p = 0.009) and "C - Activities to occupy the mind" with the predominance of men (p = 0.031).Conclusion: Given the complexity, novelty and uncontrollability related to CABG, gender did not influence the scores of stress and coping domains (Coping Strategies Inventory) with the search for problem solving predominating in the total sample, followed by emotion-focused coping of social support and positive reappraisal, highlighting faith / prayer and support from family and friends. Men and women differed on their accounts of stressors and actions for coping the preoperative
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2015-03-11
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.