• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.7.2014.tde-17042015-113752
Documento
Autor
Nome completo
Alexandra do Rosario Toniolo
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2014
Orientador
Banca examinadora
Graziano, Kazuko Uchikawa (Presidente)
Santos, Oscar Fernando Pavao dos
Watanabe, Evandro
Título em português
Contaminação microbiana de hemodialisadores processados pelo método automatizado e manual após o número máximo de reusos
Palavras-chave em português
Desinfecção
Enfermagem
Esterilização
Hemodiálise
Resumo em português
Introdução: A hemodiálise é um procedimento invasivo, para pacientes em falência renal onde se realiza a filtração do sangue continuamente, utilizando-se circulação extracorpórea em um filtro hemodialisador. No Brasil, a prática do reuso de hemodialisadores atinge quase 100% nos serviços de diálise. Uma das justificativas para o reuso são os limitados recursos para a assistência à saúde. No entanto, esta prática, causa questionamentos relacionados à segurança. Erros técnicos no reprocessamento, qualidade da água e alteração da integridade da membrana do hemodiliasador podem afetar a qualidade do processamento expondo os pacientes ao risco de bacteriemia e sepse. Objetivo: Avaliar a contaminação microbiana dos hemodialisadores após o número máximo de reusos permitidos, comparando os resultados conforme tipo de processamento: manual e automatizado. Método: Esta pesquisa caracterizou-se como estudo de campo, transversal, de caráter exploratório comparativo em dois serviços de diálise. A composição da amostra foi por conveniência conforme a disponibilidade destas, pelas instituições doadoras, sendo os grupos experimentais compostos por 11 hemodialisadores processados pelo método automatizado e quatro hemodialisadores processados manualmente. As amostras foram coletadas após o processamento obedecendo ao número máximo de reusos permitidos pela RDC ANVISA nº 11/2014, sendo 12 reusos para processamento manual e 20 reusos para processamento automatizado. Em Cabine de Proteção Biológica a solução salina e dialisadora foram drenadas dos compartimentos de sangue e dialisato, respectivamente, e injetados 150 mL de meio de cultura Tioglicolato de Sódio Fluido em cada compartimento. As amostras foram incubadas em estufa microbiológica por 14 dias, a temperatura de 35 ºC ±2ºC. Após esse período alíquotas do meio de cultura foram semeadas em meios de ágar sangue, anaerinsol e sabouraud, capazes de recuperar a maioria dos microrganismos aeróbios, anaeróbios, bolores e leveduras. As placas foram incubadas por 48 horas a 35 ºC ±2ºC, e procedida a identificação de gênero dos micorganismos. Realizados controles positivos com hemodialisadores contaminados intencionalmente e controles negativos, com novos esterilizados. Resultados: Das amostras submetidas ao processamento automatizado três amostras (3/11-27,3%) apresentaram crescimento microbiano no compartimento de sangue, sendo identificados dois diferentes microrganismos: de Sphingomonas paucimobilis (66,67%) e de Penicillium sp. (33,33%). Todas as amostras 11/11 (100%) apresentaram crescimento microbiano no compartimento de dialisato, sendo identificados 5 diferentes microrganismos: Sphingomonas paucimobilis (43,75%), Strenotrophomonas maltophilia (25%), Pseudomonas aeruginosa (18,75%), Acinectobacter baumannii (6,25%) e Candida sp (6,25%). Dos quatro hemodialisadores submetidos ao processamento manual, uma amostra (25%) apresentou crescimento de bacilo Gram-positivo no compartimento de sangue e uma amostra (25%) apresentou crescimento no compartimento do dialisato contaminados por três microrganismos distintos: de Bacillus sp, Rhizobium radiobacter, Burkholderia sp. Comparando os resultados da contaminação microbiana segundo os dois métodos de processamento analisados não houve diferença estatisticamente significante (p=1) para o compartimento de sangue. Para o compartimento do dialisato o método automatizado apresentou maior número amostras positivas em relação ao manual (p=0,008791). Conclusão: Os resultados demonstraram que o reuso dos hemodialisadores não é uma prática recomendada, podendo causar bacteriemia e sepse em pacientes em tratamento hemodialítico. Ressalta-se que a pesquisa foi conduzida no pior cenário após o número máximo de reusos permitidos sem determinar em qual número de reusos a contaminação aconteceu.
Título em inglês
Microbiological contamination of reprocessed dialyzers after maximal number of reuses
Palavras-chave em inglês
disisnfection
hemodialysis units
Renal dialysis
sterilization
Resumo em inglês
Introduction: Hemodialysis is an invasive procedure for patients with kidney failure in which blood is continuously filtered using a dialyzer filter through extracorporeal blood flow. In Brazil dialyzers are nearly 100% reused in dialysis facilities. One of the main justifications to reuse dialyzers is economical. However, this practice often leads to concerns related to patient safety. Technical errors in reprocessing, water quality and the membrane dialyzer degradation may lead to different risks including bacteremia and sepsis. Objective: To evaluate dialyzers regarding microbiological contamination after maximal number of reuses, comparing results in accordance with the type of reprocessing: manual and automated. Method: This research was characterized as a transversal, exploratory and comparative in two dialysis facilities. The sample was composed as convenience according to the availability of the facilities which donated the samples. The experimental groups were composed of 11 automated reprocessed dialyzers and four manually reprocessed dialyzers. The samples were collected after reprocessing in dialysis facilities according to the maximal number of reuses permited by law (12 in manual reprocessing and 20 in automated reprocessing) and prepared in Biosafety Cabinets. Saline Solution and dialysate solution were drained from both the blood and the dialysate chambers, respectively, by applying suction and filled with 150 mL of culture medium sodium thioglicolato fluid in each chamber and they were incubated at a temperature of 35 º C + or -2 ° C for 14 days. After this period, the samples were cultured in medium adequate for the growth of aerobic and anaerobic organisms as well as fungi and yeasts.The samples were incubated for 48 hours at 35 º C + or -2 ° C and identification of microorganisms was carried. Results: The analyzed samples which were automated reprocessed, 3/11(27.3%) showed microbiological growth in the blood chamber, of this total, we identified two different microorganisms: S.paucimobilis (66,67%) and Penicillium sp. (33,33%). In the dialysate chamber 11/11 (100%) of microbiological growth was identified, of this total we identified five different microorganisms: S.paucimobilis (43,75%) , S. maltophilia (25%) , P. aeruginosa (18,75%) , A. baumannii (6,25%) and Candida sp. (6,25%). The four analyzed samples which were manually reprocessed, 1/4(25%) showed microbiological growth in the blood chamber. One sample with Gram-positive Bacillus was identified in the dialysate chamber and contaminated by Bacillus sp, R. Radiobacter and Burkholderia sp. Comparing the results related to microbiological growth according to the two methods in the blood chamber, we concluded that there was no statistically significant difference (p=1) and in the dialysate chamber, there was a higher number of positive samples among those which were automated reprocessed compared to manually reprocessed (p = 0.008791) Conclusion: The results showed that dialyzers reuse is not a recommended practice and may cause bacteremia and sepsis for patients with chronical kidney disease. We highlight that this study was carried out considering the worst case scenario ,i.e. after the maximal number of reuses permitted by law, without specifying in which number of reuses the contamination occurred.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2015-05-18
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.