• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.7.2008.tde-15052008-145614
Documento
Autor
Nome completo
Christiane Moreira Padovani
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2008
Orientador
Banca examinadora
Graziano, Kazuko Uchikawa (Presidente)
Francisco, Waldemar
Kawagoe, Julia Yaeko
Título em português
Avaliação microbiológica das diferentes formulações anti-sépticas-polivilipirrolidona-iodo e clorexidina - após contaminação intencional das almotolias
Palavras-chave em português
Almotolia
Anti-séptico
Contaminação
Infecção hospitalar
Resumo em português
Introdução: Há relatos na literatura sobre anti-sépticos que sofreram contaminação, reportados como causas de surtos de infecção em estabelecimentos de assistência à saúde. Em relação aos recipientes que veiculam essas soluções, a preferência por almotolias descartáveis, de pequeno volume, que possibilitem a individualização do uso e o consumo rápido do produto é largamente difundida. No entanto, constata-se que a utilização de almotolias coletivas e reprocessáveis, tem sido a prática mais comum nas instituições de saúde do país. A forma de processamento de almotolias para envase de anti-sépticos não está esclarecida na literatura e é amplamente discutida nos serviços de saúde sem respaldo científico. Objetivos: os objetivos deste estudo constituiram-se em avaliar a sobrevivência dos microrganismos nas diferentes formulações dos anti-sépticos - CHX e PVPI-I - após contaminação intencional das almotolias com Serratia marcescens e extrapolar os resultados laboratoriais para o cuidado mínimo a ser dispensado às almotolias de múltiplo uso para o envase dos anti-sépticos testados. Método: Foi conduzido um estudo laboratorial, em que 180 almotolias foram contaminadas com 1 x 105 UFC/mL de suspensão contendo S. marcescens. Nas almotolias contaminadas, foram distribuídos 150 mL das seis diferentes formulações de anti-sépticos (CHX e PVP-I nos veículos alcoólico, degermante e aquoso), sendo testadas 30 almotolias para cada solução. Os frascos foram tampados e armazenados em temperatura ambiente por 7 dias com agitação diária. Alíquotas de 1 mL de cada uma das soluções anti-sépticas foram diariamente pipetadas e transferidas para os tubos contendo meio de cultura TSB. Os meios inoculados foram incubados em temperatura ambiente durante 21 dias. Resultados: Os resultados foram 100% de ausência de crescimento do contaminante-teste nas soluções, demonstrando uma capacidade dos anti-sépticos em incorporar microrganismos na ordem de pelo menos 105 UFC/mL. Conclusões: Considerando que as almotolias apenas limpas carreiam microrganismos vegetativos da água do enxágüe, na ordem de 102 UFC, os resultados desta investigação permitem a recomendação de que a limpeza como procedimento mínimo no processamento desses recipientes garante a segurança de sua utilização repetida para distribuição dos anti-sépticos testados - clorexidina e PVP-I
Título em inglês
Microbiological evaluation of different antiseptic povidone-iodine and chlorhexidine formulations after intentional contamination of the solution recipients
Palavras-chave em inglês
Antiseptic
Contamination
Cross infection
Resumo em inglês
Background: Literature reports contamined antiseptic solutions as infection causes in healthcare settings. Small disposable antiseptic containers, which allow fast and individual use, are broadly preferred. However, the use of nondisposable containers is the most common practice in Brazilian health-care institutions. The best techniques for processing these no-disposable antiseptic solution containers are not yet known. They have been frequently discussed in healthcare settings, but without scientific basis. Aims: the present study aimed to evaluate the survival rate of microorganisms within different antiseptic formulations - povidone-iodine (PVPI-I) and chlorhexidine (CHX) - after intentional contamination with Serratia marcescens and to establish the minimum care needed to ensure the sterilization of nondisposable antiseptic solution containers. Methods: a laboratory study was performed with 180 antiseptic disposable containers, which were contaminated with Serratia marcescens [1 x 105 UFC/mL]. In each container were added 150 mL of one of six different antiseptic solutions (povidone-iodine and chlorhexidine in aqueous, detergent, and alcoholic formulations), totaling 30 containers with each formulation. The recipients were closed and stored at room temperature during seven days and shaken daily. One milliliter of each antiseptic solution was collected each day and inoculated into tryptic soy broth (TSB) cultures and incubated at room temperature for 21 days. Results: the antiseptic cultures were evaluated to be 100% negative to Serratia marcescens in all of the nondisposable containers. Conclusion: These results suggested that antiseptic solutions CHX and PVPI-I were able to inactivate microorganisms [1 x 105 UFC/mL]. Since cleaned antiseptic recipients have around 102 UFC coming from sink water, it can be supposed that cleansing is a safe minimum procedure to ensure reuse of containers for distribution of CHX and PVIP-I solutions in aqueous, detergent, and alcoholic formulations
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2008-05-28
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.