• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.7.2008.tde-11032008-112124
Documento
Autor
Nome completo
Alda Ferreira Queijo
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2008
Orientador
Banca examinadora
Padilha, Katia Grillo (Presidente)
Gaidzinski, Raquel Rapone
Marinho, Alexandre Magno da Nobrega
Sousa, Regina Marcia Cardoso de
Tranquitelli, Ana Maria
Título em português
Estudo comparativo da carga de trabalho de enfermagem em Unidades de Terapia Intensiva Geral e Especializadas, segundo o Nursing Activities Score (NAS)
Palavras-chave em português
Carga de trabalho
Enfermagem
Unidades de terapia intensiva
Resumo em português
Trata-se de um estudo de corte transversal, descritivo-comparativo, que teve como objetivo analisar a carga de trabalho de enfermagem em Unidades de Terapia Intensiva geral e especializadas, segundo o Nursing Activities Score (NAS). Os dados foram coletados em quatro Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), sendo uma geral (UTI G), uma cardiológica (UTI C) e duas neurológicas (UTI N) de um hospital geral, privado, de porte extra, localizado no município de São Paulo. Participaram do estudo 300 pacientes admitidos nas UTIs, com permanência mínima de 24 horas, no período de 21/08/2006 a 05/10/2006, sendo 100 pacientes de cada unidade. Neste estudo, as UTIs N foram consideradas uma única unidade. Foram coletados dados demográficos e clínicos e aplicados os instrumentos Simplified Acute Physiology Score (SAPS II), Logistic Organ Dysfunction System (LODS) e o Nursing Activities Score (NAS) das primeiras 24 horas de internação na unidade, respectivamente para a medida da gravidade, disfunção orgânica e carga de trabalho de enfermagem. O tratamento dos dados foi feito por meio de estatística descritiva e inferencial. A relação entre as variáveis foi analisada por meio do coeficiente de correlação de Spearman e para a comparação das médias foram utilizadas os testes de Mann Whitney, Krusskal-Wallis e Tukey. A análise conjunta das variáveis foi feita por meio de regressão linear múltipla. As UTIs G, C e N foram homogêneas em relação ao gênero (p=0,12) e tempo de internação (p=0,65), porém diferiram em relação à idade (p=0,01), procedência (p=0,055), tipo de internação (p=0,00) e condição de saída (p= 0,007). A UTI G apresentou pacientes com risco de mortalidade SAPS II (RM SAPS II) e risco de mortalidade LODS (RM LODS), comparativamente maiores do que a UTI C (p=0,00) e UTI N (p=0,00). Quanto à carga de trabalho de enfermagem a UTI N apresentou, em média, menor carga do que a UTI C (p=0,02) e a UTI G (p= 0,03). A análise comparativa do escore NAS com as variáveis demográficas e clinicas, mostrou que não houve diferença quanto à idade, procedência e tipo de internação. Pacientes que foram a óbito nas UTIs G e N, e do sexo masculino na UTI C apresentaram, em média, maior carga de trabalho de enfermagem. A correlação entre a média do escore NAS e as variáveis quantitativas mostrou moderada correlação com a gravidade (r=0,55; p=0,00) e disfunção orgânica (r=0,48; p=0,00) apenas na UTI G. A única variável com correlação moderada nas três UTIs foi tempo de internação (p=0,00). Foram fatores associados a carga de trabalho de enfermagem na UTI G, o RM SAPS II e idade; na UTI C, o RM SAPS II, gênero, idade e RM LODS; e na UTI N, o RM SAPS II e idade. Os resultados obtidos nesta investigação fornecem subsídios para a adequação de recursos humanos em UTI podendo beneficiar pacientes, profissionais e instituições hospitalares
Título em inglês
Comparative study of nursing workload in general and specialized Intensive Care Units, according to Nursing Activities Score (NAS)
Palavras-chave em inglês
Intensive care units
Nursing
Workload
Resumo em inglês
A transversal descriptive and comparative study analyzed the nursing workload in general and specialized Intensive Care Unit (ICU), according to Nursing Activities Score (NAS). The data were collected in four ICU: one General unit (ICU G), one Cardiovascular unit (ICU G) and two Neurological unit (ICU N) of a general, private, extra-large hospital, in São Paulo city. Three hundred patients admitted in the UTIs had participated of the study, with 24-hour minimum lenght of stay (LOS) in the ICU, from 08/21/2006 to 10/05/2006. It was included 100 patients of each unit. ICU N had been considered an only unit. There had been collected demographic and clinical data and applied the instruments Simplified Acute Physiology Score (SAPS II), Logistic Organ Dysfunction System (LODS) and the Nursing Activities Score (NAS) of the first 24 hours in the unit, respectively for measuring the severity of illness, the organic failure and the nursing workload. Data were analyzed by means of descriptive and inferencial statistics. The relation between the variables was made by means of Spearman´s coefficient correlation and for the comparison of the averages it had been used the tests of Mann Whitney, Krusskal-Wallis and Tukey. ICU G, ICU C and ICU N had been homogeneous in relation to gender (p=0,12) and lenght of stay (p=0,65), however had differed in relation to the age (p=0,01), origin (p=0,055), type of treatment (p=0,00) and discharge (p = 0,007). UTI G presented higher risk of mortality SAPS II (RM SAPS II) and risk of mortality LODS (RM LODS), comparativily to ICU C (p=0,00) and UTI N (p=0,00). About the nursing workload, ICU N presented, in average, lower values than ICU C (p=0,02) and UTI G (p = 0,03) means. The comparative analysis of NAS score and the demographic and clinical variables showed difference in age, origin and type of treatment. Patients who died in ICU G and N and male in ICU C had presented, in average, higher nursing workload. The correlation between the NAS score and the quantitative variables showed moderate correlation with the severity of illness (r=0,55; p=0,00) and organic failure (r=0,48; p=0,00) only in ICU G. The only variable with moderate correlation in the three ICU was LOS (p=0,00). The factors associated with nursing workload in ICU G were RM SAPS II and age; in ICU C, RM SAPS II, gender, age and RM LODS; and in ICU N, RM SAPS II and age. The results provide the possibility of adequacy of human resources in ICU in order to benefit patients, professionals and hospitals
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Alda_Queijo.pdf (923.16 Kbytes)
Data de Publicação
2008-03-14
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.