• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.7.2007.tde-13072007-094914
Documento
Autor
Nome completo
Luiz Carlos Lourenço Silva
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2007
Orientador
Banca examinadora
Aranha e Silva, Ana Luisa (Presidente)
Barros, Sonia
Delgado, Pedro Gabriel Godinho
Título em português
O lugar dos hospitais psiquiátricos no município de São Paulo frente ao processo de reestruturação do modelo de assistência psiquiátrica no Brasil pela voz dos trabalhadores
Palavras-chave em português
Desinstitucionalização
Hospitais psiquiátricos
Multidisciplinaridade
Profissionais de saúde
Resumo em português
O objeto de estudo desta pesquisa qualitativa é o entendimento dos trabalhadores dos hospitais psiquiátricos sobre a Reforma Psiquiátrica e como lidam com esse processo. A finalidade é contribuir para a ampliação arsenal teórico prático da Reforma Psiquiátrica e propor novas luzes para a sua análise. Tem como objetivos: conhecer o que os trabalhadores dos hospitais psiquiátricos pensam sobre a função do hospital psiquiátrico no contexto da Reforma Psiquiátrica; compreender como os trabalhadores de saúde mental lidam com o processo da desinstitucionalização nas suas práticas. O cenário do estudo foi dois hospitais psiquiátricos, um público e outro privado, sem fins lucrativos, integrados ao SUS e situados no município de São Paulo. Participaram deste estudo 12 (doze) trabalhadores (de nível médio e superior). Os dados empíricos foram obtidos por meio de entrevista individual semi-estruturada. O material empírico foi analisado de acordo com as categorias analíticas: instituição, institucionalização, transição, desinstitucionalização e crise e foi referenciado em Minayo. A análise dos dados deu origem às categorias: a) o hospital psiquiátrico: o lugar da crise; b) a internação da crise; c) desinstitucionalização: a desconstrução de saberes; d) o hospital e a rede em crise; e) a persistência da cultura hospitalocêntrica; f) o hospital psiquiátrico e a família em crise; g) o hospital psiquiátrico e a sociedade. Os trabalhadores descrevem um novo hospital, cuja função é o acolhimento da crise e internação de curta permanência; identificam medidas reformistas de ordem técnica e administrativa, ocorridas no hospital como: especialização no atendimento da clientela; regime de internação de curta permanência x cronicidade; intervenção multidisciplinar x trabalho isolado; melhoria da estrutura física e de recursos humanos; melhoria da ambiência; implantação de projeto terapêutico; redução de leitos hospitalares, em função do atendimento às exigências das portarias ministeriais. Evidencia-se o entendimento de desinstitucionalização como desospitalização. Os discursos dos entrevistados evidenciam uma relação em crise do hospital psiquiátrico com a rede substitutiva de atenção à saúde mental de base comunitária. Os trabalhadores enfrentam dificuldades no processo de des-internação de pacientes com grave problemática social. O hospital psiquiátrico tem sido a própria contradição no atual modelo de atenção em saúde mental no Município de São Paulo e, portanto, nesta perspectiva, sustenta dentro de si as várias contradições advindas de sua própria gênese enquanto instituição, somadas às condições atuais em que se encontra “inexistente” na rede. O hospital psiquiátrico: lugar da crise porque lugar das contradições
Título em inglês
Psychiatric hospital´s place in the city of São Paulo subjected to the process of restructure of the psychiatric assistence model in Brazil through worker´s voice
Palavras-chave em inglês
Desinstitutionalization
Health professionals
Multidisciplinarity
Psychiatric hospitals
Resumo em inglês
The object of study of this qualitative research is the understanding of the psychiatric hospital's workers about the Psychiatric Reform and how they deal with this process. The purpose of the study is to contribute for the expansion of the Psychiatric Reform's theoretical-practical arsenal and propose new lights to its analyses. Objectives are: know what the psychiatric hospital's workers think about the psychiatric hospital in the context of the Psychiatric Reform; understand how mental health workers deal with the process of desinstitutionalization in their practices. The scenery of this study were two psychiatric hospitals, one public and the other private, nonprofit, integrated to SUS and placed in the city of São Paulo. 12 (twelve) workers (medium level and high education) participated in the study. Empirical data were gathered through semi-structured individual interview. The empirical material was analyzed according to the categories: institution, transition, desinstitutionalization and crises, according to Minayo. Data's analyses originated the categories: a) the psychiatric hospital: the crisis's place; b) crisis' hospitalization; c) desinstitutionalization: knowledge's deconstruction ; d) the hospital and the net in crisis; e) hospital-centered culture's persistence; f) the psychiatric hospital and the family in crisis g) the psychiatric hospital and society. Workers described a new hospital, which's function is welcoming of crises and short-term hospitalization; it's identified reformist's technical and administrative measures in the hospital, such as: humanization; attendance of clientele's specialization ; short term hospitalization regime X chronic ness; muldisciplinary intervention x isolated work; physical structure's and human resource's improvement; environment's improvement; therapeutic project implantation; hospital wards' reduction, due to the attendance of Ministry laws. It leads to the understanding of desinstitutionalization as des-hospitalization. Interviewed's speech show articulation in crisis between the psychiatric hospital and the substitutive mental health care net, community based. Workers deal with difficulties in the process of des-hospitalization of patients with serious social problematic. The psychiatric hospital has been the contradiction itself in the current mental health care model in the city of São Paulo and, therefore, in this perspective has in itself many contradictions that come from it's own genesis as an institution, added to current condition in which it "doesn’t exist" in the net. The psychiatric hospital: the crisis's place because the place of contradictions
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Luiz_Lourenco.pdf (1.17 Mbytes)
Data de Publicação
2007-08-02
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.