• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.7.2008.tde-15052008-153239
Documento
Autor
Nome completo
Adriana Manganiello
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2008
Orientador
Banca examinadora
Hoga, Luiza Akiko Komura (Presidente)
Oliveira, Sonia Maria Junqueira Vasconcellos de
Prado, Luiz Carlos Batista do
Título em português
Sexualidade e qualidade de vida da mulher submetida à mastectomia
Palavras-chave em português
Homens
Mastectomia
Mulheres
Neoplasias mamárias
Qualidade de vida
Serviços de saúde da mulher
Sexualidade
Resumo em português
O câncer de mama é a segunda neoplasia maligna mais incidente entre a população feminina mundial e influencia as taxas de morbidade e mortalidade. Esta doença, muitas vezes associada à necessidade da mastectomia, provoca impacto sobre a vida da mulher, nos âmbitos pessoal, familiar, sobretudo nos aspectos relacionados à qualidade de vida e sexualidade. Trata-se de um estudo transversal, exploratório, analítico, de base hospitalar com o objetivo de avaliar as relações entre a mastectomia, a sexualidade e a qualidade de vida da mulher. Foi desenvolvido em um Hospital-Escola da Cidade de São Paulo. A população deste estudo foi composta por 100 mulheres (N) que tiveram câncer de mama e foram submetidas à mastectomia. Para a coleta de dados foi utilizado um formulário estruturado, composto por dados sócio-demográficos das mulheres e seus parceiros, dados da doença e tratamento, itens do "Medical Outcomes Study 36-item Short-Form Health Survey (SF-36)" e do "Quociente Sexual - Versão Feminina (QS-F)". Os dados foram introduzidos em um banco de dados do Epi Info e analisados no programa estatístico Statistical Package for Social Sciences (SPSS) for Windows. A descrição da amostra foi feita por meio de freqüências absoluta e relativa, média, mediana, desvio-padrão e valores mínimos e máximos. Para a análise da correlação entre o QS-F e os escores de qualidade de vida foi utilizado o coeficiente de correlação de Spearman, que também foi utilizado para analisar as variáveis quantitativas. A comparação das médias do QS-F segundo características da mulher, do parceiro e da doença/tratamento foi feita por meio do Teste de Mann-Whitney. Foram consideradas significativas todas as análises estatísticas com resultado p<0,05. As mulheres tinham em média 51 anos de idade, tinham estudado em média 7,8 anos, a maioria (65%) era católica, com filhos (88%) e parceiro fixo (68%) na época da cirurgia. Quanto à doença 63% das mulheres não teve tumor em fase avançada e quanto aos tratamentos, 75% não realizou a reconstrução mamária, 85% realizou a quimioterapia, 68% a radioterapia e 66% a hormonioterapia. Mais da metade das mulheres (58%) não tinha vida sexual ativa e entre as que tinham, grande parte (64,3%) sofria de alguma disfunção sexual. Em relação à qualidade de vida os melhores escores estavam relacionados aos aspectos sociais, saúde mental, estado geral de saúde, capacidade funcional e vitalidade. Houve relação estatisticamente significante (p < 0,05) entre o escore de sexualidade e a escolaridade da mulher, a idade do parceiro e os escores relacionados à capacidade funcional, vitalidade, limitação por aspectos emocionais e saúde mental. A mastectomia interfere sobre a função sexual e a qualidade de vida e as características desta interferência devem ser conhecidas e consideradas na assistência à mulher de modo a favorecer um cuidado integral e personalizado
Título em inglês
Sexuality and quality of life of women submitted to mastectomy
Palavras-chave em inglês
Breast neoplasm's
Men
Quality of life
Sexuality
Women
Women's health services
Resumo em inglês
Breast cancer is the second most malign neoplasm among the world's female population and influences the morbidity and mortality rates. This disease, many times associated to the necessity of mastectomy, provokes an impact on women's lives, regarding personal and family issues, related mainly to quality of life and sexuality. This is a transversal, hospital-based study aimed at evaluating the relationship between mastectomy, sexuality and women's quality of life. The research was carried out in a university hospital located in the City of São Paulo. The population of this study was composed of 100 women (N) who had breast cancer and underwent mastectomy. Data collection was carried out using a structured form, composed of sociodemographical data related to women and their partners, the items from "Medical Outcomes Study 36-item Short-Form Health Survey (SF-36)" and the "Sexual Quotient - Female Version (QS-F)". The data were introduced into the Epi Info database and analyzed in the statistical program Statistical Package for Social Sciences (SPSS) for Windows. The description of the population sample was carried out by the use of absolute and relative frequency, media, median, standard deviation and maximum and minimum values. For the analysis of correlation between the QS-F and quality of life scores, the Spearman Coefficient Correlation, was utilized for the analysis of quantitative variables. The comparison of the QS-F media according to the women and their partners´ characteristics, the disease/treatment was performed by using the Mann-Whitney Test. All the analyses with results p<0,05 were considered with statistical meaning. The women's average age was 51 years, the average years of study was 7,8 years, the major part (65%) was Catholic, with children (88%), a permanent spouse (68%) at the moment of the surgery. As for the disease, 63% have not had an advanced phase of the tumor and, in relation to the treatments, 75% have not undergone breast reconstruction, 85% have undergone chemotherapy, 68% radiotherapy and 66% hormontherapy. More than half of the women (58%) did not have sexual intercourse and among women who were having sexual intercourse, the major part (64,3%) was suffering with some kind of sexual dysfunction. In relation to the quality of life, the better scores were related to the social aspects, mental health, general heath conditions, functional capacity and vitality. There was a statistically significant association (p < 0,05) between the sexuality score and women's educational background, the partner's age and the scores related to the functional capacity, vitality, emotional related limitations and mental health. The mastectomy interferes in the sexual function and quality of life and the characteristics of this interference must be considered in the women's care planning in order to promote an integral and personalized care
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Adriana_Manganiello.pdf (585.02 Kbytes)
Data de Publicação
2008-05-28
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.