• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.61.2014.tde-26052014-100340
Documento
Autor
Nome completo
Camila Ribeiro Gomide Queiróz
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Bauru, 2014
Orientador
Banca examinadora
Dutka, Jeniffer de Cassia Rillo (Presidente)
Krook, Maria Ines Pegoraro
Silva, Roberta Gonçalves da
Título em português
Padronização do contraste de Bário nas preparações para videofluoroscopia em bebês com disfagia.
Palavras-chave em português
Disfagia
fluoroscopia
sulfato de bário.
Resumo em português
A videofluoroscopia da deglutição (VDF) é um exame considerado padrão ouro como método de avaliação da deglutição que requer que o paciente ingira o contraste de Bário em diferentes consistências para que as fases oral e faríngea sejam avaliadas com maior efetividade. Porém, existe uma disparidade entre a viscosidade dos alimentos com o contraste de Bário para a VDF e os alimentos espessados com o espessante de forma empírica, indicado subjetivamente na terapia de reabilitação. Por isso, o objetivo desse estudo foi: padronizar a quantidade de espessante a ser acrescentado à fórmula infantil nas consistências néctar (N), mel (M) e pudim (P) em 2 temperaturas: ambiente (T1) e variando de 40ºC até 44ºC (T2); comparar os valores médios das viscosidades com as sete marcas dos espessantes mais comumente utilizados e disponíveis (E1, E2, E3, E4, E5, E6, E7) nas temperaturas T1 e T2; identificar a quantidade mínima de contraste de Bário a ser acrescentado à fórmula infantil para boa resolução na videofluoroscopia (50%, 25% e 12,5%) e elaborar um manual de preparo de alimento para VFD nas diferentes consistências (N, M, P) com contraste de Bário. Para a padronização foram utilizados sete marcas de espessantes, uma fórmula infantil de partida, e a média da viscosidade avaliada por meio do viscosímetro Brookfield modelo DV-E, em duas temperaturas (ambiente e acima de 40ºC). Foram avaliadas três diluições (50%, 25% e 12,5%) do contraste de Bário (Bariogel 100%) nos leites espessados por meio de seringas no aparelho de VFD e as imagens obtidas julgadas por duas fonoaudiólogas experientes no exame. Os resultados revelaram que a padronização da quantidade de espessante a ser acrescentado à fórmula infantil para obtenção das consistências néctar, mel e pudim, nas temperaturas testadas, variou com o tipo de espessante, requerendo a orientação de um manual para correta manipulação. Os valores de viscosidade diminuíram com o aumento da temperatura, porém os valores foram mantidos dentro do intervalo proposto pela American Dietetic Association (2002) das consistências néctar, mel e pudim. Embora as três quantidades testadas de contraste de Bário tenham proporcionado imagens visíveis, avaliadas pelos juízes, os mesmos consideraram mais seguras aquelas observadas nas diluições de 25% e 50%, necessitando serem testadas outras situadas neste intervalo, uma vez que na diluição de 50% houve alteração da consistência néctar para mel. Um manual foi elaborado para orientação da padronização dos sete espessantes, nas três consistências e nas temperaturas testadas, bem como a sugestão de diluição do contraste de Bário no intervalo de 25% e 50%.
Título em inglês
Standardization of use of Barium contrast for swallow studies in babies with dysphagia.
Palavras-chave em inglês
Barium sulfate
dysphagia
fluoroscopy.
Resumo em inglês
Videofluoroscopy (VDF) is considered a gold standard exam as an evaluation method for swallowing which requires that the patient ingests the Barium contrast in different consistencies so the oral and pharyngeal stages are evaluated with greater effectiveness. However, there is a difference between the viscosity of food with barium contrast for the VDF and thickened foods with the thickener, indicated subjectively in rehabilitation therapy. Therefore, the aim of this study was to standardize the amount of thickener to be added to infant formula in the following consistencies: nectar (N), honey (M) and (P) pudding in 2 environmental temperatures: (T1) and ranging from-40 degrees C to 44 C (T2); compare the average values of viscosities with seven brands of thickening agents most commonly used and available (E1, E2, E3, E4, E5, E6, E7) at temperatures T1 and T2; identify the minimal amount of barium contrast to be added to infant formula for good resolution in videofluoroscopy (50%, 25% and 12.5%), and elaborate a manual of food preparation to VFD in different consistencies (N, M, P) with Barium contrast. Seven brands of thickeners, an infant formula, and the average viscosity evaluated by Brookfield viscometer model DV-E, in two temperatures (above 40°C and environment) were used for standardization. Three dilutions (50%, 25% and 12.5%) of Barium contrast (Bariogel 100%) were used to evaluate the thickened milk by syringes into the VFD and the images obtained judged by two experienced speech language pathologists. Results revealed that the standardization of the amount of thickener to be added to infant formula to obtain the nectar, honey and pudding consistencies, in tested temperatures, varied according to the type of thickener, requiring the use of a manual for correct handling. Viscosity values decreased with increasing temperature, but the values were maintained within the range proposed by the American Dietetic Association (2002) regarding nectar, honey and pudding consistencies. Although the three tested quantities of Barium contrast have provided visible images, evaluated by the judges, those observed in dilutions of 25% and 50% were considered safer. It demanded tests in others situated in this range once in the dilution of 50% there was a change from nectar to honey consistency. A manual has been prepared for the guidance on the standardization of seven thickeners, in the three tested.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2014-06-18
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2014. Todos os direitos reservados.