• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.60.2012.tde-10012013-085423
Documento
Autor
Nome completo
Anna Paula de Sá Borges
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2012
Orientador
Banca examinadora
Pereira, Leonardo Régis Leira (Presidente)
Coêlho, Harnôldo Colares
Franco, Laercio Joel
Rascado, Ricardo Radighieri
Ueta, Julieta Mieko
Título em português
Utilização de medicamentos em crianças hospitalizadas: uma análise observacional e retrospectiva
Palavras-chave em português
ANVISA
Criança
farmacoepidemiologia
FDA.
uso não indicado
uso não licenciado
Resumo em português
Aproximadamente apenas um terço dos medicamentos utilizados em crianças tem sido estudado de forma adequada e apresentam informações sobre eficácia e segurança do produto. Este fato se deve a dificuldade de realização de ensaios clínicos na população pediátrica tornando-a mais propensa a erros de medicação, predominantemente devido à necessidade de prescrições de apresentações farmacêuticas não aprovadas e não indicadas para uso pela indústria e agência de fiscalização sanitária. Dessa forma, uma ferramenta importante que pode ser utilizada para análise do uso de medicamentos nesta população compreende os estudos da utilização de medicamentos. O presente estudo analisou as prescrições medicamentosas realizadas para crianças hospitalizadas no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - Universidade de São Paulo, com a finalidade de estabelecer o perfil de utilização de medicamentos de acordo com os critérios de aprovação e indicação da Agencia Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e da Food and Drugs Administration (FDA). O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do respectivo hospital, e classificado como transversal, retrospectivo e observacional. Através do banco de dados informatizado, foram analisadas todas as prescrições medicamentosas a crianças menores de 12 anos no período compreendido entre 01/08/2008 a 31/07/2009. A população pediátrica foi dividida em subgrupos de acordo com os parâmetros fisiológicos do desenvolvimento estabelecidos pela Organização Mundial de Saúde. As apresentações farmacêuticas foram classificadas de acordo com o primeiro nível do sistema Anatomical Therapeutic Chemistry e, por conseguinte, foi realizada a classificação de uso das mesmas em: licenciado, não licenciado - registro, indicado, não indicado, não licenciado - dispersão e licenciado/indicado de acordo com a ANVISA e FDA. Durante o período analisado, foram identificados 6948 pacientes, 56,7% do sexo masculino, média de idade 3,1 (±3,5) anos, média de internação 17,5 (±29,8) dias, 1120 causas de internação e 79 unidades de atendimento. A causa de internação mais frequente esteve relacionada ao nascimento no hospital, sendo dessa forma, o centro obstétrico a unidade mais requisitada para hospitalização. Das 617 apresentações farmacêuticas identificadas, 17,6% foram referentes aos agentes infecciosos de uso sistêmico. A média de apresentações farmacêuticas por paciente foi de 6,1. Em relação ao uso não licenciado - registro 1,1% e 14,9% das apresentações farmacêuticas assim foram classificadas de acordo com a análise da ANVISA e FDA, respectivamente. O uso não indicado esteve presente em 36,5% e 37,3% de acordo com a ANVISA e FDA, respectivamente. Dessa forma, este trabalho ressalta a necessidade em se estabelecer um consenso sobre a classificação de uso dos medicamentos na população pediátrica entre os países, além de enfatizar a necessidade de aumentar a realização ensaios clínicos nesta população, uma vez que houve um elevado número de apresentações farmacêuticas com informações de uso apenas na população adulta sendo utilizadas em crianças
Título em inglês
Drug utilization in hospitalized children: an observational and retrospective analysis
Palavras-chave em inglês
ANVISA
Children
FDA.
off-label use
pharmacoepidemiology
unlicensed use
Resumo em inglês
Approximately only one-third of the drugs used in children has been studied adequately and presents information about its effectiveness and safety. This fact is due to the difficulty of conducting clinical trials in the pediatric population making them more prone to medication errors, mainly due to the need for pharmaceutical dosage forms unapproved and off-label for use by industry and regulatory agency. Thus, an important tool that can be used to analyze the use of drugs in this population comprises studies of drug utilization. This study analyzed drug prescriptions for children hospitalized at the Clinical Hospital of the Faculty of Medicine of Ribeirão Preto - University of São Paulo, in order to establish the profile of drug utilization in accordance to the criteria for approval and indication of the Brazilian Regulatory Agency (ANVISA) and the Food and Drugs Administration (FDA). The study was approved by the Research Ethics Committee of the respective hospital, being classified as cross-sectional, retrospective, observational study. Through the computerized database, all drug prescriptions to children under the age of 12 were analyzed in the period of August 1st, 2008 to July 31st, 2009. The pediatric population was divided into subgroups according to the physiological parameters of development established by the World Health Organization. The pharmaceutical dosage forms were classified according to the first level of the Anatomical Therapeutic Chemistry system. Thereafter, the use of pharmaceutical dosage forms was classified as follows: licensed, unlicensed - registered, label, off-label, unlicensed - dispersion and licensed/label according to FDA and ANVISA. During the study period, 6948 patients were identified, being 56.7% male, mean age 3.1 (± 3.5) years, mean length of hospitalization 17.5 (± 29.8) days, 1120 causes of hospitalization and 79 service units. The most prevalent cause of hospital stays was related to birth at the hospital, being the obstetric center the most required unit for hospitalization. Of the 617 pharmaceutical dosage forms identified, 17.6% were related to infectious agents for systemic use. The average pharmaceutical dosage forms per patient were 6.1. Regarding the unlicensed use, 1.1% and 14.9% of the pharmaceutical dosage forms were classified according to the analysis from ANVISA and FDA, respectively. The off-label use was present in 36.5% and 37.3% according to ANVISA and FDA, respectively. This work emphasizes the need to establish a consensus on the classification of the use of drugs in the pediatric population among countries, and underline the necessity of increase the number of clinical trials performed in this population, since there were a high number of pharmaceutical dosage forms with use information only for adult populations being used in children.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2013-03-08
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.