• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.6.2018.tde-05032018-125427
Documento
Autor
Nome completo
Luana Mendes da Silva Fernandes
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2018
Orientador
Banca examinadora
Dias, Maria Dionísia do Amaral (Presidente)
Barreto, Margarida Maria Silveira
Faria, Flavio Del Matto
Jackson Filho, José Marçal
Título em português
Estudo de risco de suicídio e transtorno mental comum em profissionais de um hospital geral no estado de São Paulo
Palavras-chave em português
Ambiente Hospitalar
Saúde do Trabalhador
Sofrimento Mental e Trabalho
Suicídio
Resumo em português
A organização do trabalho passou por diversas modificações ao longo da história e as mudanças de paradigma nos processos laborais geraram mudanças significativas na construção da subjetividade do indivíduo e na dialética do sujeito com o mundo. Podese observar que as transformações no campo produtivo, ocasionadas por múltiplos fatores, como os processos de gestão, a organização do sistema econômico vigente e as reestruturações ocorridas com a globalização transmutaram o trabalho em mercadoria, impactando diretamente no processo de saúde-doença dos trabalhadores. A padronização e sistematização do processo de trabalho, proposto por diversos autores, a priori, adotado nos processos de produção industrial, passam a ser adotados pelas organizações de assistência à saúde, ocasionando arredamentos diversos no modo de produção deste setor, expondo os profissionais que ali executam suas atividades laborais a situações de fragilização e adoecimento. O debate em torno do processo de trabalho nas organizações dos serviços de saúde tem se mostrado extremamente importante, particularmente quando nos debruçamos sobre a micropolítica de organização do trabalho nessas instituições. Diante desta problematização, este estudo teve como objetivo estimar a prevalência de ideação suicida e de transtorno mental comum em trabalhadores de um hospital geral, buscando associação com categoria profissional, sexo, idade, escolaridade, estado civil, tempo de trabalho na instituição, tempo de trabalho na profissão. Trata-se de um estudo epidemiológico de delineamento transversal descritivo, de amostragem não probabilística, com amostra por quotas da população investigada. A presença das variáveis TMC e ideação suicida foram avaliadas a partir do Self Reporting Questionnaire (SRQ). Para a avaliação das possíveis variáveis associadas, os participantes responderam a um questionário sociodemográfico. Os resultados obtidos neste estudo evidenciaram a presença de TMC superior aos estudos correlacionados na literatura e aos índices apresentados na população geral; as queixas sobre o processo de trabalho, que se apresenta como propiciador de sofrimento atinge quase ¼ desta população. O agrupamento dos itens da escala SRQ-20, que apresentou menor representatividade estatística, foi a ideação suicida, sendo considerado com relevância neste estudo por ser indicador de risco direto de vida. Apesar de haver limitações do estudo em estabelecer um nexo causal entre TMC e ideação suicida com os processos de trabalho, o alto índice de adoecimento evidenciado ressalta a necessidade da realização de medidas interventivas, pois independente se ocasionados pelo processo de trabalho, estes indivíduos expressam essa realidade no setor de atuação profissional. Diante disso, estabelecer alternativas que possibilitem a criação de novos meios de intervenção, estratégias que proporcionem melhorias dos ambientes de trabalho para promoção e proteção da saúde desses profissionais, podem contribuir para A organização do trabalho passou por diversas modificações ao longo da história e as mudanças de paradigma nos processos laborais geraram mudanças significativas na construção da subjetividade do indivíduo e na dialética do sujeito com o mundo. Podese observar que as transformações no campo produtivo, ocasionadas por múltiplos fatores, como os processos de gestão, a organização do sistema econômico vigente e as reestruturações ocorridas com a globalização transmutaram o trabalho em mercadoria, impactando diretamente no processo de saúde-doença dos trabalhadores. A padronização e sistematização do processo de trabalho, proposto por diversos autores, a priori, adotado nos processos de produção industrial, passam a ser adotados pelas organizações de assistência à saúde, ocasionando arredamentos diversos no modo de produção deste setor, expondo os profissionais que ali executam suas atividades laborais a situações de fragilização e adoecimento. O debate em torno do processo de trabalho nas organizações dos serviços de saúde tem se mostrado extremamente importante, particularmente quando nos debruçamos sobre a micropolítica de organização do trabalho nessas instituições. Diante desta problematização, este estudo teve como objetivo estimar a prevalência de ideação suicida e de transtorno mental comum em trabalhadores de um hospital geral, buscando associação com categoria profissional, sexo, idade, escolaridade, estado civil, tempo de trabalho na instituição, tempo de trabalho na profissão. Trata-se de um estudo epidemiológico de delineamento transversal descritivo, de amostragem não probabilística, com amostra por quotas da população investigada. A presença das variáveis TMC e ideação suicida foram avaliadas a partir do Self Reporting Questionnaire (SRQ). Para a avaliação das possíveis variáveis associadas, os participantes responderam a um questionário sociodemográfico. Os resultados obtidos neste estudo evidenciaram a presença de TMC superior aos estudos correlacionados na literatura e aos índices apresentados na população geral; as queixas sobre o processo de trabalho, que se apresenta como propiciador de sofrimento atinge quase ¼ desta população. O agrupamento dos itens da escala SRQ-20, que apresentou menor representatividade estatística, foi a ideação suicida, sendo considerado com relevância neste estudo por ser indicador de risco direto de vida. Apesar de haver limitações do estudo em estabelecer um nexo causal entre TMC e ideação suicida com os processos de trabalho, o alto índice de adoecimento evidenciado ressalta a necessidade da realização de medidas interventivas, pois independente se ocasionados pelo processo de trabalho, estes indivíduos expressam essa realidade no setor de atuação profissional. Diante disso, estabelecer alternativas que possibilitem a criação de novos meios de intervenção, estratégias que proporcionem melhorias dos ambientes de trabalho para promoção e proteção da saúde desses profissionais, podem contribuir para A organização do trabalho passou por diversas modificações ao longo da história e as mudanças de paradigma nos processos laborais geraram mudanças significativas na construção da subjetividade do indivíduo e na dialética do sujeito com o mundo. Podese observar que as transformações no campo produtivo, ocasionadas por múltiplos fatores, como os processos de gestão, a organização do sistema econômico vigente e as reestruturações ocorridas com a globalização transmutaram o trabalho em mercadoria, impactando diretamente no processo de saúde-doença dos trabalhadores. A padronização e sistematização do processo de trabalho, proposto por diversos autores, a priori, adotado nos processos de produção industrial, passam a ser adotados pelas organizações de assistência à saúde, ocasionando arredamentos diversos no modo de produção deste setor, expondo os profissionais que ali executam suas atividades laborais a situações de fragilização e adoecimento. O debate em torno do processo de trabalho nas organizações dos serviços de saúde tem se mostrado extremamente importante, particularmente quando nos debruçamos sobre a micropolítica de organização do trabalho nessas instituições. Diante desta problematização, este estudo teve como objetivo estimar a prevalência de ideação suicida e de transtorno mental comum em trabalhadores de um hospital geral, buscando associação com categoria profissional, sexo, idade, escolaridade, estado civil, tempo de trabalho na instituição, tempo de trabalho na profissão. Trata-se de um estudo epidemiológico de delineamento transversal descritivo, de amostragem não probabilística, com amostra por quotas da população investigada. A presença das variáveis TMC e ideação suicida foram avaliadas a partir do Self Reporting Questionnaire (SRQ). Para a avaliação das possíveis variáveis associadas, os participantes responderam a um questionário sociodemográfico. Os resultados obtidos neste estudo evidenciaram a presença de TMC superior aos estudos correlacionados na literatura e aos índices apresentados na população geral; as queixas sobre o processo de trabalho, que se apresenta como propiciador de sofrimento atinge quase ¼ desta população. O agrupamento dos itens da escala SRQ-20, que apresentou menor representatividade estatística, foi a ideação suicida, sendo considerado com relevância neste estudo por ser indicador de risco direto de vida. Apesar de haver limitações do estudo em estabelecer um nexo causal entre TMC e ideação suicida com os processos de trabalho, o alto índice de adoecimento evidenciado ressalta a necessidade da realização de medidas interventivas, pois independente se ocasionados pelo processo de trabalho, estes indivíduos expressam essa realidade no setor de atuação profissional. Diante disso, estabelecer alternativas que possibilitem a criação de novos meios de intervenção, estratégias que proporcionem melhorias dos ambientes de trabalho para promoção e proteção da saúde desses profissionais, podem contribuir para o processo de saúde destes trabalhadores e a qualidade do ambiente de atuação profissional desses indivíduos.
Título em inglês
Study of risk of suicide and common mental disorder in professionals of a general hospital in the state of São Paulo
Palavras-chave em inglês
Hospital Environment
Mental Suffering and Work
Suicide
Worker's Health
Resumo em inglês
The organization of work has undergone several modifications throughout history, these paradigm changes in labor processes have generated significant changes in the construction of the subjectivity of the individual and in the dialectic of the subject with the world. It can be observed that the transformations in the productive field, caused by multiple factors, such as the management processes, the organization of the current economic system, the restructurings with globalization, transmute the work into merchandise, directly impacting the health-disease process of the workers. The standardization and systematization of the work process, proposed by several authors, a priori, adopted in the processes of industrial production, are now adopted by health care organizations, causing various drawbacks in the way of production of this sector, exposing the professionals that there they carry out their work activities to situations of embrittlement and illness. The debate about the work process in health service organizations has been extremely important, particularly when we look at the micropolitics of work organization in these institutions. In view of this problem, this study aimed to estimate the prevalence of suicidal ideation and common mental disorder in workers of a general hospital, seeking association with professional category, gender, age, schooling, marital status, working time in the institution, work in the profession. This is an epidemiological study with descriptive cross-sectional, non-probabilistic sampling, with a sample of the population investigated. The presence of TMC variables and suicidal ideation were assessed from the Self Reporting Questionnaire (SRQ). For the evaluation of possible associated variables, participants answered a sociodemographic questionnaire. The results obtained in this study evidenced the presence of MCT superior to the correlated studies in the literature and the indices presented in the general population; the complaints about the work process, where it presents itself as a propitiator of suffering reaches almost ¼ of this population. The grouping of SRQ-20 items that presented less statistical representativeness was suicidal ideation, but was considered relevant in this study, since it is an indicator of direct risk of life. Although there are limitations of the study in establishing a causal nexus between CMD and suicidal ideation with work processes, the high rate of illness evidenced highlights the need for interventional measures, because if they are caused by the work process, these individuals express this reality in the professional sector. Therefore, establishing alternatives that allow the creation of new means of intervention, strategies that provide improvements in work environments for the promotion and protection of the health of these professionals, can contribute to the health process of these workers and the quality of the professional environment of these workers. individuals.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-03-05
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.