• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.6.2015.tde-29102015-105207
Documento
Autor
Nome completo
Fabiana Dias Bellão
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2015
Orientador
Banca examinadora
Slater Villar, Betzabeth (Presidente)
Latorre, Maria do Rosario Dias de Oliveira
Rinaldi, Ana Elisa Madalena
Título em português
Distribuição e autocorrelação espacial da hipertensão arterial e seus fatores de risco no Brasil, 2008-2009
Palavras-chave em português
Brasil
Distribuição Espacial
Hipertensão
Resumo em português
Introdução: A hipertensão arterial (HA) é uma Doença Crônica Não Transmissível (DCNT) que contabiliza 9,4 milhões das mortes a cada ano. Esta doença é caracterizada por níveis elevados de pressão arterial (PA) e se apresenta no Brasil com uma alta prevalência. O uso de tabaco, dieta não saudável, atividade física insuficiente e o consumo de álcool estão entre os fatores de risco para o acometimento da hipertensão arterial. Objetivo: Verificar a distribuição e a autocorrelação espacial da prevalência de hipertensão arterial e fatores de risco associados em adultos no Brasil, no período de 2008 e 2009. Métodos: Trata-se de um estudo ecológico utilizando dados nacionais, no período de 2008 e 2009, para a faixa etária de 20 a 59 anos. As fontes dos dados são: Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (VIGITEL), Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) e Sistema de Vigilância Alimentar Nutricional (SISVAN). Primeiramente a caracterização e descrição das variáveis foram desenvolvidas. Mapas temáticos foram criados para a visualização da distribuição geográfica da hipertensão arterial e os fatores de risco no Brasil. O teste de adesão a curva de normalidade foi aplicado para as variáveis de interesse. Para o desenvolvimento da análise espacial, foi utilizado o Índice de Moran Global e Local para a identificação da autocorrelação e dos padrões espaciais. O coeficiente de correlação de Spearman foi calculado, a fim de testar a correlação entre as variáveis. Posteriormente, foi construído um modelo de regressão linear múltiplo seguindo o esquema stepwise. Foi realizado a análise de Moran do resíduo para verificar a presença de cluster espacial dos resíduos da análise de regressão. Resultados: As menores prevalências de hipertensão arterial foram encontradas na região Norte, e em alguns estados do Nordeste. O Rio de Janeiro foi o estado que se destaca com a maior prevalência de HA encontrada. A análise do Índice de Moran Global apontou que somente a prevalência de hipertensão arterial não apresentou padrão de cluster. O coeficiente de correlação de Spearman indicou que a prevalência de hipertensão arterial apresentou correlação positiva com todas as variáveis independentes, e que a maior correlação da hipertensão arterial foi com o consumo médio de sódio. Na análise de regressão linear múltipla, a única variável independente que explicou a prevalência de hipertensão arterial foi o consumo médio de sódio. A análise de Moran do resíduo não demonstrou dependência espacial entre a prevalência de hipertensão arterial e o consumo médio de sódio. Conclusões: É possível concluir que o acometimento da HA em adultos brasileiros atinge patamares que demonstram a necessidade de maiores investigações sobre a sua distribuição no país a fim de garantir a melhor abordagem de prevenção e intervenção em cada área geográfica. As técnicas de análise espacial e geoprocessamento se mostram como uma nova ferramenta, que podem ser úteis na gestão e na determinação de programas que contribuem para o desenvolvimento das ações voltadas para HA, de acordo com cada região, estado e até município.
Título em inglês
Distribution and spatial autocorrelation of hypertension in Brazil, 2008-2009
Palavras-chave em inglês
Brazil
Hypertension
Spatial Distribution
Resumo em inglês
Introduction: Hypertension (HP) is a non-communicable chronic disease (NCCD), which accounts for 9,4 million deaths each year. This disease is characterized by high levels of blood pressure (BP) and it presents in Brazil with a high prevalence. Tobacco use, unhealthy diet, insufficient physical activity and alcohol consumption are among the risk factors for the onset of hypertension. Objective: To investigate the distribution and spatial autocorrelation of the prevalence of hypertension and associated risk factors in adults in Brazil, between 2008 and 2009. Methods: This is an ecological study using national data, in the period of 2008 and 2009, to the age group of 20-59 years. The sources of data are: Risk and Protective Factors Surveillance for Chronic Diseases by Telephone Interviews (VIGITEL), Consumer Expenditure Survey (POF) and Food Nutrition Surveillance System (SISVAN). First the characterization and description of the variables were developed. Thematic maps were created for visualization of the geographical distribution of hypertension and the risk factors in Brazil. The adhesion test to the normal curve was applied to the variables of interest. For the development of spatial analysis, it was used the Global and Local Moran Index to identify the autocorrelation and spatial patterns. The Spearman correlation coefficient was calculated in order to test the correlation between the variables. It was later built a multiple linear regression model following the stepwise scheme. Moran analysis of the residue was performed to verify the presence of spatial cluster in the residuals of the regression analysis. Results: The lower hypertension prevalence rates were found in the North, and in some states of the Northeast. Rio de Janeiro was the state that stands out with the highest prevalence of hypertension found. Analysis of the Global Moran Index pointed out that only the prevalence of hypertension showed no cluster pattern. The Spearman correlation indicated that the prevalence of hypertension was positively correlated with all the independent variables, and that the highest correlation of hypertension was with the average sodium intake. In the multiple linear regression analysis, the only independent variable that explains the prevalence of hypertension was the average sodium intake. The Moran analysis of the residues showed no spatial dependence between the prevalence of hypertension and the average sodium intake. Conclusion: It was concluded that the involvement of HP in Brazilian adults reaches levels that demonstrate the need for further investigation on its distribution in the country to ensure the best approach to prevention and intervention in each geographical area. The spatial analysis techniques and geoprocessing appear as a new tool that may be useful in the management and determination of programs that contribute to the development of actions for HA , according to each region, state and even county.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
FabianaDiasBellao.pdf (952.36 Kbytes)
Data de Publicação
2015-11-23
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.