• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
Documento
Autor
Nome completo
Jaqueline Lopes Pereira França
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2018
Orientador
Banca examinadora
Fisberg, Regina Mara (Presidente)
Rogero, Marcelo Macedo
Barros, Marilisa Berti de Azevedo
Steluti, Josiane
Título em português
Dieta, excesso de peso e fatores de risco cardiometabólico na população da cidade de São Paulo: panorama 2003 - 2015
Palavras-chave em português
Consumo Alimentar
Epidemiologia Nutricional
Obesidade
Qualidade da Dieta
São Paulo
Sobrepeso
Tamanho da Porção
Resumo em português
Introdução: O excesso de peso (EP, inclui sobrepeso e obesidade) configura um grande problema de saúde pública no país. A compreensão do estado nutricional ao longo do tempo e de fatores associados, como a dieta, além de suas possíveis consequências, como fatores de risco cardiometabólico, é essencial para o desenvolvimento de ações em saúde. Objetivo: Avaliar a prevalência de sobrepeso e obesidade na população da cidade de São Paulo, assim como modificações na dieta da população entre os anos de 2003 e 2015 e sua associação com fatores de risco cardiometabólico. Métodos: Foram utilizados dados do estudo transversal de base populacional ISA - Capital dos anos de 2003, 2008 e 2015, referentes à amostra probabilística de residentes do município de São Paulo com 12 anos ou mais, de ambos os sexos, totalizando 8.682 indivíduos. Dados socioeconômicos, antropométricos, de estilo de vida e recordatório alimentar de 24 horas foram coletadas em visitas domiciliares e inquérito telefônico. Os indivíduos foram classificados segundo IMC em duas categorias: com e sem EP. Os fatores de risco cardiometabólico avaliados foram: circunferência de cintura aumentada, pressão arterial sistólica ou diastólica elevada, dislipidemia, glicemia de jejum ou hemoglobina glicada elevadas e resistência à insulina. Foram avaliados a frequência de consumo e o tamanho das porções de 30 grupos de alimentos e a qualidade da dieta, utilizando o Índice de Qualidade da Dieta Revisado para a população brasileira (IQD-R) e o Alternate Healthy Eating Index-2010 (AHEI) americano. Variáveis categóricas foram descritas e comparadas por teste qui-quadrado de Pearson e intervalo de confiança de 95%. Foram utilizados modelos de regressão logística e logística ordinal para avaliar a associação das variáveis investigadas com EP e com fatores de risco cardiometabólico. Resultados: No período avaliado, a prevalência de obesidade na população dobrou: de 10% (8,0; 12,5) em 2003 para 19,2% (17,8; 20,6) em 2015, sendo o maior aumento entre adolescentes e adultos do sexo feminino. Adultos, pessoas com maior renda e ex-fumantes apresentaram maior chance de ter EP, o qual aumentou 31% entre 2003 e 2008 e 126% entre 2003 e 2015, quando metade da população passou a ter EP. Se esse padrão se mantiver, espera-se que 77% da população tenha EP em 2030. Neste período, houve uma variação no tamanho das porções consumidas, com aumento em alguns grupos de alimentos (carne branca, salgados, café/chá, ovos) e redução em outros (arroz, carne vermelha, doces, massas, sanduiches, frios). Além disso, a frequência de consumo de seis grupos aumentou no período (arroz, carne branca, doces, frutas, sucos industrializados, torradas/biscoitos). Nesta população, o EP se associou positivamente com maiores porções de frios, petiscos fritos, sucos naturais e industrializados, pizza, carne vermelha, arroz, salgados, refrigerantes, sopas e açúcar. Em relação à qualidade da dieta, adolescentes com EP apresentaram pior qualidade da dieta para os componentes grãos integrais (IQD-R) e bebidas açucaradas (AHEI) em relação aos adolescentes sem EP. O IQD-R foi inversamente associado ao EP (OR=0.87; 0.80, 0.95) e ao número de fatores de risco cardiovascular (OR=0.89; 0.80, 0.98) nesta população. Conclusões: O EP aumentou substancialmente em um curto período na cidade de São Paulo, especificamente em alguns subgrupos e se associou positivamente com maior tamanho da porção de 11 grupos de alimentos na população geral e com menor qualidade da dieta entre os adolescentes. Adolescentes com menor qualidade da dieta também apresentaram maior chance de ter mais fatores de risco cardiometabólico. Esses achados podem subsidiar intervenções e políticas para redução da tendência de aumento do excesso de peso e melhora no consumo alimentar na população.
Título em inglês
Diet, excess body weight and cardiometabolic risk factors in the population of São Paulo city: panorama 2003 - 2015
Palavras-chave em inglês
Diet Quality
Dietary Intake
Nutritional Epidemiology
Obesity
Overweight
Portion Size
São Paulo
Resumo em inglês
Introduction: Excess body weight (EBW, including overweight and obesity) is a major public health problem in the country. Understanding nutritional status over time and associated factors, such as diet, besides its consequences, such as cardiometabolic risk factors, is essential for the development of interventions in health. Objective: To evaluate the prevalence of overweight and obesity in the population of the city of São Paulo, as well as changes in diet between 2003 and 2015, and its association with cardiometabolic risk factors. Methods: We used data from the cross-sectional population based study ISA-Capital 2003, 2008, and 2015, with probabilistic sampling of residents of the city of São Paulo aged 12 years and more, of both sexes, totaling 8,682 individuals. Socioeconomic, anthropometric, and lifestyle data and 24-hour dietary recalls were collected in the households and by telephone. The individuals were categorized according to BMI in two categories: with and without EBW. The evaluated cardiometabolic risk factors were: central obesity, hypertension, dyslipidemia, high fasting glycaemia or glycated hemoglobin, and insulin resistance. We evaluated the frequency of intake and the portion sizes of 30 food groups, besides the diet quality, using the Revised Diet Quality Index for Brazilian population (BHEI-R) and the American Healthy Eating Index-2010 (AHEI). Categorical variables were described and compared by Pearson's chi-square test and 95% confidence interval. Ordinal logistic and logistic regression models were performed to evaluate the association of the investigated variables with EBW and cardiometabolic risk factors. Results: The prevalence of obesity in the population doubled in the evaluated period, from 10% (8.0; 12.5) in 2003 to 19.2% (17.8; 20.6) in 2015, with the highest increase among female adolescents and adults. Adults, those with higher income, and former smokers were more likely to have EBW, which increased 31% between 2003 and 2008, and 126% between 2003 and 2015, when half of the population had EBW. If this pattern continues, it is expected that 77% of the population will have EBW by 2030. During this period, there was a variation in the portion sizes of food groups consumed, with increase in some groups (white meat, salted snacks, coffee/tea, eggs) and decrease in others (rice, red meat, sweets, pasta, sandwiches, cold cuts). In addition, there was an increase in the frequency of consumption of six groups (rice, white meat, sweets, fruits, commercial juices, toasts/biscuits). In this population, EBW was positively associated with larger portions of cold cuts, fried snacks, fruit and commercial juices, pizza, red meat, rice, salted snacks, soft drinks, soups and sugar. Regarding diet quality, adolescents with EBW had lower diet quality for the components whole grains (BHEI-R) and sugar sweetened beverages (AHEI) compared with adolescents without EBW. BHEI-R was inversely associated with EBW (OR = 0.87, 0.80, 0.95) and cardiovascular risk factors count (OR = 0.89, 0.80, 0.98) in this population. Conclusions: EBW increased substantially over a short period in the city of São Paulo, especially in some subgroups and it was positively associated with larger portion size of 11 food groups in the population, and with lower diet quality among adolescents. Also, adolescents with lower diet quality were more likely to have higher number of cardiovascular risk factors. These findings can subsidize interventions and policies to reduce the tendency of increase in EBW and to improve food intake in the population.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-11-28
 
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.