• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
Documento
Autor
Nome completo
Jéssica Cumpian Silva
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2017
Orientador
Banca examinadora
Conde, Wolney Lisbôa (Presidente)
França Junior, Ivan
Gigante, Denise Petrucci
Toporcov, Tatiana Natasha
Título em português
Efeito da maturação sexual na avaliação nutricional de adolescentes
Palavras-chave em português
Adolescentes
Avaliação Nutricional
Biomarcadores
Composição Corporal
Maturação Sexual
Resumo em português
Introdução - A avaliação do estado nutricional de adolescentes é usualmente realizada com base no índice de massa corporal (IMC) sem levar em consideração a maturação sexual. As alterações da composição corporal se expressam via modificações das características antropométricas, frações corporais e bioquímicas com impactos relevantes na análise do estado nutricional.A elevada variabilidade dessas características leva alguns autores a fundamentar de modo diverso a necessidade de ajuste prévio da maturação sexual para avaliação nutricional de adolescentes. Objetivo - Analisar os efeitos das relações entre maturação sexual e variáveis antropométricas, da composição corporal e dos parâmetros bioquímicos sobre o estado nutricional de adolescentes na faixa de 10 a 15 anos. Métodos- A amostra foi composta por 833 adolescentes escolares de 10 a 15 anos selecionados por amostragem complexa, residentes em Piracicaba (SP), 2012. Os fenótipos corporais foram inicialmente definidos por análise de componentes principais (ACP) a partir de dados antropométricos (massa corporal, altura, dobras cutâneas e circunferência da cintura), composição corporal (ângulo de fase), bioquímicos (triglicerídeos, glicose, razão colesterol total/LDL e hemoglobina), maturação sexual (auto-classificação segundo critério proposto por Tanner) e demográficos (sexo e idade). Esta primeira ACP apresentou caráter descritivo, para reconhecer a formação dos fenótipos corporais. Posteriormente, as variáveis de maturação sexual foram retiradas da ACP e aplicou-se novamente a ACP com as demais variáveis, os componentes gerados na ACP foram considerados desfechos na análise dos efeitos mistos para dimensionar o efeito da interferência da maturação sexual sobre os fenótipos corporais. No primeiro nível da análise utilizou-se sexo como ajuste. No segundo nível do modelo utilizou-se as variáveis de maturação sexual, e como ajuste idade, sexo e escore socioeconômico. Resultados Na primeira ACP foram definidos 4 fenótipos corporais: FC1 composto por dobras cutâneas, massa corporal e circunferência da cintura (expressão de gordura e volume corporal); FC2 composto por maturação sexual (pelos pubianos, mama e gônada), altura e idade (expressão do eixo cronológico); FC3 composto por colesterol e triglicerídeos (expressão de marcadores metabólicos associados à gordura corporal) e FC4 composto por ângulo de fase, hemoglobina e glicose (carga fatorial negativa) (expressão de marcadores metabólicos associados à massa magra). Na segunda ACP manteve-se a formação de 4 fenótipos corporais: FC1 apresentou a mesma formação, com a inclusão da hemoglobina com carga negativa; FC2 inclusão da massa corporal, ângulo de fase e hemoglobina; FC3 triglicerídeo, colesterol, hemoglobina e ângulo de fase e FC4 triglicerídeo, glicose e carga negativa para hemoglobina. O único fenótipo corporal que se associou à maturação sexual foi o FC2, também associado à altura e idade. Esse fenótipo expressa o crescimento físico e composição corporal típicos da puberdade. Com a análise dos efeitos mistos mostramos que a maturação sexual explica 78 por cento do FC2, enquanto para FC1 31 por cento FC3 0,59 por cento e FC4 1,06 por cento para pelos pubianos, para gônada e mama a maturação sexual explica 73 por cento do FC2, enquanto para FC1 2,45 por cento FC3 0,25 por cento e FC4 6,9 por cento . Conclusões - O uso dos fenótipos corporais indica a independência da avaliação nutricional na adolescência com relação à maturação sexual
Título em inglês
Effect of sexual maturation on the nutritional assessment of adolescents
Palavras-chave em inglês
Adolescent,Nutritional Assessment
Biomarkers
Body Composition
Sexual Maturation
Resumo em inglês
Introduction - Analysis of nutritional status of adolescents is usually based on body mass index (BMI) without taking to account sexual maturation. Changes in body composition are expressed via modifications of anthropometric characteristics, body and biochemical fractions with relevant impact on the analysis of the nutritional status. The high variability of these features takes some authors to substantiate otherwise the need for prior adjustment of sexual maturation for nutritional assessment of adolescent. Objective - To analyze the effects of the relationships between sexual maturation and anthropometric variables, body composition and biochemical parameters about the nutritional status of adolescents from 10 to 15 years. Methods - The sample was composed by 833 school teenagers of 10 to 15 years selected by complex sampling, living in Piracicaba (SP), 2012. The body phenotypes were defined by principal component analysis (PCA) from anthropometric data (body mass, height, skinfolds and waist circumference), body composition (phase angle), biochemical (triglycerides, glucose, total cholesterol/LDL and hemoglobin), sexualmaturation (self-assessment criterion proposed by Tanner) and demographic (sex and age). This first ACP presented descriptive character, to recognize the formation of the corporal phenotypes. Subsequently, the sexual maturation variables were withdrawn from the ACP and re-applied to the ACP with the other variables, the components generated in the ACP were considered outcomes in the analysis of the mixed effects to measure the effect of the sexual maturation interference on the body phenotypes.In the first level of analysis we used the body phenotypes as outcome and sex as. In the second level of the model using the sexual maturation, and variables as age, sex and socioeconomic score. Results The first 4 body phenotypes were defined: FC1 composed by skinfolds, body weight and waist circumference (FAT expression and body volume); FC2 composed by sexual maturation (pubic hair, breast and gonad), height, and age (chronological axis expression); FC3 composed by cholesterol and triglycerides (expression of metabolic markers associated with body fat) and FC4 composed by phase angle, hemoglobin and glucose (factorial a negative load) (expression of metabolic markers associated with lean body mass). In the second PCA, the FC showed the same composition: FC1 presented the same formation, with the inclusion of hemoglobin with negative loading; FC2 inclusion of body mass, phase angle and hemoglobin; FC3 triglyceride, cholesterol, hemoglobin and phase angle and FC4 triglyceride, glucose and negative loading to hemoglobin. The only body which phenotype was associated to sexual maturation was the FC2, also associated with height and age. This phenotype is the physical growth and body composition typical of puberty. With the analysis of the mixed effects we show that sexual maturation explains 78 per cent of FC2, while for FC1 31 per cent 0.59 per cent FC3 and FC4 1.06 per cent to pubic hair, for gonad and sexual maturation breast explains 73 per cent of FC2, while for FC1 2.45 per cent 0.25 per cent and FC3 FC4 6.9 per cent . Conclusions The use of body phenotypes indicates the independence of nutritional assessment in adolescence in relation to sexual maturation
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
JESSICA_CUMPIAN.pdf (4.94 Mbytes)
Data de Publicação
2017-10-04
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2014. Todos os direitos reservados.