• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.6.2015.tde-21092015-113133
Documento
Autor
Nome completo
Raissa do Vale Cardoso Lopes
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2015
Orientador
Banca examinadora
Fisberg, Regina Mara (Presidente)
Pereira, Rosângela Alves
Villa, Luisa Lina
Título em português
Fatores dietéticos e persistência da infecção por HPV em homens
Palavras-chave em português
Consumo Alimentar
Dieta
Homens
HPV
Questionário de Frequência Alimentar
Resumo em português
Introdução: Entre as doenças sexualmente transmissíveis (DST), infecções por papilomavírus humano (HPV) são muito comuns. Apesar de frequentemente transitória, quando há persistência da infecção podem surgir lesões que, se não tratadas, podem progredir para o câncer. A disseminação do HPV tende a ser universal entre indivíduos sexualmente ativos, sendo que o homem, além do risco de câncer anal, peniano e da orofaringe, pode ser importante propagador do vírus entre mulheres. No entanto, pouco se sabe a respeito da prevalência, incidência e remissão de infecções por HPV em homens. Os alimentos e nutrientes poderiam influenciar a progressão do câncer afetando a susceptibilidade à infecção, alterando o estado nutricional, atuando na probabilidade da infecção se tornar persistente e na progressão a lesões neoplásicas, além de alterar a estabilidade e reparo do DNA. Objetivo: Investigar a relação entre nutrientes selecionados e a infecção persistente por HPV em homens. Métodos: Foram utilizados dados secundários de 1248 indivíduos de 18 a 70 anos e que responderam a um Questionário de Frequência Alimentar (QFA), obtidos da coorte brasileira de estudo sobre HPV em homens. O QFA foi desenvolvido e validado para a população do estudo, e posteriormente seus dados foram calibrados e ajustados pela energia. Por meio do teste U de Mann-Whitney foram avaliadas diferenças nas medianas de ingestão dos nutrientes entre grupos com e sem infecção persistente por HPV oncogênico e não-oncogênico, e realizado teste de tendência. A associação entre os nutrientes e o HPV persistente foi testada por regressão logística. Resultados: Dos 1248 participantes analisados, 1211 (97,0 por cento ) apresentaram infecção por HPV e 781 (62,6 por cento ) apresentaram infecção persistente por HPV, sendo que 458 (36,7 por cento ) tinham infecção persistente por HPV oncogênico e 636 (51,0 por cento ) por HPV não-oncogênico. Para o HPV oncogênico, o grupo sem infecção persistente apresentou maior mediana de ingestão de retinol (p=0,008), vitamina A (p<0,001) e folato (DFE) (p=0,003), além de menor mediana de ingestão de energia (p=0,005) e licopeno (p=0,008). Não houve associação significativa entre os nutrientes selecionados e o HPV persistente oncogênico. Já para o HPV persistente não-oncogênico, a vitamina B12 apresentou associação inversa estatisticamente significativa (p de tendência=0,003). Conclusão: Não houve associação entre ingestão de nutrientes e infecção persistente por HPV oncogênico; e apenas a vitamina B12 mostrou-se inversamente associada com a persistência da infecção por HPV não-oncogênico.
Título em inglês
Dietary factors and persistence of HPV infection in men [Dissertation]. São Paulo
Palavras-chave em inglês
Diet
Dietary Intake
Food Frequency Questionnaire
HPV
Men
Resumo em inglês
Background: HPV infections are the most common among sexually transmitted diseases. Although most frequently transitory, persistent oncogenic-type HPV infection may progress to a precursor lesion and, if not correctly treated, to cancer. The dissemination of HPV tends to be universal in sexually active individuals. Men, besides being in risk to cancer, in special penile and anal cancer, can be the spreader of this virus to women, contributing to the infection, and hence the cervical cancer. However, little is known about this infection in men. Some studies discuss the possible relation between diet and the risk of HPV and the role of food in persistent infections. Food and nutrients could influence carcinogenesis process by affecting nutritional status, susceptibility to infection and by acting in the probability of infection turning persistent and progressing to neoplastic lesions, besides altering DNA repair and stability. Objective: Investigate the relation of selected nutrients and HPV persistent infection in men of São Paulo, Brazil. Methods: The study population consisted of 1,248 men from the Brazilian cohort of HIM study, aged from 18 to 70 years old, whose answered a quantitative food frequency questionnaire (FFQ) in the baseline. The FFQ was developed and validated for the study population and afterwards calibrated and energy-adjusted. The U Mann-Whitney test was used to assess differences in the medians of nutrient intake between men with persistent and non-persistent infection. The association of dietary intake and persistent HPV infection was assessed in multivariate logistic models. Two independent multivariate logistic regression models were developed, one for oncogenic HPV persistent infection and other for nononcogenic HPV persistent infection. By treating categorical nutrient variables as continuous, it was possible to perform tests for trends. Results: Of 1248 participants analyzed, 1211 (97,0 per cent ) presented HPV infection and 781 (62,6 per cent ) presented persistent HPV infection, whereas 458 (36,7 per cent ) showed persistent infection by oncogenic type and 636 (51,0 per cent ) by nononcogenic type. For oncogenic type, the group with non-persistent infection had higher medians of retinol (p=0,008), vitamin A (p<0,001) and folate (DFE) (p=0,003), besides lower medians of energy (p=0,005) and lycopene (p=0,008). There was no significant association between selected nutrients and persistent oncogenic HPV infection. For nononcogenic persistent infections, only vitamin B12 was significantly associated (p=0,003, test for trend). Conclusion: No association was found between dietary intake and persistent oncogenic-type HPV infection. For nononcogenic persistent infections, only vitamin B12 was inversely associated.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2015-10-28
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.