• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.6.2015.tde-21082015-135240
Documento
Autor
Nome completo
Aline de Almeida Petrilli
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2015
Orientador
Banca examinadora
Rondo, Patricia Helen de Carvalho (Presidente)
Santos, Sigrid de Sousa dos
Souza, Jose Maria Pacheco de
Vivolo, Sandra Roberta Gouvea Ferreira
Título em português
Efeito dos compostos fenólicos do cacau e chá mate no perfil inflamatório de indivíduos com HIV/aids em terapia antirretroviral
Palavras-chave em português
Chocolate
Erva Mate
HIV/aids
Oxidação
Perfil Inflamatório
Terapia Antirretroviral
Resumo em português
Introdução: Estudos apontam maior ocorrência de complicações cardiovasculares na população com HIV/aids. Sabe-se que as alterações iniciais que posteriormente evoluem para doenças cardíacas estão relacionadas às mudanças no perfil inflamatório e oxidativo. Diversas pesquisas, utilizando diferentes populações, demonstraram que os flavonoides presentes no cacau (Theobroma cacao) e na erva mate (Ilex paraguaensis) podem melhorar a função anti-inflamatória e antioxidante do organismo. Objetivo: Avaliar o efeito da ingestão de chocolate e chá mate no perfil inflamatório e oxidativo de pessoas vivendo com HIV/aids (PVHIV/aids) em terapia antirretroviral (TARV). Metodologia: Ensaio clínico do tipo crossover, aleatorizado, cego e controlado por placebo envolvendo 92 voluntários, de 28-59 anos de idade, em tratamento regular com TARV por, no mínimo, 6 meses e com carga viral <50 cópias/mL. Os voluntários consumiram 65g de chocolate em barra (chocolate preto contendo 36g de cacau e placebo) e 3g de chá (erva mate solúvel e placebo) por 15 dias cada, seguido por 15 dias de washout entre cada período de suplementação. Além das variáveis inflamatórias e oxidativas (PCR-us, fibrinogênio, TBARS, HDL-c), foram avaliadas as seguintes características: perfil demográfico e socioeconômico, variáveis antropométricas, imunológicas e prática de atividade física. As análises estatísticas foram realizadas por análise de variância (ANOVA) utilizando o procedimento pkcross no software Stata versão 11.0. O teste t de Student pareado foi feito para comparação das médias dos parâmetros no baseline e pós suplementação. Considerou-se significante p0,05. Resultados: Os participantes eram na maioria do sexo masculino (63,0 por cento ), com média de idade de 45,0 (±7,3) anos. Observou-se média de 13,3 (5±) anos de diagnóstico de HIV, com 10,7 (±5,1) anos de uso de TARV. Quando feita análise por ANOVA houve melhora significativa apenas para o HDL-c (p = 0,05). Entretanto, na comparação entre as variáveis no baseline x chocolate preto, pelo teste t de Student pareado, observou-se aumento de HDL-c (p = 0,01) e diminuição de leucócitos (p = 0,01) e neutrófilos (p = 0,02), e quando comparados os valores das variáveis entre chocolate preto x placebo também houve diferença estatisticamente significativa para HDL-c (p = 0,05), leucócitos (p = 0,01) e neutrófilos (p = 0,03). Conclusão: Este é o primeiro estudo clínico que avaliou o efeito da ingestão de chocolate (cacau) e chá mate (erva mate) no perfil inflamatório e oxidativo de PVHIV em TARV. No presente estudo, o consumo de ambos os suplementos por 15 dias cada, não foi suficiente para melhorar os marcadores do perfil inflamatório e oxidativo destes indivíduos, apesar da alteração significativa de alguns parâmetros relacionados à inflamação e oxidação, como aumento de HDL-c e diminuição de leucócitos e neutrófilos após o consumo do chocolate preto. Tal resultado pode ser devido ao metabolismo diferenciado de PVHIV/aids, o qual sofre alterações não apenas pela própria infecção, mas também pela TARV, a quantidade e biodisponibilidade dos flavonoides nos suplementos e ao tempo de intervenção.
Título em inglês
Effect of chocolate and yerba mate phenolic compounds on inflammatory and oxidative biomarkers in HIV/AIDS individuals: a randomized, double-blind, placebo controlled trial
Palavras-chave em inglês
Antiretroviral Therapy
Chocolate
HIV/AIDS
Inflammatory Profile
Oxidation
Yerba Mate
Resumo em inglês
Introduction: There has been an increase on cardiovascular diseases occurrence in the HIV/AIDS population. It is know that initial alterations that after evolve to cardiovascular diseases are related with changes in inflammatory and oxidative disorders. Several studies in other populations demonstrated that flavonoids in cocoa (Theobroma cacao) and yerba mate (Ilex paraguaensis) may improve cardiovascular function due to its antioxidant and anti-inflammatory properties. Objective: To evaluated the effect of chocolate and yerba mate intake on the inflammatory and oxidative profile of people living with HIV/AIDS in antiretroviral therapy (ART). Methodology: Randomized, placebo-controlled, blinded cross-over trial involving 92 volunteers ages 28-59 years, in ART for at least six months and with viral load <50 copies/mL. The volunteers consumed 65g chocolate bar (36g dark chocolate containing cocoa or placebo) and 3g of tea (yerba mate soluble and placebo) for 15 day each, followed by 15 days washout period before the subsequent treatment. In addition to the inflammatory and oxidative variables (us-CRP, fibrinogen, TBARS, HDL-c) the following characteristics were evaluated: demographic and socioeconomic profile, anthropometric variables, immunological and physical activity. Statistical analyzes were performed by the cross-over analyzes of variance (ANOVA) using the procedure pkcross in Stata version 11.0. The paired Student`s t-test was also utilized. A p value 0,05 was considered significant. Results: Patients were mostly male (63 per cent ), with a mean age of 45,0 years. The mean time of HIV/AIDS diagnosis was 13,3 (5±), with 10,7 (±5,1) years of ART. There was statistically significant difference when analyzed by ANOVA only for HDL-c (p = 0,05). However, comparing the variables in the baseline x dark chocolate by the paired Student`s t-test, there were increase in the HDL-c (p = 0,01) and decrease in the leukocyte (p = 0,01) and neutrophil (p = 0,02), and when compared the values of the variables between dark chocolate and placebo also there was statistically significant difference for HDL-c (p = 0,05), leukocyte (p = 0,01) and neutrophil (p = 0,03). Conclusion: This is the first clinical study that evaluated the effect of chocolate (cocoa) and mate tea (yerba mate) consumption on inflammatory and oxidative profile of individuals with HIV/AIDS on ART. In the present study, daily consumption of neither cocoa nor yerba mate for 15 days was sufficient to improve inflammatory and oxidative profile in this group of individuals, despite the increase in HDL-c and decrease of leukocyte and neutrophil values after consumption of dark chocolate. Such an outcome in this group of individuals can be distinguished due to its metabolism, which is altered not only by the infection, but also by the ART, the amount and bioavailability of flavonoids in supplements and timing of intervention.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2015-10-23
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.