• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.6.2018.tde-12042018-152652
Documento
Autor
Nome completo
Bruna Menegassi
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2018
Orientador
Banca examinadora
Jaime, Patrícia Constante (Presidente)
Canella, Daniela Silva
Mancuso, Ana Maria Cervato
Martins, Ana Paula Bortoletto
Santos, Ligia Amparo da Silva
Título em português
O ato de comer, a comensalidade, e a classificação NOVA de alimentos nas recomendações do Guia Alimentar para a População Brasileira: contribuições da pesquisa qualitativa
Palavras-chave em português
Classificação de Alimentos
Guias Alimentares
NOVA
Pesquisa Qualitativa
Práticas Alimentares
Recomendações Nutricionais
Resumo em português
Introdução - A segunda edição do Guia Alimentar para a População Brasileira ganhou proeminência no cenário nacional e internacional por apresentar algumas de suas recomendações baseadas na classificação NOVA de alimentos bem como no ato de comer e na comensalidade. Objetivo - Compreender o que pensam e fazem adultos brasileiros sobre a recomendação comer com regularidade e atenção, em ambientes apropriados e em companhia e conhecer o que pensam acerca da classificação NOVA. Métodos - Nesse estudo transversal e de natureza qualitativa selecionamos professores, técnicos administrativos e estudantes (n=24) da Universidade Federal da Grande Dourados, no Brasil. Conduzimos uma entrevista semiestruturada e duas atividades de classificação de alimentos também guiadas por entrevista; na primeira, por meio de técnica de pile sort, os participantes classificaram livremente, em grupos, um conjunto de 24 figuras de alimentos e bebidas (com exemplos dos quatro grupos da NOVA), na segunda, foi proposto que classificassem os mesmos alimentos de acordo com os nomes dos grupos da NOVA, dados a eles em um cartão de papel. Analisamos as entrevistas por análise de conteúdo; os dados da primeira atividade de classificação por escalonamento multidimensional seguidos de análise hierárquica de cluster; e os dados da segunda por escalonamento multidimensional. Resultados - Os participantes apresentaram em média 30 (±9,4) anos de idade. Alguns participantes entendem comer com regularidade como ter horário; e comer com atenção como sem distração, comer devagar e prestar atenção aos sinais do corpo. Outros entendem regularidade como equilíbrio e quantidade adequada; e atenção como observar as características dos alimentos e a quantidade dos alimentos. Em relação ao local apropriado para comer, a maioria o entende como à mesa, lugar agradável, sem interferências e lugar limpo. Em relação à pergunta sobre comer em companhia, o tema bom foi o mais recorrente, mas os temas prefiro sozinho(a) e indiferente também emergiram na análise. A análise da atividade de classificação livre resultou em seis agrupamentos, dos quais dois relacionaram-se a temas contrastantes como comida e bobagens, refeições e alimentos prontos, alimentos saudáveis e alimentos não saudáveis, consumo alimentar e restrição alimentar. A classificação NOVA de alimentos é compreendida pelos participantes em termos de processamento, produção e químicos. Os alimentos do grupo in natura ou minimamente processados e do grupo ultraprocessados foram compreendidos pela maioria dos participantes como pertencentes a tais grupos; já os alimentos do grupo de ingredientes culinários e do grupo de alimentos processados estiveram entre as suas dúvidas em relação à classificação NOVA. Conclusões - Os pensamentos dos participantes sobre o ato de comer e a comensalidade estão refletidos em algumas de suas práticas e vão ao encontro das recomendações do Guia; as suas compreensões acerca da classificação NOVA vão ao encontro do que essa quer comunicar. Esse é o primeiro passo para que o Guia logre êxito em suas recomendações. Esses resultados podem ser usados por pesquisadores brasileiros no sentido de otimizar a comunicação entre as recomendações do Guia e a comunidade-alvo a que se destinam; e por pesquisadores de outros países para aprimorar as recomendações de seus guias alimentares.
Título em inglês
The act of eating, the commensality and the NOVA food classification in the recommendations of the Dietary Guidelines for the Brazilian Population: contributions of the qualitative research
Palavras-chave em inglês
Food Classification
Food Guide
Food Practices
NOVA
Qualitative Research
Recommended Dietary Allowances
Resumo em inglês
Introduction - The second edition of the Dietary Guidelines for the Brazilian Population gained prominence in the national and international media by presenting some of its recommendations based on the NOVA food classification as well as on the act of eating and commensality. Objective - Understand what Brazilian adults think and do about the recommendation eating regularly and carefully, in appropriate environments and in company and know what they think about the classification NOVA. Methods - In this crosssectional qualitative research we selected a sample of teachers, administrative technicians and students (n = 24) from the Federal University of Grande Dourados, Brazil. We conducted a semi-structured interview and two food classification activities also guided by interview. In the first activity, using the pile sort method, the participants were asked to freely classify 24 pictures of food (sourced from examples of the four food groups specified in the NOVA) into food groups meaningful to them; in the second, it was proposed that they classify the same foods according to the names of the groups of the NOVA, given to them on a paper card. We analyzed the interviews by content analysis; the data of the first classification activity by multidimensional scaling followed by cluster hierarchical analysis; and the data of second classification activity by multidimensional scaling. Results - Participants in this study had an average age of 30 years (± 9.4 years). Some participants understand eating regularly as time to eat; and eating carefully as without distraction, eat slowly and pay attention to body signals. Others understand eating regularly as balance and proper quantity; and eating carefully as to observe the characteristics of food and the quantity of food. Most participants understand the appropriate enviroments to eat as eat at the table, enjoyable place, without interference and clean place. Regarding eating in company, the theme good was the most recurring, but the themes I prefer alone and indifferent also emerged in the analysis. The analysis of the free classification activity resulted in six clusters, of which two related to contrasting themes, such as real food and junk foods, meals and ready-made foods, healthy foods and unhealthy foods, consumed foods and restricted foods. The NOVA is understood by the participants in terms of processing, production and chemicals. The foods of the groups in natura or minimally processed and ultraprocessed were understood by the majority of participants as belonging to such groups; already the foods of the groups of culinary ingredients and processed foods were among their doubts regarding the classification NOVA. Conclusions - The participants' thoughts about "eating and commensality" are reflected in some of their practices and conform, with the recommendations of the Dietary Guidelines; their understandings of the NOVA classification are in line with what it wants to communicate. These are the first steps for the Dietary Guideline to succeed with its recommendations. These results can be used by Brazilian researchers in order to optimize the communication between the recommendations of the Guide and the target community for which they are intended; and researchers from other countries to improve the recommendations of their food guides.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Há arquivos retidos devido a solicitação (publicação de dados, patentes ou diretos autorais).
Data de Liberação
2020-04-11
Data de Publicação
2018-04-12
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.