• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.6.2014.tde-04112014-101809
Documento
Autor
Nome completo
Laísa Ribeiro Silva de Abreu
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2014
Orientador
Banca examinadora
Rondo, Patricia Helen de Carvalho (Presidente)
Canella, Daniela Silva
Leone, Claudio
Título em português
Composição corporal de recém-nascidos e de mães com diabetes mellitus gestacional e de recém-nascidos e mães com tolerância normal à glicose
Palavras-chave em português
Composição Corporal
Diabetes Mellitus Gestacional
Recém-Nascido
Resumo em português
Introdução - Em 2012, a Federação Internacional de Diabetes relatou haver no mundo mais de 371 milhões de pessoas diagnosticadas com Diabetes Mellitus. O Brasil ocupa o 3o lugar neste ranking, devido à urbanização crescente, inatividade física e ao aumento do consumo de alimentos com altas densidades energéticas, gordura saturada, açúcar e sal. O subgrupo de gestantes acometidas por Diabetes Mellitus Gestacional (DMG) (7,6 por cento ), ganha destaque, uma vez que sua incidência acompanha o aumento de sobrepeso e obesidade em mulheres em idade fértil. O ambiente intraútero está alterado nesta condição metabólica, sendo um fator determinante na deposição de gordura fetal. Por sua vez, a porcentagem de gordura corporal de recém-nascidos (RNs) de mães com DMG ultrapassa a faixa de normalidade, expondo a prole a riscos em curto e longo prazo. Objetivo - Comparar medidas antropométricas e composição corporal de RNs e mães portadoras de diabetes mellitus gestacional com as de RNs e mães com tolerância normal à glicose. Métodos - Este estudo caso-controle foi realizado no Hospital Municipal e Maternidade Escola Dr Mário de Moraes Altenfelder Silva - Vila Nova Cachoeirinha e comparou as composições corporais de 62 pares de RNs a termo e mães portadoras de DMG com as de 211 pares de RNs a termo e mães com tolerância normal à glicose (TNG), obtidas através de pletismografia por deslocamento de ar e bioimpedância segmentada, respectivamente. Para detectar diferenças estatisticamente significativas foram utilizados os testes T-Student e Chiquadrado (X²), considerando-se um nível de significância de 5 por cento . Resultados Não houve diferença estatisticamente significativa (p<0,05) entre RNs filhos de mães com DMG e de mães com TNG quanto ao peso ao nascer, porém observou-se, respectivamente, diferença significativa na porcentagem de gordura corporal (10,9 x 9 por cento , p=0,004), massa de gordura corporal (0,36 x 0,3kg, p=0,016), porcentagem de massa livre de gordura (89,2 x 91 por cento , p=0,01) e circunferência abdominal (32,8 x 31,2cm, p<0,001). Em relação às mães, detectou-se diferença estatisticamente significativa, respectivamente, quanto à idade da mãe (29 x 25,9 anos, p=0,001), porcentagem de gordura corporal (36,9 x 32,1 por cento , p<0,001), massa de gordura corporal (33,6 x 24,0 kg, p<0,001), massa livre de gordura (53,6 x 48,3, p<0,001), todas as composições segmentares de massa gorda e massa livre de gordura (p<0,001), ganho de peso durante a gestação (13,7 x 11,0 kg, p=0,022) e IMC pré-gestacional (30,4 x 25,3 kg/m2, p<0,001). Conclusão RNs de portadoras de DMG, embora possuam peso ao nascer semelhante aos RNs de mães com TNG, apresentam maior adiposidade corporal, e, portanto, um risco aumentado de desenvolverem doenças metabólicas e obesidade em diferentes fases da vida, realimentando o ciclo da epidemia de obesidade mundial.
Título em inglês
Body composition in newborns and mothers with gestational diabetes mellitus and newborns and mothers with normal glucose tolerance
Palavras-chave em inglês
Body Composition
Diabetes
Gestational
Newborn
Resumo em inglês
Introduction - In 2012, the International Diabetes Federation reported that there are more than 371 million people diagnosed with Diabetes Mellitus worldwide. Brazil ranks third due to increasing urbanization, physical inactivity and increased consumption of high energy density foods, saturated fat, sugar and salt. The subgroup of pregnant women affected by Gestational Diabetes Mellitus (GDM) (7.6 per cent ), gained prominence since its incidence follows the increase of overweight and obesity in reproductive age women. The intrauterine environment is altered in this metabolic condition, being determinant in fetal fat deposition. Meanwhile, the body fat percentage of infants born to mothers with GDM exceeds the normal range, exposing the offspring to short and long-term risks. Objective - Compare anthropometric measures and body composition in newborns and mothers with GDM with newborns of mothers with normal glucose tolerance. Methods - This casecontrol study was carried out at Dr Mario de Moraes Silva Altenfelder Municipal Maternity and Hospital and compared the body composition of 62 pairs of full-term newborns and mothers with GDM with 211 pairs of full-term newborn and mothers with normal glucose tolerance, obtained by air displacement plethysmography and segmented bioelectrical impedance, respectively. To detect statistically significant differences, the t-Student and Chi-square (X²) tests were used considering the significance level 5 per cent . Results - There was no significant difference in birth weight (p <0.05) between newborns of mothers with GDM and mothers with normal glucose tolerance, however a significant difference in the percentage of body fat (10.9 x 9 per cent , p = 0.004), body fat mass (0.36 x 0.3 kg, p = 0.016), percentage of fatfree mass (89.2 x 91 per cent , p = 0.01) and abdominal circumference (32.8 x 31.2 cm, p <0.001) was observed, respectively. Regarding the mothers, we detected a significant difference in mother's age (29 x 25.9 years, p = 0.001), percentage body fat (36.9 x 32.1 per cent , p <0.001), body fat mass (33.6 x 24.0 kg, p <0.001), fat-free mass (53.6 x 48.3, p <0.001), all segmental compositions of fat mass and fat-free mass (p <0.001), weight gain during pregnancy (13.7 x 11.0 kg, p = 0.022) and pre-pregnancy BMI (30.4 x 25.3 kg/m2, p <0.001). Conclusion - Although both groups of newborns have had similar birth weight, those of mothers with GDM had higher body fat and therefore an increased risk of developing metabolic diseases and obesity at different life stages feeding back the global obesity epidemic cycle.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2015-01-14
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.