• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.6.2012.tde-22012013-103810
Documento
Autor
Nome completo
Cláudia Renata dos Santos Barros
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2012
Orientador
Banca examinadora
França Junior, Ivan (Presidente)
Antunes, Jose Leopoldo Ferreira
Menezes, Paulo Rossi
Schraiber, Lilia Blima
Segurado, Aluisio Augusto Cotrim
Título em português
Fatores associados à realização do teste anti-HIV na população brasileira
Palavras-chave em português
Gênero
Teste anti-HIV
Vulnerabilidade
Resumo em português
Conhecer os motivos de busca de serviços para a realização do teste anti-HIV é umfator importante para a prevenção da aids entre a população geral. Apesar ddisponibilização de teste e aconselhamento gratuitos no Brasil, há lacunas quanto cobertura. Assim, este estudo estimou a associação entre fatores contextuais individuais e a realização do teste anti-HIV entre a população brasileira. Para isto, foram analisados dados de um inquérito domiciliar realizado com 4.760 moradorede regiões urbanas. A amostra final foi composta de 2.566 (51,9 por cento ) mulheres e 2.194(48,1 por cento ) homens que tinham iniciado a vida sexual. O modelo teórico foi baseado noquadro da vulnerabilidade e para efeito de análise as variáveis relativas às respostados indivíduos foram consideradas de nível individual (dimensão individual e sociada vulnerabilidade) e aquelas referentes ao município de moradia de nível contextual(dimensão social e programática da vulnerabilidade). As variáveis do nível individuaforam: características sociodemográficas e da saúde sexual e saúde reprodutivainformação sobre o tratamento de aids, conhecer alguém com aids e ter opiniõesobre práticas de segregação em relação às pessoas infectadas pelo HIV (questões que expressaram a atitude de apartação e exclusão do convívio social dos portadorede aids). Para o nível contextual, utilizamos o índice de desenvolvimento humano, prevalência de aids e a presença de Centro de Testagem e Aconselhamento no município de moradia. A variável dependente foi categorizada em não realizou teste, realizou por busca espontânea e realizou por solicitação. Para estimaçãdos fatores associados foram realizados três modelos de Poisson multinível deintercepto aleatório, sendo dois para mulheres (busca espontânea e por solicitação) 1 para homens (busca por solicitação); e um modelo de Poisson sem considerar osconglomerados para os homens (busca espontânea). Nos quatro modelos a categoriade referência da variável dependente foi não realizou o teste. No teste por buscaespontânea, observamos que os fatores associados que foram comuns entre mulheree homens foram do nível individual: idade, uso de preservativo na primeira ou núltima relação sexual, autopercepção de risco e conhecer alguém com aids. Asvariáveis associadas, a este tipo de teste, que foram diferentes entre os sexos foram:entre as mulheres no nível individual (ser solteira ou separada, início a vida sexual até 15 anos, ter tido três ou mais parceiros(as) sexuais na vida e ter informações sobre o tratamento para aids) e contextual (IDH alto e presença de CTA); entre os homens: somente do nível individual (ter ensino médio e superior e ser homo ou bissexual). Já na realização do teste por solicitação, as variáveis similares entre os sexos foram do nível individual (saber ler e escrever, ter filhos de até seis anos de idade, conhecer alguém com aids e ter informação sobre o tratamento de aids) e do contextual (presença de CTA no município de moradia). As variáveis associadas ao teste por solicitação, que foram diferentes entre os homens e as mulheres foram do nível individual: entre as mulheres (idade de 16 a 55 anos, ser casada ou em união consensual, início a vida sexual até 15 anos, uso de preservativo na primeira ou na última relação sexual e ter tido três ou mais parceiros (as) sexuais na vida) e do contextual (IDH alto no município de moradia). Entre os homens as variáveis do nível individual foram: idade entre 26 e 45 anos, ter tido DST na vida, sofrimento de violência sexual e não ter ideias de prática de segregação em relação à aids. Concluímos que o motivo de realização do teste ocorre mais frequentemente quando a epidemia é percebida como próxima. Concluímos também que, independentemente do sexo, a busca espontânea por teste se dá por fatores ligados à vulnerabilidade individual, ao passo que no teste solicitado agrega-se variável do plano programático. Concluímos que há marcadas diferenças de gênero, estando mulheres casadas e homens heterossexuais desprotegidos por não buscarem espontaneamente o teste anti-HIV. A realização do teste por solicitação é coerente com as estratégias da resposta brasileira à epidemia de HIV/Aids que prioriza a prevenção da transmissão vertical, a testagem quando da detecção de outra DST e na ocorrência de violência sexual
Título em inglês
Factors associated with testing for HIV in Brazilian population
Palavras-chave em inglês
Gender
HIV Testing
Vulnerability
Resumo em inglês
Understanding HIV test-seeking motivation is important to AIDS prevention in the general population. Although free counseling and testing are available, coverage gaps are found in Brazil. This study estimated contextual and individual factors associated with HIV testing among Brazilians. Data analysis was based on a household survey carried out with 4,760 residents of urban areas. The final sample corresponded to 2,566 (51.9 per cent ) women who had ever had sex and 2,194 (48.1 per cent ) men who had ever had sex. The vulnerability theoretical framework was developed to analyze variables regarded as being of individual level (individual and social dimensions of vulnerability), and those related to the city of residence were considered contextual level (social and programmatic dimensions of vulnerability). Individual level variables included socio-demographic characteristics, sexual and reproductive health, information on AIDS treatment, knowing someone with AIDS, and AIDS-related segregation ideas. Human development index (HDI), AIDS prevalence, and the presence of counseling and testing facilities in the city of residence were contextual level variables. Outcome was defined as not taking the test, client-initiated testing, and provider-initiated testing. Three multilevel Poisson models with random intercept were developed to estimate associated factors. Two models were estimated for women (client and provider-initiated testing) and one for men (provider-initiated testing), as well as one Poisson model excluding men clusters (client-initiated testing). Not taking the last HIV test was the reference category in all models. At the individual level, for both males and females, factors associated with client-initiated testing were: age between 26-35 years; inconsistent condom use; self-perception of risk; and knowing someone with AIDS. Different variables were associated with client-initiated testing for each sex. Among women the following variables were associated at the individual level: being single or divorced; first sexual debut until age of 15; having had three or more sexual partners; and information on AIDS treatment. The following were associated at the contextual level: high HDI; and presence of counseling and testing facilities. Among men only individual level variables were associated: high school and college education; and being homo or bisexual. As for provider-initiated testing there were some differences between the variables associated for each sex. For both sexes, some individual level variables were associated literacy, having children under 6 years old, knowing someone with AIDS, and information on AIDS treatment and one contextual variable presence of counseling and testing facility in the city of residence. As for gender differences in provider-initiated testing, the following were associated for women: at the individual level age between 16-55 years; being married or living with partner; first sexual experience under the age of 15; inconsistent condom use; and having had three or more sexual partners and at the contextual level high HDI of city of residence. As for men, the associated individual level variables were: age between 26-45 years; history of STD; being victim of sexual assault; and absence of AIDS-related segregation ideas. We conclude that HIV testing is more frequent among individuals who perceive AIDS epidemic as something familiar. We also conclude that client-initiated testing is associated with individual vulnerability and that provider-initiated testing is associated with programmatic vulnerability for both men and women. Test-seeking motivation is affected by gender inequality: married women and heterosexual men are unprotected as they present HIV testing-seeking behavior less frequently. Provider-initiated testing is in accordance with the Brazilian response to HIV/AIDS epidemic, which prioritizes HIV testing in strategies for preventing vertical transmission, and in the context of STD diagnosis and report of sexual violence
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
ClaudiaRenata.pdf (3.60 Mbytes)
Data de Publicação
2013-02-04
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.