• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.6.2006.tde-03112006-081338
Documento
Autor
Nome completo
Adriana Teixeira Rodrigues
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2006
Orientador
Banca examinadora
Tanaka, Ana Cristina D'Andretta (Presidente)
Souza, Jose Maria Pacheco de
Ventura, Gabriel Alberto Brasil
Título em português
Obesidade e o nascimento de bebês com fendas lábio-palatinas
Palavras-chave em português
Álcool/drogas
Defeitos do tubo neural
Fendas
Índice de massa corporal(IMC)
Má-formações
Raça
Resumo em português
Introdução - A incidência das fendas lábio – palatinas, é de 1 para cada 700 nascidos vivos na população mundial, trata-se de uma má-formação congênita que pode ocorrer devido a fatores endógenos ou exógenos. Objetivo – Relacionar o índice de massa corporal (IMC) materno com o nascimento de bebês com fendas. Métodos – Trata-se de um estudo tipo caso-controle. Foram incluídas 800 mães com idade entre 18 e 35 anos, que não apresentaram suspeita ou confirmação de diabete mellitus ou gravídica e bebês com peso entre 2.500 e 4.500 gramas nascidos entre a 37ª e a 42ª semana de gestação que não apresentaram nenhum outro tipo de deficiência que não a estudada. Para a coleta dos dados aplicou – se questionários a 400 mães de crianças normais distribuídas em quatro postos de saúde da cidade de Santo André (controles), e 400 mães de bebês com fendas labiais e/ou palatinas que estavam em tratamento no FUNCRAF, que é um centro especializado no tratamento da deformidade estudada, nesta mesma cidade (casos). Resultados - Entre os casos encontrou - se 148 (37,00%) mulheres com IMC acima de 26 e entre os controles foram 132 (33,00%). Com relação ao uso de álcool/drogas observou-se que 82 (20,50%) mulheres entre os casos e 58 (14,50%) no grupo controle eram usuárias. Duzentas e onze (52,70%) mães de bebês com fendas relataram ter histórico de má - formação na família dela ou do pai da criança. Este número foi de 103 (25,70%) no grupo controle. No grupo controle observou-se que 330 (82,50%) eram brancas ou pardas, 43 (10,75%) negras e 27 (6,70%) amarelas, entre os casos foram 294 (73,50%) brancas ou pardas, 65 (16,25%) negras e 40 (10,00%) amarelas. Conclusões - O IMC alto não esteve relacionado ao nascimento de bebês com fendas. Ter sido usuária de álcool/drogas no primeiro trimestre de gestação relacionou-se ao nascimento de crianças com a má-formação. O risco de surgimento desta deformidade foi 3,6 vezes maior quanto existiu histórico de qualquer má-formação familiar; a raça/etnia da mãe também apresentou associação com a presença de fendas, a raça branca é a menos associada seguida pela parda e negra e, finalmente pela amarela que foi a que apresenta maior associação.
Título em inglês
Cleft lips and palate and obesity
Palavras-chave em inglês
Alcohol/drugs
Body mass index(BMI)
Clefts
Malformations
Neural tube defects
Race
Resumo em inglês
Introduction – The incidence of cleft lips and palate is 1 to 700 live births in the world population, it is a congenital malformation that can happens due to endogens or exogenesis factors. Objectives – Association between maternal body mass index (BMI) and the risk of cleft lips or palate. Methods – That is a case – control study. We include 800 mothers between 18 and 35 years old without suspicious of gestational or preexisting diabetes and babies between 2,500 e 4, 000 g was born between the 37 and 42 pregnancy week without other congenital malformation that is not the studied. Some questions were asked for 400 normal children’s mothers from four health centers from Santo André (controls), and 400cleft lips or palate children’s mothers from FUNCRAF that is a health center just to treatment of this malformation, from Santo André (cases). Results – Among the cases we have 148 (37.00%) mothers with BMI above 26 and among the controls it was 132 (33.00%). About alcohol and drugs use we have 82 (20.50%) women among cases and 58 (14.50%) on control group. Two hundred eleven (52.70%) malformations children’s mothers declare to have malformation parental history against 103 (25.70%) on control group. On control group we have 330 (82.50%) white , 43 (10.75%) black and 27 (6.70%) yellow, among the cases 294 (73.50%) white, 65 (16.25%) black and 40 (10.00%) yellow. Conclusions – The increase of BMI is not likely to be a risk factor for clefts, the consumption of alcohol/drugs is a risk factor for this malformation; the risk is 3.6 times highest for clefts when there is malformation history; a racial association with clefts was observed, the white women presents the lowest association and the yellow presents the highest one.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
DISSETACAOPDF.pdf (1.18 Mbytes)
Data de Publicação
2006-11-21
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.