• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.6.2015.tde-16072015-183009
Documento
Autor
Nome completo
Doralice Severo da Cruz
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2015
Orientador
Banca examinadora
Frazão, Paulo (Presidente)
Antunes, Jose Leopoldo Ferreira
Bighetti, Tania Izabel
Narvai, Paulo Capel
Paschoal, Sergio Marcio Pacheco
Título em português
Aspectos epidemiológicos e sanitários relacionados à saúde bucal da população idosa
Palavras-chave em português
Doença Crônica
Doença Periodontal
Idosos
Perda de dente
Saúde Bucal
Resumo em português
O aumento da proporção de idosos na população e a alta prevalência de condições crônicas torna oportuno o estudo dos aspectos epidemiológicos e sanitários relacionados à saúde bucal dessa população a fim de preservar sua capacidade funcional. Para esse propósito, foram utilizadas publicações da literatura científica e dados do Estudo SABE Saúde Bem-Estar e Envelhecimento, uma ampla pesquisa longitudinal de base populacional, que teve início em 2000 e realizou dois campos em 2006 e 2010 acrescentando em cada um, uma nova coorte de idosos de 60 a 64 anos. O trabalho, estruturado em três seções, deu origem a três manuscritos apresentados na Parte II. O primeiro manuscrito mostrou que idosos com renda insuficiente, que utilizavam somente o Sistema Único de Saúde (SUS), fumantes e que apresentaram 14 ou mais dentes tinham mais chance de necessitar de cuidado odontológico. No segundo manuscrito, concluiu-se que os idosos com maior probabilidade de perda dentária eram homens; utilizavam duas próteses removíveis; avaliavam sua saúde bucal como regular ou ruim/muito ruim; e moravam sozinhos, independentemente da idade e do hábito de fumar. No terceiro manuscrito concluiu-se com base em uma revisão sistemática, que o diabetes mellitus Tipo 2 não controlado está associado à doença periodontal, falha de implantes dentários, maior prevalência de abscessos periapicais, xerostomia, síndrome da ardência bucal, candidíase e prognóstico ruim para carcinoma primário de gengiva. As evidências reunidas reforçaram a tese de que a auto avaliação da saúde bucal, as condições clínicas e os aspectos sociodemográficos, comportamentais, e de acesso a serviços de saúde bucal, estão relacionados com a necessidade de cuidado odontológico e o risco de perda dentária entre idosos dentados. Além disso, o Diabetes Mellitus Tipo 2 quando não controlado, contribui para a deterioração da saúde bucal. Assim, as condições desfavoráveis em que a população brasileira está envelhecendo do ponto de vista socioeconômico, com a permanência de hábitos nocivos à saúde, necessidade de maior acesso aos serviços de saúde bucal, e alta carga de condições crônicas levam a fragilização do estado de saúde dificultando a manutenção da capacidade funcional. O aumento da proporção de idosos na população exigirá abordagens em saúde bucal que levem em conta as especificidades do envelhecimento na perspectiva das multimorbidades. O manejo e o cuidado em saúde dessas pessoas deveria ser transdisciplinar, tendo em vista que em se tratando das pessoas idosas, vários campos disciplinares deveriam ser ativados e a equipe de saúde bucal deveria estar preparada para transitar por esses espaços de maneira a contribuir com seus conhecimentos para a produção de ações que evitem a perda da capacidade funcional e levem em conta os fatores de risco comuns para doenças crônicas, incluindo as doenças bucais. Com isso, impacto positivo na saúde dessa população poderia ser obtido, com menor custo e maior eficiência e efetividade quando comparado ao modelo de atenção às condições agudas e/ou a doenças específicas.
Título em inglês
Epidemiological and health aspects related to the oral health of the elderly population
Palavras-chave em inglês
Aged
Chronic Diseases
Oral Health
Periodontal Disease
Tooth Loss
Resumo em inglês
The increasing proportion of elderly in the population and the high prevalence of chronic diseases are desirable to study the epidemiological and health aspects related to oral health of this population in order to preserve their functional capacity. For this purpose, publications were used in the scientific literature and data from the study SABE - Health Wellness and Aging, a large longitudinal population based survey, which began in 2000 and held two fields in 2006 and 2010 adding in each one new cohort aged 60 to 64 years. The work is structured in three sections, has produced three manuscripts presented in Part II. The first manuscript showed that elderly people with insufficient income, which only used the Unified Health System (SUS), and smokers who had 14 or more teeth were more likely to need dental care. In the second manuscript, it was found that individuals with a higher probability of tooth loss were men; used two removable prostheses; assessed their oral health as fair or poor / very poor; and lived alone, regardless of age and smoking. In the third manuscript was concluded based on a systematic review, the diabetes mellitus uncontrolled type 2 is associated with periodontal disease, failure of dental implants, higher prevalence of periapical abscesses, dry mouth, burning mouth syndrome, candidiasis and poor prognosis for primary carcinoma of the gingiva. The evidence gathered reinforced the view that the self-assessment of oral health, clinical conditions and sociodemographic, behavioral, and access to oral health services are related to the need for dental care and the risk of tooth loss among dentate . In addition, Type 2 diabetes mellitus when not controlled, contributes to the deterioration of oral health. Thus, the unfavorable conditions in which the Brazilian population is aging the socioeconomic point of view, with the permanence of harmful health habits, need for greater access to oral health services, and high burden of non-communicable chronic diseases lead to weakening of state health hindering the maintenance of functional capacity. The increasing proportion of elderly in the population will require approaches in oral health that take into account the specificities of aging from the perspective of multimorbidities. The management and the health care of these people should be interdisciplinary, considering that in the case of older people, several disciplinary fields should be activated and the oral health team should be prepared to move through these spaces in order to contribute their knowledge for the production of actions to prevent loss of functional capacity and take into account the common risk factors for chronic diseases, including oral diseases. Thus, positive impact on the health of this population could be obtained at a lower cost and greater efficiency and effectiveness when compared to the model of care to acute and / or specific disease conditions.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2015-11-27
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.