• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
Documento
Autor
Nome completo
Antonio Cardozo dos Santos
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 1992
Orientador
Banca examinadora
Colacioppo, Sergio
Gomes, Jorge da Rocha
Larini, Lorival
Rosa, Henrique Vicente Della
Salgado, Paulo Eduardo de Toledo
Título em português
Efeitos renais crônicos em trabalhadores expostos ao chumbo e suas relações com a pressão arterial
Palavras-chave em português
Exposição ao Chumbo
Pressão Arterial
Resumo em português
Neste estudo, foram determinadas as atividades de duas enzimas de membrana: alanina-aminopeptidase (AAP) e Y-glutamil-transpeptidase (YGT) e da enzima lisossomal N-acetil-B-D-glucosaminidase (NAG), bem como os níveis de proteína total (PT), albumina (ALB) e ácido delta-aminolevulínico (ALA) em urinas de indivíduos expostos ocupacionalmente ao chumbo (grupo exposto) e de indivíduos não expostos ao chumbo e nem a outras substâncias químicas (grupo controle). Todos os indivíduos apresentavam creatinina sérica inferior a 1,5 mg/dL. Ao mesmo tempo foram determinados os níveis sangfiíneos de chumbo (Pb-S) e aferidas pressão arterial diastólica (PD) e pressa-o arterial sistólica (PS). O objetivo foi investigar a toxicidade renal crônica do chumbo e sua possível correlação com a pressão arterial em indivíduos com função renal normal. A mediana de chumbo no sangue no grupo controle foi de 11,5 pg/dL contra 36,8 pg/dL no grupo exposto, mostrando-se dependente do tempo de exposição (p < 0,001). O valor mediano da NAG-U corrigido pela creatinina foi mais alto no grupo exposto (31,74 U/g creatinina) e significativamente diferente do grupo controle (25,28 U/g creatinina), p < 0,001. A atividade NAG-U se correlacionou com o Pb-S (p < 0,001), tempo de exposição (p < 0,001) e ALA-U (p < 0,001), mas não houve correlação com a pressão arterial. Os demais indicadores de função renal, Y GT-U, AAP-U, PT-U e ALB-U não se mostraram mais elevados no grupo controle e nem mostraram correlação com o Pb-S, tempo de exposição ou pressão arterial. A pressão arterial diastólica foi maior no grupo exposto (83 mmHg contra 78 mmHg no grupo controle) mas não se observaram diferenças quanto à pressão sistólica. Observaram-se correlações das pressoes arteriais diastólica e sistólica com tempo de exposição (p < 0,001 e p < 0,05 ) e com chumbo no sangue (p < 0,05 e p < 0,05 ) respectivamente, enquanto somente a pressão diastólica se correlacionou com o ALA-U (p < 0,05).
Título em inglês
Chronic renal effects in workers exposed to lead and their relationship with blood pressure
Palavras-chave em inglês
Blood Pressure
Exposure to Lead
Resumo em inglês
In the present study we determined the activity of two renal tubule membrane enzymes: alanine-aminopeptidase (AAP) and Y-glutamyl-transpeptidase (YGT), and of the renal tubule lysosomal enzyme N-acetyl-B-D-glucosaminidase (NAG), as well as the levels of total protein (TP), albumin (ALB) and delta-aminolevulinic acid (ALA) in the urine of individuais occupationally exposed to lead (exposed group) and in individuais not exposed to lead or to any other chemical substances (control group). All individuais presented serum creatinine levels of less than 1.5 mg%. All subjects were also submitted to measurement of blood lead levels (B-Pb) and of diastolic and systolic arterial pressure. The objective was to investigate the chronic renal toxicity of lead and its possible correlation with arterial pressure in individuais with normal renal function. Median B-Pb levels were 11.5 pg/dL for the controls versus 36.8 Pg/dL for the exposed group, with the level being proportional to time o f exposure (p < 0.001). Median NAG-U values corrected for creatinine were higher in the exposed group (31.74 U/g creatinine) and significantly different from the control (25.28 U/g creatinine), p < 0.001. NAG-U activity was correlated with B-Pb (p < 0.001), time of exposure (p < 0.001) and ALA-U (p < O. 001), but not with arterial pressure. The remaining indicators of renal function, YGT-U, AAP-U, TP-U and ALB-U were not more elevated in the control group and were not correlated with B-Pb, time of exposure or arterial pressure. Diastolic arterial pressure was higher in the exposed group (83 mmHg versus 78 mmHg for the controls), but the two groups did not differ in systolic pressure. Diastolic and systolic pressure values were correlated with time of exposure (p < 0.001 and p < 0.05) and blood lead (p < 0,05 e 0,05) respectively but only diastolic pressure was correlated with ALA-U ( p < 0.05).
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-01-10
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2014. Todos os direitos reservados.