• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.6.2007.tde-20122007-160208
Documento
Autor
Nome completo
Luciana Yuki Tomita
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2007
Orientador
Banca examinadora
Cardoso, Marly Augusto (Presidente)
Koifman, Sergio
Monteiro, Carlos Augusto
Villa, Luisa Lina
Waldman, Eliseu Alves
Título em português
Consumo alimentar e concentrações séricas de micronutrientes: associação com lesões neoplásicas e câncer cervical
Palavras-chave em português
Antioxidantes
Câncer cervical
Câncer de colo uterino
Dieta
Micronutrientes séricos
Neoplasia intraepitelial cervical
Resumo em português
O câncer cervical é o segundo câncer mais comum entre as mulheres em todo o mundo. A infecção por Papilomavirus (HPV) do tipo oncogênico é causa necessária. Estudos internacionais sugerem importante papel de carotenóides e tocoferóis séricos e dietéticos na redução do risco para lesões precursoras, mas os resultados dos estudos prévios são inconsistentes. Indivíduos e métodos: O presente estudo de casos e controles de base hospitalar conduzido na cidade de São Paulo analisou a associação entre concentrações séricas de carotenóides (licopeno, β-caroteno), tocoferóis (α- e γ-), consumo alimentar e casos incidentes, com confirmação histopatológica, de neoplasia intraepitelial cervical (NIC) graus 1,2,3 e câncer cervical. O estudo incluiu 453 mulheres do grupo controle (sem lesões de colo uterino) e 4 grupos de casos (NIC1, n=140; NIC2, n=126; NIC3, n=231; câncer cervical, n=108) recrutadas em dois hospitais públicos de referência entre 2003 e 2005. Resultados. A concentração sérica de licopeno foi inversamente associada à NIC1, NIC3 e câncer cervical com os seguintes Odds Ratio (OR) (intervalo de confiança de 95%), respectivamente: 0,53 (0,27-1,00; p de tendência=0,05); 0,48 (0,22-1,04; p de tendência=0,05) e 0,18 (0,06-0,52; p de tendência=0,002) quando comparado o maior com o menor tercil após ajuste por variáveis de confusão e grupos de HPV. O maior tercil de β-caroteno sérico foi inversamente associado ao câncer quando comparado ao menor: OR ajustado = 0,36 (0,13-1,03: p de tendência=0,04). Maiores concentrações de α- e γ-tocoferóis foram inversamente associadas a NIC3 com redução do risco em 50%, após ajuste por covariáveis e HPV. Maior tercil de consumo do grupo de folhas verde-escuras, legumes e frutas de cor alaranjada ou amarela escura foi inversamente associado ao risco para NIC3: OR ajustado comparado ao menor foi 0,52 (0,27-1,00; p de tendência=0,05). Conclusão: Os resultados do presente estudo sugerem que maiores concentrações séricas de antioxidantes e o consumo de alimentos ricos em carotenóides podem reduzir o risco para NIC3 e câncer cervical em mulheres brasileiras.
Título em inglês
Diet and serum micronutrientes: association with cervical neoplasia and cancer
Palavras-chave em inglês
Antioxidants
Cervical cancer
Cervical dysplasia
Circulating micronutrients
Diet
Resumo em inglês
Cervical cancer is the second most common cancer in women worldwide. Human papillomavirus (HPV) infection has been recognized to be a necessary cause for cervical cancer. Serum concentrations and dietary carotenoids and tocopherols have been associated with the risk for cervical dysplasia, but results from previous studies were not consistent. Subjects and methods: In this hospital-based case-control study conducted in São Paulo city, Brazil, we evaluated the association of serum carotenoids (β-carotene, lycopene), tocopherols (α- and γ-), and dietary intakes with the risk of incident histologically confirmed cervical intraepithelial neoplasia (CIN) grades 1, 2, 3, and cervical cancer. The sample included 453 controls and four groups of cases (CIN1, n= 140; CIN2, n= 126; CIN3, n= 231; invasive cancer, n=108) recruited from two major public hospital-based clinics between 2003 and 2005. Results. Concentrations of serum lycopene were negatively associated with CIN1, CIN3 and cancer, with odds ratio (OR) (95% confidence interval) for the highest compared with the lowest tertile of 0.53 (0.27-1.00, p trend=0.05) for CIN1, 0.48 (0.22-1.04, p trend=0.05) for CIN2 and 0.18 (0.06-0.52, p trend= 0.002) for cervical cancer adjusted for confounding variables and HPV status. The adjusted OR for cancer of the highest versus the lowest tertile of serum β-carotene was 0.36 (0.13-1.03, p trend= 0.04). Increasing concentrations of serum α- and γ-tocopherols were associated with 50% decreasing risk of CIN3, for the women in the highest compared with the lowest quartile after adjusting for confounding variables and HPV. Increased dietary intakes of dark green and deep yellow vegetables and fruits were inversely associated with CIN3 among women in the highest compared to the lowest tertile (adjusted OR= 0.52, 95%CI = 0.27-1.00; p trend=0.05). Conclusion: These results support the evidence that high serum levels of antioxidants as well as dietary intakes may reduce the risk for CIN3 and invasive cancer in Brazilian women.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2008-01-21
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.