• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.6.2018.tde-15052018-115107
Documento
Autor
Nome completo
Nicolina Silvana Romano Lieber
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 1990
Orientador
Banca examinadora
Iversson, Lygia Busch (Presidente)
Guimarães, Maria Carolina Soares
Nitrini, Sandra Maria Ottati de Oliveira
Título em português
Uso de teste imunoenzimático na vigilância epidemiológica de arboviroses
Palavras-chave em português
Anticorpos (pesquisa)
Arbovírus
ELISA
Flavivírus
Insetos Vetores
Mosquitos
Padrão Alimentar para Animal
Reservatórios de Doenças
Técnicas Imunoenzimáticas
Resumo em português
Realizou-se revisão bibliográfica sobre a utilização do teste imunoenzimático, ELISA (enzyme-linked immunosorbent assay) na Vigilância Epidemiológica de infecções causadas por arbovírus da Família Flaviviridae, gênero Flavivirus e da Família Togaviridae, gênero Alphavirus. Foram consultados trabalhos publicados a partir de 1979, ano da introdução do teste em pesquisas de arboviroses. Observou-se que o teste tem sido empregado na pesquisa de anticorpos em humanos, de anticorpos e antígenos em reservatórios não humanos e na identificação de antígenos e da fonte alimentar de mosquitos vetores. Analisou-se o desempenho de ELISA comparando-o a técnicas tradicionalmente empregadas para identificação de anticorpos e antígenos de arbovírus. O teste apresentou 100,0 por cento de sensibilidade e especificidade média de 84,5 por cento na identificação de anticorpos anti-Alphayirus em humanos. A técnica também foi muito sensível para Flavivirus, com valor médio de 95,2 por cento e apresentou especificidade média de 77,6 por cento. Na identificação de anticorpos anti-arbovírus em resevatórios não humanos, ELISA mostrou sensibilidade de 100,0 por cento e especificidade de 97,4 por cento. Na pesquisa de antígenos vir ais em mosquitos vetores a técnica apresentou especificidade média de 93,6 por cento e sensibilidade média de 76,5 por cento. A técnica apresentou alto valor preditivo positivo, o que foi observado quando calculou-se a média dos valores apresentados em cada um dos trabalhos em que esse parâmetro foi pesquisado e obteve-se um resultado de 89,0 por cento. Nos trabalhos em que foi estudada a reprodutibilidade do teste observou-se coeficiente de variação de 3,0 a 14,0 por cento nos resultados. Observou-se grande diversidade quanto aos critérios de positividade adotados, impossibilitando a comparação dos resultados. Notou-se uma tendência a encurtar o tempo de realização do teste e torná-lo factível em condições de trabalho de campo. Verificou-se que o teste já está incorporado à rotina da Vigilância Epidemiológica de algumas arboviroses como encefalite Japonesa nos países asiáticos e encefalites do Leste, Oeste e de St.Louis, nos Estados Unidos da América. Os autores estudados foram unânimes em concluir que trata-se de teste rápido, apresenta simplicidade dos procedimentos técnicos e permite diagnóstico presuntivo de infecção aguda com apenas uma amostra de soro, características que o capacitam para uso na Vigilância Epidemiológica de arboviroses.
Título em inglês
Not available
Palavras-chave em inglês
Not available
Resumo em inglês
The author makes a review of the use of enzyme-linked immunosorbent assay, ELISA, in the surveillance of infections caused by arbovirus belonging to the Flaviviridae family (genus Flavivirus) and to the Togaviridae family (genus Alphavirus). Publications dating since 1979, when the use of ELISA in arbovirus research began, were consulted. It was noted that this assay was used for antibody identification on not human reservoirs, and for antigen and blood meal identification on mosquito vectors. ELISA's perfomance was compared to standard tests used for laboratorial diagnosis of arboviruses. The test presented 100.0 per cent sensitivity and an average specificity of 84.5 per cent in Alphavirus antibody identification in humans; and was also sensitive for Flavivirus with average values of 95.2 per cent and specificity average values of 77.6 per cent. ELISA furthermore showed 100.0 per cent sensitivity and 97.4 per cent specificity for antibody identification in not human reservoirs. For the antigen identification in mosquito vectors, the assay presented an average specificity of 93.6 per cent and an average sensitivity of 76.5 per cent. The immunoassay presented high predictive values (average of 89.0 per cent) and it was reproducible when this characteristic was studied with a coefficient variation index ranging from 3.0 to 14.0 per cent There was a great variety in the positivity criteria, making the comparison of results difficult. An attempt to process the test in the shortest time and in field conditions is noted in many publications. The assay is used routinely on surveillance of Japanese encephalitis in Asian countries and in eastern and western equine encephalitis and St.Louis encephalitis in the USA. ELISA was considered a rapid assay with sirnple procedures when it is cornpared to tradicional tests and provides presuntive diagnosis of an acute infection with a single serurn sarnple. These characteristics suggest that the test is a useful tool for arbovirus surveillance.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-05-15
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.