• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.6.2014.tde-07012015-083510
Documento
Autor
Nome completo
Iracema Ioco Kikuchi Umeda
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2014
Orientador
Banca examinadora
Souza, Jose Maria Pacheco de (Presidente)
Cesar, Chester Luiz Galvao
Cipriano Junior, Gerson
Menezes, Paulo Rossi
Serrano Junior, Carlos Vicente
Título em português
Teste de caminhada de seis minutos como preditor de morbidade e mortalidade cardiovascular em pacientes após infarto agudo do miocárdio
Palavras-chave em português
Caminhada
Infarto do Miocárdio
Prognóstico
Teste de Esforço
Resumo em português
Introdução: O teste de caminhada de seis minutos (TC6M) é um teste muito utilizado para avaliar as condições de saúde de idosos e saudáveis, bem como pacientes com doenças pulmonares e cardiovasculares. Porém, poucos são os relatos na literatura científica habitual sobre a utilização do teste de caminhada de seis minutos para avaliar a morbidade e mortalidade de pacientes após infarto agudo do miocárdio (IAM). Objetivo: O objetivo deste estudo foi verificar se o TC6M tem valor preditivo para morbidade e/ou mortalidade cardiovascular após IAM. Queremos verificar o ponto de corte da distância no TC6M para síndrome coronariana aguda, insuficiência cardíaca, re-hospitalização ou óbito por causa cardiovascular. Método: Trata-se de um estudo observacional, no qual se utilizou análise de prontuários, contato telefônico, correio e SIM (Sistema de Informação de Mortalidade da Secretaria de Saúde) de pacientes com diagnóstico de IAM não complicado que realizaram o TC6M antes da alta hospitalar. Desfechos observados: síndrome coronariana aguda, insuficiência cardíaca, acidente vascular cerebral, re-hospitalização e óbito por causa cardiovascular. A coleta de dados se deu no Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia, por meio de análise de prontuário e foram incluídos no estudo, os pacientes com diagnóstico de IAM não complicado que realizaram o teste de caminhada de seis minutos antes da alta hospitalar. Para análise estatística foram utilizados: correlação de Pearson ou Spearman, teste t de Student ou Mann-Whitney e ANOVA ou teste de Kruskall Wallis para analisar os efeitos das características físicas e clínicas dos pacientes analisados na distância percorrida no TC6M. Estas características e a distância percorrida foram avaliadas nos desfechos, ao longo de tempo, observando a curva de viii sobrevivência de Kaplan-Meier ou a sobrevivência em média de Cox, a significância dos efeitos foi testada por teste de log-rank ou pelo modelo de riscos proporcionais de Cox, respectivamente. Também foi ajustado um modelo de sobrevivência de Cox final para avaliar o efeito de todas as co-variáveis juntamente presentes no desfecho. Na análise múltipla foi utilizado o método de seleção de variáveis forward para selecionar as variáveis mais associadas à sobrevida. O tamanho dos efeitos, quando significativos, foi medido pela odds ratio (OR). Resultados: Foram incluídos 234 pacientes, 173(73,9 por cento ) do sexo masculino, 57,18 (10,35) anos, 103(44 por cento ) IAM anterior, 182 (77,8 por cento ) Killip I, 190 (81,2 por cento ) com terapia de reperfusão e fração de ejeção do ventrículo esquerdo de 49,99 (10,14) por cento . Foram observados 89 (38,03 por cento ) pacientes com pelo menos um desfecho adverso, sendo 18 (8,1 por cento ) óbitos por causa cardiovascular num período de seguimento médio de 1.355,47 (777,53) dias. A distância do TC6M não se associou à ocorrência dos desfechos adversos, porém à ocorrência de óbito, resultando dois modelos: a) metragem do primeiro quartil (370,5 m) (OR = 2,737; p = 0,046), índice de percepção de esforço (IPE) de Borg (OR = 1,380; p = 0,020) e saturação periférica de oxigênio (SpO2) < 90 por cento (OR = 2,326; p = 0,103); b) metragem do teste de log rank (232 m) (p = 0,036; OR = 3,459), índice de Borg (OR = 1,351; p = 0,044) e SpO2 < 90 por cento (OR = 2,936; p = 0,030). A metragem e a SpO2 também se associaram à pior sobrevida ao longo do tempo: modelo 1) IPE Borg (OR = 1,334; p = 0,041, SpO2 < 90 por cento (OR = 2,675; p = 0,067) e a distância de 370,5m (OR = 2,882; p = 0,042) e modelo 2: SpO2 < 90 por cento (OR = 4,193; p=0,004) e distância de 232m (OR = 5,014; p=0,005). Numa análise do comportamento da FC, SpO2 e PS e PD ao longo do tempo no TC6M entre os grupos óbito e não óbito foram observadas diferenças significantes apenas da FC (p < 0,0001) e SpO2 (p < 0,0001). Conclusão: Na amostra estudada, a distância e a SpO2 < 90 por cento no TC6M se associaram ao óbito e à pior sobrevida em pacientes após IAM não complicado.
Título em inglês
Morbidity and mortality predictor of six minute walk test after acute myocardial infarction patients
Palavras-chave em inglês
Myocardial Infarction
Prognosis
Six Minute Walk Test
Stress Test
Resumo em inglês
Background: The six-minute walk test (6MWT) is a test used to assess the prognosis of patients with heart failure, chronic obstructive pulmonary disease and health status of the elderly. However, there are few reports in the scientific literature about the use of this test as a tool to assess the prognosis after acute myocardial infarction (AMI) patients. The aim of this study is to assess the prognostic value of the 6MWT in AMI patients. We also intend to point out whether there is a minimum distance in the 6MWT that defines a group of patients with worse prognosis, i.e, in the occurrence of death, re-infarction, or heart failure re-hospitalization from cardiovascular causes. Methods: This is an observational study for which we used analysis of medical records, telephone contact, mail and SIM (Mortality Information System of the Department of Health) of uncomplicated AMI patients who underwent 6MWT before hospital discharge. Observed outcomes: acute coronary syndrome, heart failure, stroke,re-hospitalization and cardiovascular death. Data collection has taken place at the Institute Dante Pazzanese of Cardiology, with analysis of medical records and has be included patients with uncomplicated AMI who underwent 6MWT before discharge. Statistical analysis: we used Pearson or Spearman correlation, Student's t test or Mann-Whitney test and ANOVA or Kruskal Wallis test to analyze the effects of physical and clinical characteristics in 6MWT distance. Such characteristics and the 6MWT distance were evaluated in outcomes over time, observing the Kaplan-Meier survival curve or the average survival by Cox, the significance of the effects was tested by log-rank test or the Cox proportional hazards model, respectively. It was also set a Cox survival x model to assess the effects of all covariates together present in the outcomes. We used selection of forward variables for multivariate analysis to select the variables most associated with survival. The size of the effects was measured by odds ratio (OR). Results: We included 234 patients, 173(73,9 per cent ) males, 57.18 (10.35) years old, 103(44 per cent ) anterior AMI, 182 (77.8 per cent ) Killip I, 190 (81.2 per cent ) with reperfusion therapy and left ventricular ejection fraction = 49.99 (10.14) per cent . We observed 89 (84.03 per cent ) patients with cardiovascular outcomes and 18 (8.1 per cent ) deaths for 1,355.47 (777.53) days of follow up. There was no association between the 6MWT distance and the combined endpoints. We observed association with 6MWT distance and death, resulting two models: a) distance of first quartile (370.5 m) (OR = 2.737, p = 0.046), Borg scale of perceived exertion (SPE) (OR = 1.380, p = 0.020) and oxygen saturation (SpO2) <90 per cent (OR = 2.326, p = 0,103); b) distance of the log rank test (232 m) (OR = 3.459, p = 0.036), Borg SPE (OR = 1.351, p = 0.044) and SpO2 <90 per cent (OR = 2.936, p = 0.030). The distance and the SpO2 were also associated with poor survival over time: model 1) Borg SPE (OR = 1.334, p = 0.041, SpO2 <90 per cent (OR = 2.675, p = 0.067) and 6MWT distance = 370.5 m (OR = 2.882, p = 0.042) and model 2: SpO2 <90 per cent (OR = 4.193, p = 0.004) and 6MWT distance = 232m (OR = 5.014, p = 0.005). In comparison with death group and survival group, there was a significant difference in HR (p <0.0001) and SpO2 (p <0.0001) overtime. Conclusion: The distance and SpO2 < 90 per cent in 6MWT were associated with death and worse survival conditions in patients after uncomplicated AMI.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2015-01-13
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.