• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.59.2019.tde-04012019-154026
Documento
Autor
Nome completo
Diego Monteiro von Schimonsky
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2018
Orientador
Banca examinadora
Bichuette, Maria Elina (Presidente)
Araújo, Marcel Santos de
Brescovit, Antonio Domingos
Fernandes, Marcelo Adorna
Rheims, Cristina Anne
Título em português
Análise taxonômica, cladística e biogeográfica de Spelaeochernes Mahnert, 2001 (Arachnida, Pseudoscorpiones, Chernetidae)
Palavras-chave em português
Aracnídeos
Caverna
Filogenia pseudoescorpião
Pseudoescorpião
Sistemática
Taxonomia
Troglóbio
Resumo em português
Dentre as ordens de Arachnida, Pseudoscorpiones é a quarta mais diversa. Os organismos deste grupo se assemelham aos escorpiões superficialmente, porém não possuem uma cauda com agulhão e são bem menores, com tamanhos variando entre 0,5 mm a 1,0 cm. São animais relativamente comuns e com hábitos criptobióticos, podendo ser encontrados em diferentes habitats, inclusive cavernas. A família Chernetidae é a mais diversa com cerca de 690 espécies ao redor do globo e contém o gênero Spelaeochernes Mahnert, 2001, descrito com oito espécies para mais de 100 cavernas ao longo do território brasileiro. Foi realizada uma análise filogenética do gênero Spelaeochernes, bem como uma análise biogeográfica, além da elucidação sobre a obrigatoriedade deste gênero no ambiente subterrâneo. A partir do estudo morfológico, foi verificada a ocorrência de uma nova espécie para o gênero, com a descrição desta. Ainda, foram elencados caracteres contínuos, merísticos e caracteres discretos para a realização das análises filogenéticas. Estas foram realizadas com todas as espécies de Spelaeochernes (9), mais espécies de Epichernes Muchmore, 1982, Hesperochernes Chamberlin, 1924, Neochelanops Beier, 1964, Maxchernes Feio, 1960, Austrochernes Beier, 1932 e Tuberochernes Muchmore, 1997, todas Chernetidae, como grupo interno e duas espécies de Progarypus Beier, 1931 (Olpiidae), como grupo externo, totalizando 18 táxons terminais e 71 caracteres. Ainda, foi mapeada a distribuição de Spelaeochernes e, a partir da análise biogeográfica, verificou-se que algumas espécies compõem e reforçam áreas de endemismo já propostas, enquanto outras espécies, com distribuições mais amplas, podem representar espécies crípticas. Spelaeochernes não foi recuperado como monofilético, é um gênero com caracteres conservativos e faz-se necessário estudos morfológicos aprofundados, principalmente na anatomia interna e moleculares para delimitar espécies crípticas. Este gênero tem relação com Austrochernes da Australasia e Hesperochernes do Neártico, ambos com ocorrência no ambiente subterrâneo. Ainda Spelaeochernes pode representar um relicto gonduânico. Foi verificado que a ocorrência deste gênero é exclusiva do ambiente subterrâneo e, portanto, foi considerado aqui como troglóbio. Por fim, as espécies deste gênero já se encontram sob ameaça devido diferentes impactos (e.g. mineração, hidrelétricas, agronegócio, turismo), especialmente em áreas não protegidas legalmente, onde a maioria das cavernas brasileiras ocorre
Título em inglês
Taxonomic, cladistic and biogeographical analysis of Spelaeochernes Mahnert, 2001 (Arachnida, Pseudoscorpiones, Chernetidae)
Palavras-chave em inglês
Arachnids
Cave
Phylogeny
Pseudoscorpion
Systematics
Taxonomy troglobite
Resumo em inglês
Among the Arachnida order, Pseudoscorpiones is the fourth more diverse. These organisms resemble scorpions morphologically, but they don´t have a tail with a needle and they are much smaller in size, ranging from 0.5 mm to 1.0 cm. They are relatively common and they have cryptobiotic habits, being able to be found in different habitats, including caves. The Chernetidae family is the most diverse with about 690 species around the world, and contains the genus Spelaeochernes Mahnert, 2001, described with eight species for more than 100 caves along the Brazilian territory. A phylogenetic analysis of Spelaeochernes was carried out, as well as a biogeographical analysis, besides the elucidation about the mandatory occurrence of this genus in the subterranean environment. From the morphological study the occurrence of a new species for the genus was verified with subsequent description of it. Also, continuous, meristic characters and discrete characters were included in the phylogenetic analysis. These analyses were made with all species of Spelaeochernes (9), and other species of Epichernes Muchmore, 1982, Hesperochernes Chamberlin, 1924, Neochelanops Beier, 1964, Maxchernes Feio, 1960, Austrochernes Beier, 1932 e Tuberochernes Muchmore, 1997, all Chernetidae, as ingroup and two species of Progarypus Beier, 1931 (Olpiidae) as outgroup, with 18 terminal taxa and 71 characters. Furthermore, the distribution of this species was mapped and based on the biogeographical analysis. It was verified that some species compose and reinforce areas of endemism already proposed, while other species with wider distributions may represent cryptic species. Spelaeochernes was not recovered as monophyletic, it is a genus with conservative characters and molecular studies are necessary to delimit cryptic species. This genus is related to Austrochernes from Australasia and Hesperochernes from the Nearctic that also occur in the subterranean environment. Spelaeochernes may still represent a Gondwanan relict. It was verified that the occurrence of this genus is unique to the subterranean environment and, therefore, it was considered here as a troglobite. Finally, species of this genus are already under threat due to different impacts (e.g. mining, hydroelectric powerplants, agribusiness, tourism), especially in non-legally protected areas, where most Brazilian caves occur
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Há arquivos retidos devido a solicitação (publicação de dados, patentes ou diretos autorais).
Data de Liberação
2021-02-07
Data de Publicação
2019-03-26
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.