• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
Documento
Autor
Nome completo
Regiane Sbroion de Carvalho
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2011
Orientador
Banca examinadora
Silva, Ana Paula Soares da (Presidente)
Castro, Lucia Rabello de
Serrão, Maria Isabel Batista
Título em português
Participação infantil: reflexões a partir da escuta de crianças de assentamento rural e de periferia urbana
Palavras-chave em português
Escuta de crianças
Participação Infantil
Rede de Significações
Resumo em português
A participação infantil tem se constituído como importante área de investigação por discutir a inserção e as possibilidades de ações das crianças nos espaços por elas vivenciados. A compreensão mais difundida da participação infantil refere-se ao direito de a criança expressar suas opiniões e intervir nas decisões a respeito de todos os serviços que têm algum impacto sobre elas. No presente trabalho, de maneira alinhada à perspectiva teórico-metodológica da Rede de Significações, ampliamos tal compreensão ao considerar que, nas interações sociais, necessariamente ocorre a participação de todas as pessoas envolvidas, mesmo que estas assumam ou que lhes sejam atribuídas posições que poderíamos chamar de mais passivas. A participação, nessa perspectiva, apresenta-se como uma característica das interações contrapondo-se a uma polarização frequentemente encontrada em estudos sobre o tema, que classificam as relações infantis como participativas ou não participativas. O objetivo da presente pesquisa consiste em compreender as formas de participação cotidiana de crianças de sete a dez anos de um Assentamento rural vinculado ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra MST e de periferia urbana, ressaltando as possibilidades e limitações de ação em suas interações, bem como compreender algumas das significações construídas pelas crianças sobre suas possibilidades de ação nos contextos. Os instrumentos de pesquisa foram: (1) diário de campo; (2) questionário socioeconômico; (3) fotografias realizadas pelas crianças sobre seu cotidiano; (4) entrevistas individuais baseadas nas fotos. A partir dos relatos das ações cotidianas das crianças nos diversos espaços em que circulam, notadamente a família, a escola e a comunidade, identificamos cinco formas de participação: (1) Colaboração, (2) Acompanhamento, (3) Influência, (4) Submissão e (5) Resistência. Cada uma dessas formas de participação materializa-se nas interações e atividades desenvolvidas pelas crianças com abrangências particulares. As atividades realizadas evidenciam a importância da criança na organização e estruturação de seus grupos, principalmente na família e na escola. Já nas relações estabelecidas destaca-se a complexidade dessas relações, que ora se configuram como espaços de consideração e de escuta da criança, ora como momentos de imposição da vontade do outro sobre elas, como em situações em que sofrem violências. Além disso, foi possível compreender a posição central assumida, muitas vezes, pelas crianças ao resolverem conflitos com outras crianças, ou ao resistirem a situações com as quais não concordam ou em que têm seus direitos violados. Os relatos sobre a participação cotidiana das crianças nos possibilitam compreender sua inserção social como um processo complexo e multifacetado, problematizando abordagens sobre o tema que reduzem esse conceito à promoção de espaços e atividades de escuta e de consideração das crianças.
Título em inglês
Childrens Participation: reflections from listening to children from a rural settlement and from urban suburbs.
Palavras-chave em inglês
Childrens participation
Listening to children
Net of Meanings.
Resumo em inglês
Childrens participation has become an important research area by discussing childrens insertion and their possibilities of action in spaces where they live. The most widespread comprehension of childrens participation refers to the childrens right to express their opinions and to interfere in decisions related to all services that have any impact on them. In this work, aligned to the theoretical and methodological perspective of the Net of Meanings, we extend such comprehension considering that, in social interactions, the participation of all the people involved necessarily occurs, even if these people assume or when positions that we could call more passive are attributed to them. Participation, in this perspective, appears as a characteristic of interactions, in contrast with a polarization often found in studies on the subject that classify childrens relations as participative or non-participative. The objective of this research consists in comprehending the forms of everyday participation of 7-10 year old children from a rural Settlement linked to the Landless rural Workers Movement (MST) and from urban suburbs, highlighting the possibilities and limitations of action in their interactions, as well as comprehending some of the meanings constructed by children about their possibilities of action in the contexts. The research instruments were: (1) field diary, (2) socioeconomic questionnaire, (3) photos taken by children about their everyday lives and (4) individual interviews based on the pictures. From the reports of children about their everyday actions in the various spaces where they circulate, especially family, school and community, we identified five forms of participation: (1) Collaboration, (2) Monitoring, (3) Influence, (4) Submission and (5) Resistance. Each one of these forms of participation materializes in interactions and activities, with particular ranges, developed by children. The activities carried out by children evidence the importance of the child in the organization and structuration of their groups, principally of family and school. The complexity of the established relationships is emphasized. These relationships are sometimes configured as spaces of consideration and of listening to the children, and sometimes as moments of imposition of others wills upon them, as in situations in which they suffer violence. Furthermore, it was possible to understand the central position frequently assumed by children when they solve conflicts with other children, or when they resist to situations with which they do not agree or have their rights violated. The reports about childrens everyday participation enable us to understand their social insertion as a complex and multifaceted process, problematizing approaches to the theme that normally reduce this concept to the promotion of spaces and activities of listening and consideration of children.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Dissertacao.pdf (3.28 Mbytes)
Data de Publicação
2011-10-31
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2014. Todos os direitos reservados.