• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.59.2008.tde-08102008-013413
Documento
Autor
Nome completo
Danilo Ramos
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2008
Orientador
Banca examinadora
Bueno, Jose Lino Oliveira (Presidente)
Bairrao, Jose Francisco Miguel Henriques
Carrasco, Claudiney Rodrigues
Ilari, Beatriz Senoi
Santos, Manoel Antonio dos
Título em português
Fatores emocionais durante uma escuta musical afetam a percepção temporal de músicos e não-músicos?
Palavras-chave em português
Cognição musical
Emoções musicais
Expertise musica
Percepção temporal
Resumo em português
RAMOS, Danilo. Fatores emocionais durante uma escuta musical afetam a percepção temporal de músicos e não músicos? 2008, 268 p. Tese (Doutorado). Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2008. Esta pesquisa teve como objetivo verificar o papel das emoções desencadeadas pela música na percepção temporal de músicos e não músicos. Quatro experimentos foram realizados: no Experimento I, músicos e não músicos realizaram tarefas de associações emocionais a trechos musicais de 36 segundos de duração, pertencentes ao repertório erudito ocidental. A tarefa consistia em escutar cada trecho musical e associá-lo às categorias emocionais Alegria, Serenidade, Tristeza, Medo ou Raiva. Os resultados mostraram que a maioria dos trechos musicais desencadeou uma única emoção específica nos ouvintes; além disso, as associações emocionais dos músicos foram semelhantes às associações emocionais dos não músicos para a maioria dos trechos musicais apresentados. No Experimento II, músicos e não músicos realizaram tarefas de associação temporal aos trechos musicais mais representativos de cada emoção, utilizados no Experimento I. Assim, os trechos musicais eram apresentados e os participantes deveriam associar cada um deles a durações de 16, 18, 20, 22 ou 24 segundos. Os resultados mostraram que, para o grupo Músicos, os três trechos musicais associados à Tristeza foram subestimados em relação às suas durações reais; nenhuma outra categoria emocional apresentou mais do que um trecho musical sendo subestimado ou superestimado em relação a suas durações reais, para ambos os grupos. Pesquisas recentes em Psicologia da Música têm mostrado duas propriedades estruturais como sendo moduladoras da percepção de emoções específicas durante uma escuta musical: o modo (organização das notas dentro de uma escala musical) e o andamento (número de batidas por minuto). Assim, no Experimento III, músicos e não músicos realizaram tarefas de associações emocionais a composições musicais construídas em sete modos (Jônio, Dórico, Frígio, Lídio, Mixolídio, Eólio e Lócrio) e três andamentos (adágio, moderato e presto). O procedimento foi o mesmo utilizado no Experimento I. Os resultados mostraram que o modo musical modulou a valência afetiva desencadeada pelos trechos musicais: trechos musicais apresentados em modos maiores obtiveram índices positivos de valência afetiva e trechos musicais apresentados em modos menores obtiveram índices negativos de valência afetiva; além disso, o andamento musical modulou o arousal desencadeado pelos trechos musicais: quanto mais rápido o andamento do trecho musical, maiores os níveis de arousal desencadeados e vice-versa. No Experimento IV, músicos e não músicos realizaram tarefas de associação temporal aos trechos musicais modais utilizados no Experimento III. O procedimento foi o mesmo utilizado no Experimento II. Os resultados mostraram que manipulações, principalmente no arousal, afetaram a percepção temporal dos ouvintes: para ambos os grupos, foram encontradas subestimações temporais para trechos musicais desencadeadores de baixos índices de arousal; além disso, para o grupo Não Músicos, foram encontradas superestimações temporais para trechos musicais desencadeadores de altos índices de arousal. Estes resultados mostraram que, no caso dos músicos, a percepção temporal foi afetada por atmosferas emocionais relacionadas à Tristeza; no caso dos Não Músicos, a percepção temporal foi afetada por fatores relacionados ao nível do arousal dos eventos musicais apreciados.
Título em inglês
Do emotional factors during music listening tasks affect time perception of musicians and nonmusicians?
Palavras-chave em inglês
Music Cognition
Musical emotions
Musical Expertise
Temporal Perception
Resumo em inglês
RAMOS, Danilo. Do emotional factors during music listening tasks affect time perception of musicians and nonmusicians? 2008, 268 pages. Thesis (PhD). Faculty of Philosophy, Sciences and Letters of Ribeirão Preto. University of São Paulo, Ribeirão Preto, 2008. This study aimed to verify the role of emotions triggered by music on time perception of musicians and nonmusicians. Four experiments were conducted: In Experiment I, musicians and nonmusicians performed emotional association tasks for musical excerpts of 36 seconds duration belonging to the Western classic repertoire. The tasks required to listen to each musical excerpt and to associate it with emotional categories: Joy, Serenity, Sadness, or Fear/Anger. The results showed that most musical excerpts triggered a specific single emotion in listeners; moreover, the emotional associations of musicians were similar to the emotional associations of nonmusicians for most musical excerpts presented. In Experiment II, musicians and nonmusicians performed temporal association tasks for the three most representative excerpts of each emotion used in Experiment I. Thus, the participants had to associate each of such musical excerpts with the following durations: 16, 18, 20, 22 or 24 seconds. The results showed that for the musicians, the three musical excerpts associated with Sadness were underestimated in relation to their real time; moreover, no other emotional category was associated with more than one musical excerpt whether being underestimated or overestimated, regarding their real time, for both groups. Recent researches in Psychology of Music have shown two structural properties as the modulators of specific emotions perceived during a music listening task: the mode (the organization of the notes in a musical scale) and tempo (the number of beats per minute). Thus, in Experiment III, musicians and nonmusicians carried out emotional association tasks with musical compositions constructed in seven modes (Ionian, Dorian, Phrygian, Lydian, Mixolydian, Aeolian, and Locrian) and three tempi (adagio, moderato, and presto). The procedure was the same used in Experiment I. The results showed that the musical mode modulated the affective valence triggered by the excerpts: musical excerpts based on major modes obtained positive affective valence indexes and musical excerpts based on minor modes obtained negative affective valence indexes; moreover, the musical tempo modulated the arousal triggered by the excerpts: the faster the tempo of the musical excerpts, the higher the arousal levels and vice versa, for both groups. In Experiment IV, musicians and nonmusicians performed temporal association tasks for those modal musical excerpts used in Experiment III. The procedure was the same used in Experiment II. The results showed that manipulations concerning arousal affected the time perception of the listeners: time underestimations due to low arousal excerpts were found for both groups; moreover, time underestimations due to high arousal excerpts were found only for nonmusicians. These results showed that in the case of musicians, time perception was affected by emotional atmospheres related to Sadness; in the case of nonmusicians, time perception was affected by factors related to the level of arousal of music events appreciated.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
docdan.pdf (1.30 Mbytes)
Data de Publicação
2008-11-06
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.