• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.59.2014.tde-14012015-111252
Documento
Autor
Nome completo
Rafael Carvalho Bonuti
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2014
Orientador
Banca examinadora
Carvalho, Silvio Morato de (Presidente)
Estanislau, Celio Roberto
Mattioli, Rosana
Título em português
Um estudo do comportamento social de duplas de ratos (Rattus norvegicus)
Palavras-chave em português
(Rattus norvegicus)
campo-aberto
clordiazepóxido
comportamento social de ratos
estabilidade comportamental
habituação
luminosidade
Resumo em português
Uma das dificuldades de se estudar o comportamento social é que para que ele ocorra são necessários pelo menos dois sujeitos, o que dificulta medidas de um deles, sem que seja necessário levar em conta o comportamento do outro. O presente trabalho investiga o comportamento social de duplas de ratos separados por uma grade, para minimizar o efeito que o comportamento de um rato possa ter sobre o outro. Como equipamento, foi utilizado um campo aberto de madeira (120 x 120 x 40 cm) forrado de fórmica marrom escuro. Uma das paredes podia estar intacta ou apresentar uma abertura por onde se podia acoplar uma gaiola de pássaros (34 x 22 x 26 cm). Todas as sessões se iniciavam pela colocação de um rato no centro do campo aberto e da gravação de seu comportamento por 10 minutos (exceto quando mencionado diferente) por uma câmara de vídeo. Para o registro, o piso do campo aberto na tela da TV foi dividido em 36 quadrados de 20 cm. Para cada quadrado, foram registradas a frequência e a duração dos seguintes comportamentos: (1) entradas e tempo gasto nos quadrados do campo aberto (compondo as áreas: quadrado da gaiola, cantos, periferia e centro), (2) frequência e tempo gasto farejando, limpando-se, levantando-se, esticando-se, e roendo a grade da gaiola. Esse procedimento foi aplicado a sete experimentos: (1) comparação com outro teste da literatura (File e Hyde, 1978, registrado segundo os autores), no qual o comportamento social dos dois animais se confunde, (2) comparação do comportamento social de machos e fêmeas no campo aberto sem gaiola, com a gaiola vazia e ocupada por um co-específico, (3) habituação ao aparato antes do teste com o co-específico, (4) estabilidade das medidas registradas em sessões repetidas, (5) efeito da iluminação, (6) efeito de tratamento com clordiazepóxido, e (7) efeito da duração da sessão. Os resultados do primeiro experimento indicaram que o teste da literatura correlacionou-se muito pouco com suas próprias medidas e com as medidas do teste proposto, enquanto o teste proposto mostrou um grande numero de correlações entre si. O principal achado foi o de que os animais testados com a presença do co-específico na gaiola alocaram uma maior quantidade de tempo e executaram mais comportamentos na área da gaiola. O segundo experimento mostrou que a ocupação da área da gaiola depende da presença do co-específico, sendo menor (e menos frequentes os comportamentos) quando a gaiola estava vazia e menor ainda quando não havia gaiola. O terceiro experimento mostrou que a pré-exposição ao campo aberto com a gaiola vazia não alterou o tempo gasto na área defronte à gaiola em comparação com uma segunda sessão com o co-específico presente. O quarto experimento mostrou que submeter os ratos a cinco sessões sucessivas também não alterou o comportamento social dirigido ao co-específico. O quinto experimento mostrou que ratos testados no claro ou no escuro interagem com o co-específico de modo semelhante. O sexto experimento apresenta dados mostrando que o comportamento social aumentou com a administração de 3,0 e 5,6 mg/Kg de clordiazepóxido. Finalmente, o sétimo experimento mostrou que o comportamento social se altera muito pouco quando se compara o comportamento de ratos em sessões com 10 ou com 30 minutos de duração. De um modo geral, os dados demonstraram que o modelo proposto permite o estudo de duplas de ratos com foco no registro individual de um rato-alvo, sem que seja demasiadamente influenciado pelo co-específico, é estável em sucessivas sessões ou sessões com durações diferentes, é sensível à presença do co-específico, do sexo do animal-alvo e sensível a um tratamento farmacológico. Uma característica importante é que, ao contrário da literatura (File e Hyde, 1978) não é necessário isolar o(s) animal(is).
Título em inglês
A study of social behavior in pairs of rats (Rattus norvegicus)
Palavras-chave em inglês
(Rattus norvegicus)
behavioral stability
chlordiazepoxyde
habituation
illumination
open field
rat social behavior
Resumo em inglês
One of the difficulties of studying social behavior is that for it to occur at least two individuals are necessary, which makes it difficult taking measures of one of them without taking the behavior of the other into consideration. The present work investigated the social behavior of pairs of rats separated by a grid in order to minimize the effect the behavior of one rat may have upon the other. A wood open field (120 x 120 x 40 cm) lined with dark brown Formica was used. One of the walls could be intact or present an opening through which a bird cage (34 x 22 x 26 cm) could be fixed. All sessions started by placing a rat in the center of the open field and recording its behavior for 10 minutes (except when stated otherwise) with a video camera. For recording, the floor of the open field was divided into 36 20-cm squares on the TV screen. Frequency and duration of the following behaviors were recorded for each square: (1) entries and time spent in each square of the open field (grouped in the areas: cage square, corners, periphery and center), (2) frequency and time spent sniffing, grooming, rearing, stretching and gnowing the grid. This procedure was used in seven experiments: (1)comparison with a literature test (File and Hyde, 1978), in which social behavior of a pair of rats is mixed, (2) comparison of the social behavior of males and females in the open field without the cage, with an empty cage and with the cage with a co-specific, (3), habituation to the apparatus before the test with the co-specific present, (4) stability of the recorde measures along repeated sessions, (5) the influence of illumination during the test, (6) the effect of chlordiazepoxyde treatment, and (7) the effect of session duration. The results of the first experiment indicated that the measurements of the literature test did not correlate well, while the porposed test exhibited a large number of correlations. The main finding was that the rats tested with the co-specific in the cage allocated a larger amount of time to the cage square. The second experiment showed that the occupation of the cage square depends on the presence of the co-specific, and is smaller (as are less frequent the behaviors) when the cage was empty and even smaller when there was no cage. The third experiment showed the pre-exposure to the open field with an empty cage did not alter the time spent in the cage square in a second session with the co-specific present. The fourth experiment showed that submitting the rats to five daily sessions also did not alter the social behavior directed towards the co-specific. The fifth experiment showed that rats tested either in the light or in the dark interact with the co-specific in the same manner. The sixth experiment presents data showing that social behavior increased with the administration of 3.0 and 5.6 mg/Kg chlordiazepoxyde. Finally, the seventh experiment showed that social behavior alters very little when 10-min sessions are compared to 30-min sessions. In general, the data showed that the proposed model allows the study of pairs of rats focusing in the individual record of a target rat without its being too much influenced by the co-specific, is stable in successive sessions or sessions with different durations, is sensitive to the presence of a co-specific, to the gender of the target rat, and to a pharmacological treatment. An important characteristic is that, unlike the literature test (File and Hyde, 1978) it is not necessary to isolate the animals(s).
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2015-03-18
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.