• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.59.2014.tde-11022015-132800
Documento
Autor
Nome completo
Alejandro Parra Hinojosa
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2014
Orientador
Banca examinadora
Garofalo, Carlos Alberto (Presidente)
Augusto, Solange Cristina
Lama, Marco Antonio Del
Santos, Isabel Alves dos
Sofia, Silvia Helena
Título em português
Mecanismos de adaptação e ecologia evolutiva das abelhas das orquídeas (Hymenoptera: Apidae: Euglossini)
Palavras-chave em português
BLUP
Cerrado
Conservação
Floresta Atlântica
Floresta estacional semidecidual
Modelos lineares
Seleção de carateres
Resumo em português
Os insetos apresentam uma importante variedade de formas, tamanhos e comportamentos que são reflexo da altíssima capacidade adaptativa que possuem. Isso é resultado de mudanças ao longo do tempo que, dependendo se permanecem ou não de uma geração para outra, afetarão a sobrevivência, aptidão, reprodução e, em geral, capacidade das populações de se ajustar em um ambiente. Esse fenômeno de mudança é conhecido na área de ciências naturais como teoria da evolução e explica a grande diversidade que compreende o bioma. Entre os insetos, um exemplo de diversidade e adaptação são as abelhas. O principal agente polinizador do planeta tem caraterísticas únicas que evoluíram da adaptação à predação de pólen, o que lhes permitiu se diversificar junto com seus hospedeiros: as plantas com flor. Entre as abelhas, a tribo Euglossini (ou abelhas das orquídeas), é um caso particular devido ao comprimento das suas línguas, muitas vezes desproporcional que, em conjunto com outras habilidades intrínsecas dos insetos (voar e termorregular), fazem deles polinizadores muito específicos. Através da análise da variação e frequência desses traços foram estudadas duas gerações de várias populações simpátricas de abelhas das orquídeas no estado de São Paulo. Usando regressões lineares múltiplas e vários modelos lineares determinou-se que medidas que expressam a massa corporal em relação ao comprimento da língua apresentavam uma mudança no valor da média e da variância de uma geração para outra. De maneira similar, observou-se que esta variação ocorre junto com uma mudança importante na tipologia das interações com recursos vegetais por parte da comunidade. Este tipo de variação corresponde aos três processos de seleção natural conhecidos: disruptivo, estabilizador e direcional. A mudança destes traços fenotípicos de maneira drástica e rápida é provavelmente resultado da recorrente alteração do habitat, o que pode significar uma diminuição na estabilidade da interação abelha-planta com uma rápida divergência da aptidão entre gerações.
Título em inglês
Adaptation mechanisms and evolutionary ecology of orchid bees (Hymenoptera: Apidae: Euglossini)
Palavras-chave em inglês
Atlantic Forest
BLUP
Cerrado
Conservation
Linear models
Semideciduous forest
Trait selection
Resumo em inglês
Insects show a variety of shapes, sizes and behaviour that reflect their high adaptive capacity. Their diversity is the result of changes over time that, depending on whether or not they are fixed between generations, affects survival, fitness, and in a general sense, the ability of the population to engage in an environment. This phenomenon known as the theory of evolution explains the great diversity that comprises the biome. Among insects, bees are an example of diversity and adaptability. The main pollinator agent on the planet has unique features that probably evolved from the adaptation to predation of pollen, which allowed them to diversify together with their hosts: the flowering plants. Among bees, the orchid bee tribe Euglossini, are particular due to the length of their tongues, often disproportionate, which together with other intrinsic abilities of insects (flying and thermoregulation), make them very specific pollinators. We analysed the frequency and variation these features in two generations of several sympatric populations of orchid bees from São Paulo State (Brazil). Using multiple linear regression and linear models we determined that mean and variance of body weight changes in relation to the length of the tongue from one generation to another. Similarly, we found that this variation is correlated with the interactions between the euglossine community and its plant resources. The phenotypical variation detected comprises the three processes in natural selection: disruptive, stabilizing and directional. Rapid and drastic changes in quantitative phenotypic traits are probably due iterant habitat modification. This overall variation may cause a decrease in the stability of the bee-plant interaction and could lead to rapid fitness divergences between generations.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
EuAPHevolecol.pdf (2.04 Mbytes)
Data de Publicação
2015-03-18
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.