• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.58.2018.tde-29042016-114957
Documento
Autor
Nome completo
Paúl Ernesto Baca Wiesse
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2016
Orientador
Banca examinadora
Pecora, Jesus Djalma (Presidente)
Estrela, Carlos
Fidel, Rivail Antonio Sergio
Silva, Ricardo Gariba
Sousa Neto, Manoel Damião de
Título em português
Impacto da ativação sônica e ultrassônica do cimento obturador dos canais radiculares na adaptação e resistência de união à dentina
Palavras-chave em português
Cimento endodôntico ; Endodontia ; Microscopia confocal ; Obturação do canal radicular ; Odontologia ; Resistência de união ; Ultrassom
Resumo em português
O objetivo deste estudo foi avaliar a resistência de união, a penetração e a adaptação à dentina radicular de cimentos obturadores à base de resina epóxica e de silicato de cálcio com e sem ativação sônica e ultrassônica. Raízes de caninos superiores com 16 mm de comprimento foram submetidas a preparo biomecânico com instrumentos rotatórios de níquel titânio sob irrigação constante com NaOCl 2,5% e irrigação final com EDTA 17%. As raízes foram distribuídas em grupos de acordo com os cimentos obturadores: AH Plus e MTA Fillapex. Cada grupo foi subdividido em função da ativação do cimento obturador (n=13): sem ativação; ativação sônica por 30 segundos; ativação ultrassônica por 30 segundos. Em cada subgrupo, a manipulação dos cimentos obturadores foi realizada de acordo com as instruções dos fabricantes para 10 espécimes, para os 3 espécimes restantes, o cimento foi acrescido de Rodamina B 0,1% previamente à manipulação. A obturação foi realizada de acordo com o protocolo de cada subgrupo em relação ao cimento e ativação, utilizando-se a técnica de condensação lateral. Após três vezes os tempos de endurecimento dos cimentos, os espécimes foram seccionados obtendo-se 3 slices de 1,0 mm de espessura de cada terço radicular. Dois slices de cada terço foram submetidos ao teste de push-out e o padrão de falha foi determinado. O terceiro slice de cada terço radicular foi submetido à análise qualitativa da adaptação do cimento à dentina radicular e presença de vazios, por meio de microscopia confocal de varredura a laser. Nos espécimes em que o cimento foi acrescido de Rodamina B 0,1%, avaliou-se a penetração do cimento na dentina radicular por microscopia confocal de varredura a laser com fluorescência. Os dados foram analisados por testes estatísticos paramétricos e não-paramétricos. O cimento AH Plus (2,58±1,21) apresentou maior resistência de união comparado ao MTA Fillapex (1,45±0,71) (p<0,122). A ativação ultrassônica (2,64±1,44) propiciou maior resistência de união comparada aos grupos sem ativação (1,58±0,73) (p<0,0001) e com ativação sônica (1,83±0,85) (p<0,0001), não havendo diferença entre estes (p=0,3303). O terço cervical apresentou maior resistência de união (2,48±1,49) comparado ao médio (2,08±0,94) (p=0,0003) e apical (1,48±0,58) (p<0,001). Para o cimento MTA Fillapex houve predomínio de falhas adesivas mistas em todos os grupos, enquanto que para o cimento AH Plus houve predomínio de falhas adesivas mistas para os grupos sem ativação e ativação ultrassônica e falhas adesivas mistas e adesivas ao material obturador para o grupo de ativação sônica. A ativação ultrassônica promoveu, independente do cimento obturador, maior número, densidade e extensão de tags, com massa obturadora mais homogênea e adaptada às paredes do canal radicular. A ativação sônica, por sua vez, apresentou número, densidade e extensão de tags similares ao grupo sem ativação, no entanto a massa obturadora apresentou desadaptações e formação de bolhas. A ativação ultrassônica impactou na maior resistência de união, penetração, densidade e extensão de tags e melhor adaptação do cimento a dentina radicular, ao contrário da ativação sônica que não aumentou a resistência de união e penetração de tags e proporcionou maior desadaptação e inclusão de vazios na massa obturadora.
Título em inglês
Impact of sonic and ultrasonic activation of root canal sealer in the adaptation and bond strength to dentin
Palavras-chave em inglês
Bond strength ; Confocal microscopy ; Endodontics ; Endodontics sealer ; Odontology ; Root canal obturation ; Ultrasonic
Resumo em inglês
The aim of this study was to evaluate the bond strength, penetration and adaptation to the root dentin sealers based on epoxy resin and calcium silicate with and without sonic and ultrasonic activation. Maxillary canine roots with 16 mm length were submitted to biomechanical preparation with nickel titanium rotary files, under constant irrigation with 2.5% NaOCl and final irrigation with 17% EDTA. The roots were divided into groups according to the sealers: AH Plus and MTA Fillapex. Each group was subdivided based on sealer activation (n = 13): no activation; sonic activations (30 seconds); ultrasonic activation (30 seconds). In each subgroup, the sealer manipulation was performed according to the manufacturers instructions for 10 specimens, for the 3 remaining specimens, the Rhodamine B 0.1% was incorpored to the sealer prior to manipulation. The root canal filling was performed according to the protocol of each group relative to the sealer and activation, using the lateral condensation technique. After three times the sealer setting times, the specimens were sectioned and obtained 3 slices of 1.0 mm thickness of each root third. Two slices of each third were submitted to the push-out test and the failure pattern was determined. The third slice of each root third was submitted to qualitative analysis of sealer and root dentin adaptation and the presence of voids, by means of confocal laser scanning microscopy. In specimens in which Rhodamine B 0.1% was added in the sealer was evaluated the sealer penetration in root dentin by confocal laser scanning fluorescence. The data were analyzed using parametric and nonparametric statistical tests. The AH Plus (2.58 ± 1.21) showed higher bond strength compared to MTA Fillapex (1.45 ± 0.71) (p <0.122). The ultrasonic activation (2.64 ± 1.44) provided higher bond strength compared to no activation groups (1.58 ± 0.73) (p <0.0001) and sonic activation (1.83 ± 0.85) (p <0.0001), with no difference between them (p = 0.3303). The cervical third showed higher bond strength (2.48 ± 1.49) compared to the middle (2.08 ± 0.94) (p = 0.0003) and apical thirds (1.48 ± 0.58) (P < 0.001). For the MTA Fillapex there was a predominance of mixed adhesive failures in all groups, whereas for AH Plus there was a predominance of mixed adhesive failures for groups without activation and ultrasonic activation and mixed adhesive failures and adhesives to the filling material for the sonic activation group. Ultrasonic activation promoted, regardless of the sealer, the greater number, density and length tags with more homogenous and adapted root canal filling to the root canal walls. On the other hand, the sonic activation, presented number, density and length of tags similar to the group without activation, however the root canal filling showed mismatches and blistering. Ultrasonic activation impacted the highest bond strength, penetration, density and length tags and better adaptation of the sealer root dentin, unlike the sonic activation that not increased bond strength and penetration tags and provided greater mismatch and the inclusion of voids in the root canal filling.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
DO_Paul_Wiesse.pdf (4.75 Mbytes)
Data de Publicação
2018-11-07
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.