• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Master's Dissertation
DOI
10.11606/D.5.2015.tde-24082015-114406
Document
Author
Full name
Natália Faria Siqueira Brito
E-mail
Institute/School/College
Knowledge Area
Date of Defense
Published
São Paulo, 2015
Supervisor
Committee
Carvallo, Renata Mota Mamede de (President)
Pereira, Liliane Desgualdo
Sanches, Seisse Gabriela Gandolfi
Title in Portuguese
Ativação do efeito inibitório da via eferente auditiva por estímulo de fala
Keywords in Portuguese
Audição
Emissões otoacústicas espontâneas
Testes auditivos
Vias auditivas
Abstract in Portuguese
Introdução: O fenômeno das Emissões Otoacústicas (EOA) é considerado como uma das grandes descobertas científicas na área da Audiologia. Seu exame possi-bilita avaliar a atividade motora da cóclea e traz novos conhecimentos sobre a fisiologia coclear. No entanto, tais registros trazem informações somente sobre o sistema auditivo aferente. Os estudos sobre a supressão das EOA contribuíram para a avaliação do sistema auditivo eferente. Atualmente, não são conhecidos outros testes audiológicos que possam avaliar a atividade eferente deste sistema olivococlear. Quando as EOA são registradas com apresentação de ruído, seja ele ipsilateral, contralateral ou bilateral, as vias eferentes do sistema olivococlear medial são ativadas, de forma a afetar o processo coclear. Tal fato pode ser observado com a redução no nível de respostas das EOA e é denominado de Efeito de Supressão das Emissões Otoacústicas. Tal teste avalia o efeito inibitório da função auditiva eferente (EIVE) sobre as células ciliadas externas (CCE). Objetivo: Este trabalho tem o objetivo de verificar a ocorrência do efeito inibitório da via eferente auditiva nas respostas de emissões otoacústicas por transientes, com diferentes estímulos supressores apresentados de forma contralateral: Ruído Branco, Ruído de fala (Talk Noise) e História Gravada. Método: A bateria de testes foi realizada em 30 indivíduos com idades entre 18 e 35 anos, com limiares auditivos em nível de intensidade inferior a 20 decibéis nível de audição (dBNA) nas frequências de 250 a 8.000 Hz. Foram realizadas seis provas, duas medidas iniciais de EOA Transiente sem ruído contralateral, seguida de três medidas de EOAT com diferentes estímulos contralaterais, ruído branco, ruído de fala e com história gravada. A sexta prova foi uma medida final de EOAT sem ruído contralateral. O efeito inibitório da via eferente foi investigado com o registro de EOAT obtidas com cliques lineares, e nível de intensidade do estimulo de aproximadamente 60dB NPS, em janela de análise de 4-20ms. O efeito inibitório foi quantificado pela variação do nível de resposta entre a apresentação do clique linear sem estímulo contralateral e, a apresentação do mesmo clique linear com cada um dos três estímulos contralaterais. Resultados: Não existe diferença média estatisticamente significante para as medidas de EOAT entre as orelhas em todas as variáveis. Houve uma média maior para os valores do EIVE na prova com o ruído contralateral do tipo Ruído Branco nas duas comparações, tanto com a primeira medida de EOAT sem ruído contralateral e na segunda medida de EOAT sem ruído contralateral. Existe diferença média estatisticamente significante entre Ruído Branco, Ruído de Fala e História Gravada somente para a orelha direita. Conclusão: O efeito inibitório da via eferente foi obtido com os três estímulos contralaterais estudados. Pode-se concluir que houve uma média maior nos valores de EIVE para a prova com o estímulo contralateral do tipo Ruído Branco. Todas as orelhas testadas, após a apresentação dos três estímulos contralaterais, apresentaram um valor de EOAT final sem ruído por volta dos valores encontrados inicialmente, o que nos mostra que assim que o ruído contralateral deixa de ser apresentado, a ativação do efeito inibitório da via eferente cessa instantaneamente e todo o sistema olivo coclear volta ao seu estado inicial
Title in English
Activation of the inhibitory effect of auditory efferent pathway by speech stimulus
Keywords in English
Auditory pattways
Hearing
Hearing tests
Otoacoustic emissions spontaneous
Abstract in English
Introduction: The phenomenon of otoacoustic emissions (OAE) is considered as one of the greatest scientific discoveries in the field of Audiology. The exam provides the access to the motor activity of the cochlea and brings new knowledge about cochlear physiology. However, such records provide information only from the afferent auditory system. Studies on the suppression of the OAE contribute to the assessment of the efferent auditory system. Currently, there are known other audiologic tests that could evaluate the activity of the efferent olivocochlear system. When OAE are registered with noise presentation (whether ipsilateral, contralateral or bilateral), the efferent pathways of olivocochlear system are activated in order to affect the cochlear process. This fact can be observed with the reduction in the level of OAE responses and is called Effect Suppression of otoacoustic emissions. This test evaluates the inhibitory effect of efferent auditory function on the CCE. Objective: This study aims to establish the occurrence of the inhibitory effect of auditory efferent pathway in the responses of transient evoked otoacoustic emission, with different stimuli presented in contralateral suppressors: White Noise, Talk Noise and Recorded History. Method: The battery of tests was performed in 30 subjects aged between 18 and 35 years and auditory thresholds in intensity level less than 20 decibel hearing level (dB HL) at frequencies 250-8000 Hz. Were performed six tests, two initial measures OAE Transient without contralateral noise a measure of TOAE with white noise, a measure of TOAE with speech noise, a measure of TOAE with recorded history and finally a final measure of TOAE without contralateral noise. Results: There is no average difference statistically significant for measures of TOAE between the ears in all variables. The contralateral white noise showed the highest average in inhibitory effect of efferent auditory for the two situations without contralateral noise. There is a statistically significant difference between White Noise, Talk Noise and Recorded History only for the right ear. Conclusion: The inhibitory effect of the efferent pathway was observed in the three studied contralateral stimuli. It can be concluded that there was a greater mean values for inhibitory effect of efferent auditory in the condition with the contralateral white noise stimulus. All tested ears, after the presentation of the three contralateral stimuli, showed a value of TOAE end without noise around the values found initially, which shows us that once the contralateral noise is no longer displayed, the activation of the inhibitory effect of the efferent ceases instantly and all olivocochlear system back to its initial state
 
WARNING - Viewing this document is conditioned on your acceptance of the following terms of use:
This document is only for private use for research and teaching activities. Reproduction for commercial use is forbidden. This rights cover the whole data about this document as well as its contents. Any uses or copies of this document in whole or in part must include the author's name.
Publishing Date
2015-08-24
 
WARNING: Learn what derived works are clicking here.
All rights of the thesis/dissertation are from the authors
Centro de Informática de São Carlos
Digital Library of Theses and Dissertations of USP. Copyright © 2001-2019. All rights reserved.