• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.5.2018.tde-06112018-135302
Documento
Autor
Nome completo
Marianne Querido Verreschi
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2018
Orientador
Banca examinadora
Lopes, Debora Maria Befi (Presidente)
Avejonas, Daniela Regina Molini
Couto, Maria Inês Vieira
Perissinoto, Jacy
Título em português
Vocabulário e memória de curto prazo verbal em pré-escolares prematuros sem risco neurológico
Palavras-chave em português
Criança
Linguagem
Linguagem infantil
Memória
Recém-nascido prematuro
Vocabulário
Resumo em português
INTRODUÇÃO: A prematuridade é uma condição do nascimento que ocorre anteriormente a 37 semanas completas de gestação, e é considerada um fator de risco biológico ao desenvolvimento infantil. Nos primeiros anos de vida, crianças nascidas pretermo podem apresentar alterações no desenvolvimento da linguagem e em habilidades cognitivas, como a memória. Essas dificuldades podem perdurar e se manifestar ao longo do crescimento, nas fases pré-escolar e escolar. Devido a isso, prematuros são acompanhados em programas de seguimento ambulatorial, nos quais são utilizados testes de triagem para identificar riscos para atraso no desenvolvimento. O presente estudo investigou se pré-escolares nascidos pretermo (Grupo Pesquisa/GP) apresentavam indicativos de dificuldades de linguagem em instrumento de triagem e em testes padronizados de vocabulário e memória de curto prazo verbal; comparou seu desempenho ao de pré-escolares nascidos a termo (Grupo Controle/GC); e secundariamente verificou a associação entre os resultados obtidos no instrumento de triagem com os dos testes diagnósticos. MÉTODOS: Participaram do estudo 40 crianças de ambos os gêneros e com faixa etária entre 4 a 5 anos, divididas igualmente em dois grupos, com base na idade gestacional ao nascimento. Todas apresentavam desenvolvimento neuropsicomotor adequado para a idade e não possuíam alterações sensoriais, neurológicas e genéticas. Os grupos foram pareados pela idade, nível socioeconômico e escolaridade materna, e caracterizados quanto ao desenvolvimento fonológico por meio de teste padronizado. A avaliação experimental foi composta por testes padronizados de vocabulário expressivo, memória de curto prazo verbal e por um teste de triagem do desenvolvimento. RESULTADOS: Na comparação entre o desempenho dos grupos nas tarefas experimentais, não houve diferença entre eles no vocabulário expressivo, mas o GP apresentou desempenho inferior ao GC e maior índice de desempenho inadequado na tarefa de memória de curto prazo verbal. No teste de triagem do desenvolvimento, o GP foi classificado como Suspeito ou risco ao desenvolvimento com maior frequência do que o GC no desempenho geral. No subteste de linguagem, os prematuros também foram classificados como inadequados com maior frequência que os sujeitos do GC. Não houve associação entre a classificação do desempenho do GP no instrumento de triagem e nos demais testes experimentais, tanto para o desempenho geral, quanto para o desempenho no subteste de linguagem. CONCLUSÕES: Confirmou-se a hipótese de que pré-escolares prematuros apresentariam indicativos de dificuldades detectados por instrumento de triagem. Na habilidade lexical foi observado que o desempenho de crianças prematuras pode ser semelhante ao de crianças nascidas a termo, e na habilidade de memória de curto prazo verbal foram observados prejuízos quando os grupos foram comparados. É possível que as dificuldades observadas na habilidade de memória possam impactar negativamente a expansão lexical ao longo do desenvolvimento. Por fim, não foi observada associação dos resultados obtidos no instrumento de triagem com os dos testes de avaliação
Título em inglês
Vocabulary and verbal short-term memory in preschool preterm infants without neurological risk
Palavras-chave em inglês
Child
Child language
Infant premature
Language
Memory
Vocabulary
Resumo em inglês
BACKGROUND: Premature labor is a condition of birth that happens at fewer than 37 weeks gestational age and is considered a biological risk factor to child development. In the first years of life, preterm infants may present changes in language development and cognitive abilities, such as memory. These difficulties may last and manifest during growth, in preschool and school-ages. Because of that, infants followed at preterm infant follow-up outpatient clinics, where screening tests are carried out to identify risks of developmental delay. This study investigated whether preschool infants born premature (Experimental Group/EG) presented indicators of language difficulty in screening tool and in vocabulary standardized tests and verbal short-term memory; compared their performance to preschool full-term infants (Control Group/CG), and finally verified the association between results obtained from screening tool and diagnostic tests. METHOD: It took part of the study 40 male and female individuals aged 4 to 5 years, assigned equally to two groups, based on gestational age at birth. They all presented regular neuropsychomotor development for their age and did not have any sensorial, neurological or genetic alterations. The groups were paired by age, socioeconomic status and their mother's educational level, and characterized by phonological development according to standardized test. The experimental evaluation consisted of standardized tests on expressive vocabulary, verbal short-term memory and a development triage test. RESULTS: In comparison of performance between the groups in experimental tasks, no difference was in the expressive vocabulary was observed; however, the EG showed poorer performance compared to CG and higher rates of poor performance on the verbal short-term memory test. On the development triage test, the EG was classified as suspect or risk to development more often than CG in general performance. On the language subtest, preterm infants were also classified as unappropriated more frequently than CG individuals. There was no association between EG performance classification on the screening tool and the other experimental tests, either on general performance test or language performance subtest. CONCLUSION: It was confirmed the hypothesis that preschool preterm infants would present signs of difficulty detected by the triage tool. Regarding lexical ability, it was observed that preterm infant's performance may be similar to full-term infants, and in the verbal short-term memory ability it was observed drawbacks when groups where compared. It is likely that the observed difficulties on memory ability may negatively interfere the lexical expansion throughout development. Finally, it was not observed any association between the results obtained from screening tool and evaluative tests
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-11-08
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.