• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
Documento
Autor
Nome completo
Shirlene Aparecida Lopes
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2017
Orientador
Banca examinadora
Nunes, Maria do Patrocinio Tenorio (Presidente)
Demarzo, Marcelo Marcos Piva
Medina, Wilson Luvizotto
Título em português
Mindfulness e dor nos distúrbios osteomusculares: uma experiência com auxiliares e técnicos de enfermagem
Palavras-chave em português
Atenção plena
Doenças musculoesqueléticas
Dor crônica
Enfermagem
Saúde do trabalhador
Terapias complementares
Resumo em português
Introdução: Fatores que levam a queixas musculoesqueléticas entre profissionais de enfermagem tem sido objeto de várias pesquisas científicas, apontando a necessidade de estratégias no ambiente de trabalho, que promovam saúde para minimizar este cenário emergente. Os programas baseadas em mindfulness - atenção plena - tem demonstrado resultados promissores em aspectos clínicos e não clínicos da saúde, inclusive no manejo da dor crônica. Objetivo: Avaliar a eficácia de um Programa Adaptado de Mindfulness (PAM) como estratégia complementar no manejo da dor crônica originada por distúrbios osteomusculares, em auxiliares e técnicos de enfermagem de um hospital universitário público brasileiro, bem como a implementação do programa por meio de uma gestão colaborativa e a inserção das práticas na rotina dos participantes. Método: Realizou-se um ensaio aberto, prospectivo, com análises quantitativa e qualitativa no ambiente de trabalho com 64 trabalhadoras mulheres, entre 25 e 68 anos, Média= 47, DP= 9,50. Todas as participantes apresentaram queixas musculoesqueléticas por mais de seis meses, participaram de ao menos cinco dos oito encontros presenciais, com uma hora de duração para cada sessão e se comprometeram a realizar tarefa diária de 20 minutos de prática individual. Um questionário sócio-demográfico foi aplicado no momento da inclusão do estudo. Para as medidas quantitativas do estudo foram aplicadas escalas de autorrelato que avaliam os níveis dos sintomas das queixas musculoesqueléticas (QNSO), ansiedade (IDATE -T), depressão (BDI), pensamentos catastróficos sobre a dor (EPCD), autocompaixão (SELFCS), atenção e consciência plenas (MAAS) e percepção da qualidade de vida (WHOQOL-Bref). Todas as variáveis foram avaliadas pelos testes ANOVA de medidas repetidas e Bonferroni com pré-follow up (T0), pós- intervenção - oito semanas (T1) e após três meses do término do programa - doze semanas de follow up (T2). Para a avaliação qualitativa foram produzidas notas descritivas e reflexivas a partir da observação participante nos setores estudados, bem como a análise temático-categorial de relatos (T1) e entrevistas semi-estruturadas (T2). Resultados: O PAM contribuiu na redução significativa (p<=0,05) dos sintomas osteomusculares, níveis de ansiedade, depressão e pensamentos catastróficos sobre a dor; aumento significativo nos níveis de autocompaixão e na percepção da qualidade de vida total, global e nos domínios físico e psicológico em (T0-T1). Não houve resultados estatisticamente significativos (p > 0,05) nos níveis de atenção e consciência plenas - MAAS e nos domínios relações sociais e meio ambiente - WHOQOL-Bref. As análises qualitativas dos relatos (T1) e entrevistas (T2) apontaram benefícios na dor e na qualidade de vida e um repensar sobre a necessidade do cuidar de si com estratégias, dentro da realidade subjetiva, para a inserção das práticas no cotidiano sugerindo a continuidade do PAM como ação factível e eficaz para a categoria estudada. Conclusão: Os resultados sugerem que o PAM contribuiu para a redução dos sintomas físicos e emocionais da dor e melhora da qualidade de vida do público estudado. Os escores desde a pós-intervenção (T1) se mantiveram, ao menos por 20 semanas (T2), indicando a eficácia do PAM como estratégia complementar para o manejo da dor e melhora da qualidade vida dos auxiliares e técnicos de enfermagem em ambiente hospitalar
Título em inglês
Mindfulness and pain in musculoskeletal disorders: an experience with nursing assistants and technicians
Palavras-chave em inglês
Chronic pain
Complementary therapies
Mindfulness
Musculoskeletal diseases
Nursing
Occupational health
Resumo em inglês
Introduction: Factors that lead to musculoskeletal complaints among nursing professionals have been the subject of several scientific researches, pointing out the need for strategies in the work environment to promote health and minimize this emerging scenario. Mindfulness-based programs have shown promising results in clinical and non-clinical aspects of health, including management of chronic pain. Objective: To evaluate the effectiveness of a Mindfulness Adapted Program (MAP) as a complementary strategy in the management of chronic pain caused by musculoskeletal disorders in nursing assistants and technicians of a Brazilian public university hospital, as well as the implementation of the program through a collaborative management and the insertion of the practices in the routine of the participants. Method: An open, prospective, quantitative and qualitative analysis was performed in the work environment with 64 women workers, age between 25-68 years, Mean= 47, SD= 9.50. A socio-demographic questionnaire was applied at the time of the inclusion of the study. All participants presented musculoskeletal complaints for more than six months, participated in at least five of the eight face-to-face meetings, with an hour of duration for each session and committed to perform daily task of 20 minutes of individual practice. For the quantitative measures of the study, self-report scales were used to evaluate the levels of symptoms of musculoskeletal complaints (NMQ), anxiety (STAI), depression (BDI), catastrophic thoughts on pain (PCS), self-compassion (SELFCS), attention and awareness (MAAS) and perception of quality of life (WHOQOL-Bref). All variables were evaluated by repeated measures ANOVA and Bonferroni with pre-follow up (T0), post-intervention - eight weeks (T1) and three months after the end of the program - twelve weeks of follow up (T2). For the qualitative evaluation, descriptive and reflexive notes were produced based on participant observation in the studied sectors, as well as the thematic-categorical analysis of reports (T1) and semi-structured interviews (T2). Results: MAP contributed to the significant reduction (p <= 0.05) of musculoskeletal symptoms, anxiety levels, depression and catastrophic thoughts about pain; significant increase in the levels of self-compassion and in the perception of total, global quality of life and in the physical and psychological domains in (T0-T1). There were no statistically significant results (p > 0.05) at full attention and consciousness levels - MAAS and in the social relations and environment domains - WHOQOL-Bref. The qualitative analyzes of the reports (T1) and interviews (T2) showed benefits in pain and quality of life and a rethinking about the need to take care of oneself with strategies, within the subjective reality, for the insertion of daily practices suggesting continuity of MAP as an action feasible and effective for the category studied. Conclusion: The results suggest that MAP contributed to the reduction of physical and emotional symptoms of pain and improvement of the quality of life of the studied public. The post-intervention (T1) scores were maintained for at least 20 weeks (T2), indicating the efficacy of MAP as a complementary strategy for pain management and improvement of the quality of life of nursing assistants and technicians in a hospital setting
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2017-09-12
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2014. Todos os direitos reservados.