• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.5.2012.tde-02102012-101725
Documento
Autor
Nome completo
Santiago Rodriguez Corrêa
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2012
Orientador
Banca examinadora
Velasco, Irineu Tadeu (Presidente)
Jacob Filho, Wilson
Kovacs, Maria Julia
Título em português
Concepção, percepção e entendimento do processo da morte e do morrer em idosos institucionalizados comparados com idosos da comunidade
Palavras-chave em português
Atitude frente a morte
Envelhecimento
Formação de conceito
Instituição asilar
Tanatologia
Resumo em português
A morte é inevitável, porém, pouco se comenta em relação aos seus conceitos, sentimentos, particularmente em idosos para os quais ela está mais próxima. Avaliamos o conceito de morte/morrer em idosos asilados (IA, N=27) e não asilados (INA, N=25). Foram aplicados 4 questionários: sobre religiosidade (DUREL), estado mental (MEEM) e depressão (GDS) e construído um questionário sobre conceito morte/morrer com questões fechadas e abertas. Houve predominância feminina, branca, católica de baixo grau de escolaridade. Não houve diferenças em relação à depressão, religiosidade e na maioria das questões sobre morte/morrer. Porém, os IA apresentaram maior idade, menor temor da maneira como vão morrer (p=0,046), creram ser menos possível ser educado para a morte (p=0,02), mostraram indiferença ao melhor local para morrer (p=0,005), acreditaram que hoje se morre pior em relação a gerações passadas (p=0,048) enquanto os INAs apresentaram tendência à escolha do hospital como local para morrer (p=0,063).As questões abertas foram úteis nas interpretações dos dados. As análises de confiabilidade permitiram diminuição de 40% do questionário original. Os resultados confirmam a dificuldade de instrumentos para avaliar amplamente o conceito morte morrer e que o asilamento em idosos não alterou a maioria dos conceitos sobre o tema
Título em inglês
Conception, perception and understanding of death and dying among the institutionalized and the non-institutionalized elderly
Palavras-chave em inglês
Aging
Attitude to death
Concept formation
Homes for the aged
Thanatology
Resumo em inglês
Death is inevitable, but little is said about its concept, how people feel about it, particularly the elderly, for whom death is more impending. We assessed the concept of death and dying among institutionalized (IE, N=27) and non-institutionalized elders (NIE, N=25).Four questionnaires were conducted: on religion (DUREL), mental status (MEEM), depression (GDS) and on their concept of death and dying, this one comprising open and close questions. The interviewees were predominantly white, catholic, and female with low formal education level. No differences were observed regarding depression issues and religiosity, and among most of the answers related to death and dying. However, the IE group comprised older individuals, who believed it was less possible to be educated about death (p=0.02), were indifferent regarding their dying place (p=0.005), were less fearful of the manner in which death will occur(p=0.046),and thought that people today die in worse ways than previous generations did (p=0.048);while most of the NIE individuals tended to choose hospitals as their dying place (p=0.063).Open questions were useful when interpreting data. Reliability analysis allowed the original questionnaire to be trimmed down in 40%. The results confirm how difficult it is to thoroughly assess the concept of death and dying, and that being institutionalized does not affect the overall concept of death and dying among this population
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2012-10-02
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.