• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
Documento
Autor
Nome completo
Cinthia Lanchotte Ferreira
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2019
Orientador
Banca examinadora
Figueira, Estela Regina Ramos (Presidente)
Boin, Ilka de Fatima Santana Ferreira
Haddad, Luciana Bertocco de Paiva
Malbouisson, Luiz Marcelo Sá
Título em português
Análise da sobrevida de pacientes com hepatite fulminante após indicação do transplante de fígado
Palavras-chave em português
Falência hepática aguda
Hepatite
Insuficiência hepática
Mortalidade
Prognóstico
Sobrevida
Transplante de fígado
Resumo em português
Hepatite fulminante (HF) é uma doença grave caracterizada pela perda da função hepática em indivíduos previamente saudáveis. Apenas 20% dos pacientes com HF apresentam recuperação espontânea da doença, para o restante a única opção de tratamento é o transplante de fígado (TF). Os critérios existentes para indicação de TF em pacientes com HF não avaliam com exatidão a gravidade e a chance de sobrevida, identificando casos que se beneficiariam com o transplante precoce ou casos de maior gravidade, que já não apresentam condições clínicas para o transplante. O objetivo do estudo foi avaliar a sobrevida de pacientes com diagnóstico de HF e indicação de TF, identificando fatores prognósticos durante o tempo de priorização, no período imediato após o TF e relacionando os dados dos pacientes com os dos doadores. Foram analisados retrospectivamente pacientes com diagnóstico de HF, priorizados para TF. Foram coletados dados demográficos, clínicos e laboratoriais dos 156 pacientes incluídos no estudo, sendo 107 transplantados (grupo Tx) e 49 não transplantados (grupo não-Tx). Todos os pacientes do grupo não-Tx tiveram óbito. Na análise do período de priorização, os pacientes do grupo não-Tx apresentaram encefalopatia grave (82% x 61%, p=0,018), taxa de insuficiência renal (80% x 46,1%, p < 0,001), incidência de etiologia criptogênica (42,9% x 19,9%, p=0,010), níveis de creatinina (2,35 ± 2,02 x 1,50 ± 1,44, p=0,001), lactato (67 ± 42 x 43 ± 27, p=0,001) e escores MELD (42 ± 9 x 36 ± 9, p < 0,001) e BiLE (14 ± 5 x 10 ± 4, p < 0,001) significantemente maiores em relação ao grupo Tx. O grupo Tx apresentou incidência significantemente maior de etiologia autoimune (17,8% x 4,1%, p=0,022) e pH arterial (7,40 ± 0,08 x 7,35 ± 0,14, p < 0,046) em relação ao grupo não-Tx. A análise de regressão logística múltipla identificou insuficiência renal (p=0,045) como fator prognóstico independente para óbito antes do TF. Na análise do período pós-TF, dos pacientes transplantados (grupo Tx), 61 tiveram sobrevida de 30 dias (grupo vivo-pós-Tx) e 46 tiveram óbito em 30 dias (grupo óbito-pós-Tx). Os pacientes do grupo óbito-pós-Tx apresentaram presença de encefalopatia grave (72,1% x 47,8%, p=0,016) e insuficiência renal (56,1% x 33,3%, p=0,028), significantemente maiores em relação ao grupo vivo-pós-Tx. O grupo vivo-pós-Tx apresentou pH arterial (7,40 ± 0,07 x 7,35 ± 0,09, p < 0,016) significantemente maior em relação ao grupo óbito-pós-Tx. Na avaliação de sobrevida pós-TF com os dados dos doadores, o grupo vivo-pós-Tx apresentou incidência significantemente maior de órgãos provenientes de doadores de etnia parda (33,3% x 8,7%, p=0,037) em relação ao grupo óbito-pós-Tx. A análise de Cox múltipla identificou: lactato > 48mg/dL (p=0,035) e pH arterial < 7,329 (p=0,002) do receptor e IMC > 26,2kg/m2 (p=0,012) do doador como fatores independentes de mortalidade 30 dias após o TF. Concluímos que insuficiência renal durante a priorização é indicador independente de óbito antes do TF e, lactato e pH arterial do receptor e IMC do doador são indicadores independentes de sobrevida 30 dias pós-TF
Título em inglês
Analysis of the evolution of patients with fulminant hepatitis in waiting list and immediate post-operative urgent liver transplantation
Palavras-chave em inglês
Hepatic insufficiency
Hepatitis
Liver failure acute
Liver transplantation
Mortality
Prognosis
Survival
Resumo em inglês
Fulminant hepatitis (FH) is a serious disease characterized by impairment of liver function in previously healthy individuals. Only 20% of patients with FH present spontaneous recovery of hepatic function. In about 80% of cases, the only treatment option is the liver transplantation (LT). The existing criteria for indication of LT in patients with FH do not accurately assess the severity and the chance of survival, then is not always possible to separate cases that could benefit by an early transplantation from those cases of greater severity that no longer present clinical condition for transplantation. The aim of this study was to survival of these patients diagnosed with FH, identifying prognostic factors during prioritization period and immediately after LT. The patients diagnosed with FH and prioritized for LT were analyzed retrospectively. Demographic, clinical and laboratory data were collected from the 156 patients included in the study, where 107 transplanted (Tx group) and 49 non-transplanted (non-Tx group). All patients in the non-Tx group died. In the analysis of the prioritization, patients from non-Tx group presented severe encephalopathy (82% x 61%, p=0.018), renal failure (80% x 46%, p < 0.001), cryptogenic etiology (42.9% x 19.9%, p=0.010), creatinine (2.35 ± 2.02 x 1.50 ± 1.44, p=0.001), lactate (67 ± 42 x 43 ± 27, p=0.001) and MELD (42 ± 9 x 36 ± 9, p < 0.001) and BiLE (14 ± 5 x 10 ± 4, p < 0.001) scores greater than Tx group. Tx group presented significantly higher incidence autoimune etiology (17.8% x 4.1%, p=0.022) and arterial pH level (7.40 ± 0.08 x 7.35 ± 0.14, p < 0.046) compared to non-Tx group. The multiple logistic regression analysis identified renal failure (p=0.045) as independent prognostic factor for death in the transplantation waiting-list. In the analysis of the post-TF period, of transplant patients (Tx group), 61 had a 30-day survival (live-post-Tx group) and 46 died within 30 days (death-post-Tx group). The patients of death-after-Tx group presented severe encephalopathy (72.1% x 47.8%, p=0.016), renal failure level (56.1% x 33.3%, p=0.028) greater than alive-after-Tx group. The alive-post-Tx group presented arterial pH (7.40 ± 0.07 x 7.35 ± 0.09, p < 0.016) greater than death-after-Tx group. The evaluation of survival rate after LT related to donor's data the alive-after-Tx group presented significantly greater incidence of mixed ethnicity (33.3% x 8.7%, p=0.037) compared to death-after-Tx group. Cox multiple analysis identified: lactate > 48mg/dL (p=0.035) and arterial pH < 7.329 (p=0.002) of receptor and BMI > 26.2kg/m2 (p=0.012) of donor as independent factors for mortality up to 30 days after LT. In conclusion renal failure is independent indicator of death during prioritization period and lactate and arterial pH of receptor and BMI of donor are also independent indicators of survival rate after 30 days after LT
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2019-05-23
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.