• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.5.2012.tde-30102012-133435
Documento
Autor
Nome completo
Paula Yurie Tanaka
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2012
Orientador
Banca examinadora
Pereira, Juliana (Presidente)
Brigido, Luís Fernando de Macedo
Casseb, Jorge Simão do Rosário
Eira, Margareth da
Hallack Neto, Abrahão Elias
Título em português
Detecção do vírus de Epstein-Barr (EBV), expressão de FOXP3 e avaliação da carga viral para EBV como marcadores prognósticos nos linfomas relacionados à AIDS
Palavras-chave em português
HIV
Linfoma relacionado à aids
Síndrome da imunodeficiência adquirida
Terapia anti-retroviral de alta atividade
Vírus Epstein-Barr
Resumo em português
Introdução: Pacientes com infecção pelo HIV têm risco aumentado para o desenvolvimento de linfomas não-Hodgkin de células B comparado à população geral. Dentre os mecanismos que podem estar relacionados a esta patologia, encontra-se a reativação do vírus de Epstein-Barr secundária a imunossupressão. O papel do sistema imune para desenvolvimento de tumores é citado há longa data, e seu equilíbrio é mantido pelos linfócitos T regulatórios, cujo principal regulador e marcador é o fator de transcrição FOXP3. Neste estudo, avaliamos a presença de EBER e FOXP3 em amostras diagnósticas, além da carga viral para o vírus de Epstein-Barr em pacientes com linfomas relacionados à Aids a fim de avaliar e correlacionar os resultados como marcadores prognósticos nesta população. Métodos: Análise prospectiva da carga viral para Epstein-Barr no plasma e em células mononucleares do sangue periférico em 15 pacientes com linfomas relacionados à Aids acompanhados no Serviço de Hematologia do Instituto de Infectologia Emílio Ribas e do Hospital das Clínicas/Instituto do Câncer do Estado de São Paulo da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. As mensurações foram realizadas para cada paciente por reação da cadeia de polimerase em tempo real ao diagnóstico, término do tratamento e três meses após o término do tratamento. Dois grupos controles constituídos de 26 pacientes infectados pelo HIV em uso de anti-retroviral e sem diagnóstico de linfoma ou infecção oportunista e 30 indivíduos saudáveis também foram analisados para comparação da carga viral para o vírus de Epstein-Barr. Amostras coletadas por biópsia para o diagnóstico de linfoma foram submetidas a análise imuno-histoquímica para FOXP3 e para EBER por hibridização in situ. Resultados: 13 pacientes eram do sexo masculino e dois do sexo feminino, dos quais 14 foram tratados com quimioterapia e um com radioterapia de sistema nervoso central. Nove de 15 pacientes (60%) completaram o tratamento proposto e obtiveram remissão completa. A mediana da carga viral para o vírus de Epstein-Barr antes do tratamento foi 13 cópias/106 nas células mononucleares do sangue periférico (1-1472 cópias/106) e 70 cópias/mL (0-24900 cópias/mL) no plasma. Após o tratamento foi de 0,5/106 (0-109,5) e indetectável no plasma, com diminuição significativa da carga viral em células mononucleares do sangue periférico (p=0,022) e no plasma (p=0,003) ao término do tratamento em comparação ao diagnóstico. Nos pacientes em remissão completa, a carga viral para o vírus de Epstein-Barr diminuiu tanto no plasma como em células mononucleares do sangue periférico na maioria dos casos. A hibridização in situ para EBER resultou positiva em 7/15 (46,7%) casos, sendo significativamente superior no grupo de pacientes com linfomas relacionados a AIDS com mais de um sítio extralinfonodal comprometido (p=0,041) e com linfócitos T CD4 <100 células/L (p=0,026). A expressão de FOXP3 foi negativa em 15/15 (100%) dos pacientes com ARL. Conclusões: A expressão de EBER foi positiva em 7/15 (46,7%) dos pacientes com linfomas relacionados à Aids e superior de forma significativa nos pacientes com estádio mais avançado do linfoma e maior grau de imunossupressão. Observou-se diminuição estatisticamente significativa da mediana de carga viral para o vírus de Epstein-Barr em células mononucleares do sangue periférico (p=0,022) e plasma (p=0,003) após o tratamento do linfoma em comparação aos valores do diagnóstico em pacientes que atingiram remissão completa, o que poderia ser considerado um marcador prognóstico de resposta a terapia
Título em inglês
Epstein-Barr virus (EBV) detection, FOXP3 expression and evaluation of EBV viral load as prognostic markers in Aids-related lymphomas
Palavras-chave em inglês
Acquired immunodeficiency syndrome
Aids-related lymphoma
Epstein-Barr virus
Highly active antiretroviral therapy
HIV
Resumo em inglês
Introduction: Patients with HIV infection have increased risk for development of non-Hodgkins lymphoma compared to general population. Among mechanisms that could be related to this disease is the reactivation of Epstein-Barr virus infection secondary to immunosuppression. The role of immune system in development of tumors was reported a long time ago, and balance of this system is maintained by regulatory T cells; FOXP3 transcription factor is the main regulator and marker of these cells. In this study we evaluated the presence of EBER and FOXP3 in diagnostic samples, and also viral load of Epstein-Barr virus in patients with Aids-related lymphoma to evaluate and correlate the results as prognostic markers in this population. Methods: Prospective analysis of viral load of Epstein-Barr virus in plasma and peripheral blood mononuclear cells from 15 patients with Aids-related lymphoma treated at Instituto de Infectologia Emílio Ribas and Hospital das Clínicas/Instituto do Câncer do Estado de São Paulo da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Viral load measures were performed by real time polymerase chain reaction at diagnosis of lymphoma, completion of treatment and three months afterwards. Two control groups composed by 26 HIV-positive patients in use of HAART and without diagnosis of lymphoma or opportunistic infection and 30 healthy persons were also analyzed for viral load comparison. Biopsy samples performed to lymphoma diagnosis were submitted to immunohistochemistry for FOXP3 and in situ hybridization to EBER. Results: 13 patients were male and two females, 14 were treated with chemotherapy and one with radiotherapy of central nervous system. Nine of 15 patients (60%) completed treatment achieving complete remission. Median viral load of Epstein-Barr virus before treatment was 13 copies/106 in peripheral blood mononuclear cells (1-1472 copies/106) and 70 copies/mL (0-24900 copies/mL) in plasma. After treatment it was 0,5/106 (0-109,5) and not detectable in plasma, with significant decrease of viral load in peripheral blood mononuclear cells (p=0,022) and in plasma (p=0,003) after treatment compared to diagnosis. In patients with complete remission, viral load decreased in the majority of cases. In situ hybridization for EBER was positive in 7/15 (46,7%), and significant higher in the group of patients with Aids-related lymphoma with more than one extra nodal site (p=0,041) and CD4 T-cells <100 cells/L (p=0,026). FOXP3 expression was negative in 15/15 (100%) of patients with ARL. Conclusions: EBER expression was positive in 7/15 (46,7%) of patients with Aids-related lymphoma and significantly higher in patients with advanced stages of lymphoma and higher degree of immunosuppression. Significant decrease in median viral load of Epstein-Barr virus was observed in peripheral blood mononuclear cells (p=0,022) and plasma (p=0,003) after lymphoma treatment compared to diagnosis in patients that achieved complete remission, what could be considered a prognostic marker of response to therapy
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
PaulaYurieTanaka.pdf (1.65 Mbytes)
Data de Publicação
2012-11-01
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.