• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.5.2008.tde-05112008-111205
Documento
Autor
Nome completo
Melissa Tieko Muramoto
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2008
Orientador
Banca examinadora
Mângia, Elisabete Ferreira (Presidente)
Aranha e Silva, Ana Luisa
Lancman, Selma
Título em português
A sustentabilidade da vida cotidiana: um estudo das redes sociais de usuários de serviço de saúde mental no município de Santo André
Palavras-chave em português
Apoio social
Saúde mental
Serviços comunitários de saúde mental
Terapia ocupacional
Transtornos mentais/reabilitação
Vulnerabilidade
Resumo em português
Estudos realizados no campo teórico das redes sociais demonstram que as relações têm impacto significativo na vida das pessoas. Quando associadas à população com transtorno mental, as redes atuam como fator de proteção importante e gerenciador de recursos e suporte social. Entretanto, estudos apontam que as pessoas com transtorno mental apresentam redes sociais empobrecidas e poucas relações significativas. A eclosão do transtorno mental e as rupturas decorrentes de processos de institucionalização contribuem para a dinâmica de redução do número e qualidade de contatos, colocando a pessoa em situação de vulnerabilidade relacional. Neste trabalho, buscou-se caracterizar as redes sociais de 25 usuários do Núcleo de Atenção Psicossocial II (NAPS II), em Santo André, e discutir o papel desse serviço público no fortalecimento das relações sociais e enfrentamento da vulnerabilidade social. A pesquisa, de caráter qualitativo, foi metodologicamente orientada pela postura etnográfica, tendo realizado os seguintes procedimentos: pesquisa bibliográfica, entrevistas por pautas, observação participante e construção de caderno de campo. Foram entrevistados 25 usuários com transtorno mental severo em regime de tratamento intensivo. A coleta de dados foi desenvolvida durante o ano de 2006. Os resultados mostraram que os entrevistados possuem redes sociais empobrecidas, poucas pessoas dispõem de alguma relação significativa e o acesso a recursos materiais e afetivos é escasso. Também demonstraram que os projetos assistenciais desenvolvidos pelo serviço não são capazes de intervirem no âmbito das redes sociais pessoas assistidas e nem de enfrentar o problema de sua vulnerabilidade social. Neste sentido, concluímos que as redes sociais deveriam ser um dos principais alvos das intervenções promovidas pelos serviços de saúde mental e que a investigação sobre os processos de sociabilidade pode contribuir para a elaboração de novas estratégias capazes de complexificar o cuidado da população com transtorno mental, além de oferecer elementos para a construção de novos serviços e políticas públicas no campo da saúde mental.
Título em inglês
The sustainability of quotidian life: a study of social networks of users of a mental health service in Santo André City
Palavras-chave em inglês
Community mental health services
Mental disorders/rehabilitation
Mental health
Occupational therapy
Social support
Vulnerability
Resumo em inglês
Studies realized in the theoretical field of social network show that relations have a significant impact over people lives. When associated to people with mental disorders, networks act as a important protection factor and resources and support given. However, studies point that people with psychiatric suffering have impoverished social networks and few significant relations. The outburst of a mental disorder and the breakages caused by institutionalization processes contribute to the dynamics of reduction of quantity and quality of contacts, pushing the person to a situation of relational vulnerability. In this paper, it was tried to characterize the social networks of 25 users of NAPS II, in Santo André, and to discuss the place of the service on strengthening of social relations and on facing up to relational vulnerability. The research used methods from qualitative investigation, oriented by ethnographic posture: bibliographical research, semi-structured interviews, participant observation and field diary. It had been heard 25 users in intensive treatment program and the participant observation process had been taken through 2006. The results showed that the studied group has impoverished social networks, few people have some significant relation and the access to emotional and material resources is scarce. They also showed that the projects of assistance developed by the service have been incapable to intervene in the relational field of assisted people lives and to face the problems caused by the social vulnerability. On this way, we conclude that social networks might be an important target of interventions promoted by substitutive services and that the investigation about the sociability processes can contribute to the elaboration of new strategies able to turn the care of population with mental disorders more complex. Besides that, social networks offer elements to the construction of new services and public policies on mental health field
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2008-11-17
 
AVISO: O material descrito abaixo refere-se a trabalhos decorrentes desta tese ou dissertação. O conteúdo desses trabalhos é de inteira responsabilidade do autor da tese ou dissertação.
  • MâNGIA, Elisabete, e MURAMOTO, Melissa. O estudo de redes sociais: apontamentos teóricos e contribuições para o campo da saúde. Revista de Terapia Ocupacional da Universidade de São Paulo [online], 2005, vol. 16, p. 22-30. [acesso 2013-02-14]. Disponível em : <http://revistas.usp.br/rto/article/view/13955/15773>
  • MâNGIA, Elisabete, e MURAMOTO, Melissa. Redes sociais e construção de projetos terapêuticos: um estudo em serviço substitutivo em saúde mental. Revista de Terapia Ocupacional da Universidade de São Paulo [online], 2007, vol. 18, p. 54-62. [acesso 2013-02-14]. Disponível em : <http://revistas.usp.br/rto/article/view/14007/15825>
  • MURAMOTO, Melissa, e MâNGIA, Elisabete. A sustentabilidade da vida cotidiana. Um estudo sobre redes sociais de usuários de um serviço de saúde mental no município de Santo André-SP. Ciência e Saúde Coletiva [online], 2011, vol. 16, p. 2165-2177. [acesso 2013-02-14]. Disponível em : <http://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232011000400016&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt>
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.