• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.5.2014.tde-24022015-152845
Documento
Autor
Nome completo
Viviane Carolina Sales
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2014
Orientador
Banca examinadora
Greve, Julia Maria D Andrea (Presidente)
Alonso, Angelica Castilho
Lucareli, Paulo Roberto Garcia
Título em português
Avaliação do efeito do treino de marcha em esteira com e sem suspensão do peso corporal no equilíbrio de pacientes com doença de Parkinson em uso de estimulação cerebral profunda
Palavras-chave em português
Desempenho psicomotor
Doença de Parkinson
Equilíbrio postural
Estimulação encefálica profunda
Fisioterapia
Marcha
Treinamento de resistência
Resumo em português
Introdução: Após a cirurgia de Estimulação Cerebral Profunda (DBS), pacientes com doença de Parkinson (DP) ainda apresentam alterações posturais e da marcha. Assim, intervenções adicionais são necessárias para reduzir a instabilidade postural e quedas. O treino de marcha em esteira é conhecido por melhorar parâmetros do equilíbrio e marcha de pacientes com DP; no entanto, o que ainda não se sabe é se há diferença entre o treino com e sem suspensão do peso corporal e se esses tipos de treinamento são capazes de potencializar os efeitos da DBS. Objetivo: A proposta deste estudo foi comparar os efeitos do treino em esteira, com e sem supensão do peso corporal, em aspectos do equilíbrio de pacientes com DP após DBS. Métodos: Homens (n=6) e Mulheres (n=5) com DP (60.9± 10.6 anos) em uso de DBS bilateral em Núcleo Subtalâmico foram avaliados quanto o equilíbrio e mobilidade antes e após o tratamento, usando o Time Up and Go test (TUG) em três condições: convencional, cognitiva e motora; assim como, a Escala de Berg e a Posturografia Estática. Na fase 1, todos os sujeitos participaram de um programa de fisioterapia convencional associado à treino em esteira por 8 semanas (16 sessões). Após 6 semanas de período de wash-out, cada participante realizou o mesmo treino durante 8 semanas porém, o treino em esteira foi realizado com suspensão do peso corporal. Resultados: Após a fase 1 de treino em esteira sem suspensão, houve melhoras na performance do TUG cognitivo (pré: 15.7±1,8 s versus pós: 13.7±3.1 s; p=0.01) e um aumento do deslocamento corporal ântero-posterior e médio-lateral com os olhos fechados. Após a fase 2 de treino em esteira com suspensão do peso corporal, houve melhoras do TUG convencional (pré: 12.3±2.0 s versus pós: 10.7±1.7 s; p=0.01) e cognitivo (pré: 14.6±3.5 s versus pós: 12.5±1.6 s; p < 0.05). Não houve mudanças significantes nos escores da Escala de Berg após ambas as fases. Conclusão: O treino de marcha em esteira com ou sem suspensão do peso corporal promove melhora do equilíbrio estático e dinâmico em pacientes com DP após a cirurgia de DBS. Ambos os métodos tem resultados similares; No entanto, o treino de marcha com suspensão do peso corporal parece ser uma opção potencialmente superior, uma vez que pacientes sentem-se mais seguros, e isso pode levar à um tipo de treino mais viável
Título em inglês
Effects of partial body weight supported treadmill training and treadmill training on balance of Parkinson's disease patients submitted to Deep Brain Stimulation
Palavras-chave em inglês
Deep brain stimulation
Gait
Parkinson's disease
Physiotherapy
Postural control
Psychomotor performance
Resistance training
Resumo em inglês
Background: After deep brain stimulation (DBS) surgery, patients with Parkinson`s disease (PD) typically still present significant gait and postural stability problems, and thus additional interventions are needed to reduce slip and fall accidents and injuries. Treadmill training is known to improve balance and gait parameters in PD; however, what remains to be determined is the comparative effectiveness of treadmill training with support versus without and if they could potentiate DBS effects. Objective: The purpose of this study was to evaluate the comparative effectiveness of treadmill training, with and without body weight support, on balance outcomes among patients with PD after DBS. Methods: Male (n=6) and female (n=5) patients with PD (60.9± 10.6 years old) that were using bilateral subthalamic nucleus DBS were evaluated for balance and mobility prior to and following treatments, using Time Up and Go test (TUG) in three conditions: conventional, cognitive and motor, as well as the Berg Balance Scale and Static Posturography. In phase 1, all subjects participated in 8-weeks (16 sessions) of treadmill training in conjunction with conventional physiotherapy. After a six weeks period of wash-out, each patient then participated in a subsequent 8-weeks of treadmill training with partial body weight support. Results: After the phase 1 unsupported treadmill training, there were improvements on the cognitive TUG performance (pre: 15.7±1,8 sec versus post: 13.7±3.1 sec; p=0. 01) and an increase of anteroposterior and medio-lateral body oscillation with eyes closed. After the phase 2 body weight supported treadmill training, there were improvements in conventional (pre: 12.3±2.0 sec versus post: 10.7±1.7 sec; p=0. 01) and cognitive (pre: 14.6±3.5 sec versus post: 12.5±1.6 sec; p < 0. 05) TUG performances. There were no significant changes in the Berg Balance Scale following either training protocol. Conclusions: Both unsupported and supported treadmill training improved static and dynamic balance in patients with PD after DBS surgery. Both methods had similar results; however, supported treadmill training seemed to be a potentially superior option, as patients tended to feel safer, and thus it may prove to be a more viable means of training
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2015-02-24
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.