• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.5.2006.tde-08052006-151642
Documento
Autor
Nome completo
Fernanda Cristina Leite Magliaro
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2006
Orientador
Banca examinadora
Matas, Carla Gentile (Presidente)
Couto, Maria Inês Vieira
Russo, Iêda Chaves Pacheco
Título em português
"Avaliação comportamental, eletroacústica e eletrofisiológica da audição em autismo"
Palavras-chave em português
audiometria
potenciais evocados auditivos
potenciais evocados auditivos de tronco encefálico
potencial evocado P300
psico-acústica
testes de impedância acústica
transtorno autístico
transtornos globais do desenvolvimento infantil
Resumo em português
INTRODUÇÃO: O Autismo é um distúrbio que tem início na infância, cujas principais características são a presença de um desenvolvimento anormal ou prejudicado na interação social e comunicação, e um repertório restrito de atividades e interesses. Algumas teorias consideram o autismo como um distúrbio do desenvolvimento causado por uma alteração do sistema nervoso central, e salientam a presença do déficit cognitivo nessa população. Estudos demonstram também a presença de anormalidades eletrofisiológicas nos potenciais evocados auditivos de curta, média e longa latências. Considerando a importância da integridade do sistema auditivo periférico e central na aquisição e desenvolvimento de fala, linguagem e aprendizado, mostra-se imprescindível que anormalidades auditivas tanto periféricas como centrais sejam identificadas e tratadas em indivíduos autistas. OBJETIVO: caracterizar os achados das avaliações comportamentais, eletroacústicas e eletrofisiológicas da audição em indivíduos com autismo, bem como compará-los aos obtidos em indivíduos normais da mesma faixa etária. MÉTODOS: foram realizadas anamnese, audiometria tonal, logoaudiometria, medidas de imitância acústica, potencial evocado auditivo de tronco encefálico, potencial evocado auditivo de média latência e potencial cognitivo em 16 indivíduos com autismo (grupo pesquisa) e 25 normais (grupo controle), com idades entre oito e 20 anos. RESULTADOS: Na comparação entre os resultados normais e alterados (análise qualitativa), não foram encontradas alterações na avaliação comportamental da audição para os dois grupos. Na comparação dos resultados das avaliações comportamentais e eletroacústicas entre os grupos, não ocorreram diferenças estatisticamente significantes. O grupo controle apresentou alterações apenas no resultado do potencial evocado auditivo de média latência, sendo que o tipo de alteração mais freqüentemente encontrada foi ambas (efeito eletrodo e efeito orelha ocorrendo concomitantemente). O grupo pesquisa apresentou resultados alterados em todos os potenciais evocados auditivos, havendo diferença estatisticamente significante quando comparado ao grupo controle. Com relação aos tipos de alterações encontradas no grupo pesquisa, foi observada uma maior ocorrência de alteração em tronco encefálico baixo no potencial evocado auditivo de tronco encefálico, alteração do tipo ambas (efeito eletrodo e efeito orelha ocorrendo concomitantemente) no potencial evocado auditivo de média latência e ausência de resposta no potencial cognitivo. Na análise quantitativa dos resultados dos potenciais evocados auditivos, verificou-se que apenas para o potencial evocado auditivo de tronco encefálico ocorreu diferença estatisticamente significante entre os grupos, com relação às latências das ondas III e V e interpicos I-III e I-V. CONCLUSÃO: Indivíduos com autismo não apresentam alterações nas avaliações comportamentais e eletroacústicas da audição, e apresentam alterações nos potenciais evocados auditivos de tronco encefálico e potencial cognitivo, sugerindo comprometimento da via auditiva em tronco encefálico e regiões corticais.
Título em inglês
Behavioral, electroacoustic and electrophysiological assessment of hearing in autism.
Palavras-chave em inglês
acoustic impedance tests
audiometry
auditory brain stem evoked potentials
auditory evoked potentials
autistic disorder
P300 event-related potentials
pervasive child development disorders
psychoacoustics
Resumo em inglês
INTRODUCTION: Autism is a disorder, which begins in the infancy, and the main characteristics are the presence of an abnormal or impaired development of social interaction and communication, and restrict range of activities and interest. Some theories consider autism as a developmental disorder caused by a central nervous system alteration, and stress the presence of a cognitive deficit in this population. Studies also demonstrate the presence of electrophysiological abnormalities in the auditory evoked potentials of short middle and long latencies. Considering the importance of the peripheral and central auditory system integrity for the speech and language acquisition and development and for learning, it becomes important to identify and treat hearing abnormalities, either peripheral or central, in autistic individuals. AIM: to characterize the findings of behavioral, electroacoustic and electrophysiological assessments of autistic individuals, as well as to compare those findings with the ones of normal individuals of the same age. METHOD: 16 individuals with autism (study group) and 25 normal ones (control group), ranging in age from eight and 20 years underwent anamnesis, pure tone audiometry, speech audiometry, acoustic immitance measures, brainstem auditory evoked potential, middle latency response and cognitive potential. RESULTS: Comparing the normal and altered results (qualitative analysis), no alterations were found in the behavioral assessment of hearing in both groups. Comparing the results of the behavioral and electroacoustic evaluations between the two groups, there were no statistical differences. The control group presented altered results only in the middle latency auditory evoked potential and the most common type of alteration was both electrode effect and ear effect occurring simultaneously. The study group presented altered results in all auditory evoked potentials with a significant statistical difference when compared to the control group. Concerning the types of alterations found in the study group it was verified higher occurrence of lower brainstem alteration in the brainstem auditory evoked potential, both electrode and ear effect occurring simultaneously in the middle latency auditory evoked potential, and absence of response in the cognitive potential. The quantitative analysis of the auditory evoked potentials results showed a significant statistical difference between the groups only in the brainstem auditory evoked potential, concerning the latencies of waves III and V and interpeaks I-III and I-V. CONCLUSION: autistic individuals do not present altered behavioral and electroacoustic evaluations, and present altered brainstem auditory evoked potential and cognitive potential, suggesting prejudice in the brainstem auditory pathway and cortical regions.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2006-10-11
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.