• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.5.2011.tde-04082011-161027
Documento
Autor
Nome completo
Aretusa Cardoso
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2011
Orientador
Banca examinadora
Greve, Julia Maria D Andrea (Presidente)
Ciolac, Emmanuel Gomes
Raso, Vagner
Título em português
Comparação ente indicadores do teste ergoespirométrico e qualidade de vida entre idosos não-treinados e treinados
Palavras-chave em português
Capacidade funcional
Ergoespirometria
Limiar ventilatório
Tolerância ao exercício
VO2max
Resumo em português
O objetivo deste estudo foi comparar indicadores ergoespirométricos entre um grupo de idosos não-treinados (GINT) e o grupo de idosos treinados (GIT) em corridas de longa distância e a associação com a qualidade de vida. Uma amostra de 46 indivíduos idosos, dos quais 27 (idade = 73,1 ± 4,3 anos) estavam engajados em treinamento para corridas de longa distância e 19 (idade = 73,5 ± 6,4 anos) idosos que não praticavam exercício físico regular. Todos foram submetidos à avaliação cardiorrespiratória e metabólica, utilizando se analisador metabólico de gases (CPX/D, MedGraphics®, EUA) acoplado a eletrocardiógrafo (HeartWere®, 6.4, BRA), ambos os sistemas computadorizados. A determinação da capacidade física máxima foi verificada em esteira rolante (Inbramed®, ATL10200, BRA) utilizando se protocolo escalonado contínuo (1,2 km.h-1 a cada dois minutos) e inclinação fixa de 1%. Os seguintes resultados verificados foram: No segundo limiar ventilatório (VT2) [GINT vs. GIT]: FC (bpm) [69,4 ± 9,9 vs. 65,4 ± 6,8; p <0,05]; RQ [1,03 ± 0,03 vs.1,01 ± 0,03; p <0,05]; PO2 (mL/bpm) [11,3 ± 2,4 vs.14.4 ± 2,8; p <0,05]. No pico do esforço: VO2max (mL/kg/min) [27 ± 5,4 vs. 39,3 ± 5,6; p <0,05], TT (min) [9,6 ± 2,9 vs. 16,4 ± 2,7; p <0,05] e velocidade de corrida (km.h-1) [9,7 ± 2,5 vs. 13,3 ± 2,5; p <0,05]. Para medir a qualidade de vida foi utilizado o questionário WHOQOL. WHOQOL pontos [GINT vs. GIT: [70 ± 5 versus 71 ± 6] Avaliou-se o uso de medicamentos de diferentes grupos farmacológicos através de entrevistas e análise de pedidos médicos. Concluindo, a capacidade de desempenho cardiorrespiratório do GIT foi significativamente maior do que o GINT. No entanto, a qualidade de vida não foi diferente entre os dois grupos. Houve diferença na proporção de medicamentos utilizados entre os grupos. O GIT aparece com maior incidência no uso de Antiarrítmicos, Antiinflamatórios e Relaxantes Musculares. Ao contrário, o GINT apresentou maior uso de Hipoglicemiantes e Anti-Coagulantes. A maior utilização de antiinflamatórios e analgésicos pelo GIT pode ser devido ao fato de que os corredores têm maior prevalência de lesão muscular. Já a maior utilização de Hipoglicemiantes e Anti-Coagulantes pelo GINT, demonstra a falta de proteção cardiovascular pelo sedentarismo
Título em inglês
Comparison between indicators of cardiopulmonary exercise test and quality of life among trained and untrained elderly
Palavras-chave em inglês
Ergospirometry
Exercise tolerance
Functional capacity
Ventilatory threshold
VO2max
Resumo em inglês
The main purpose of this study was to compare ergoespirometric indicators among a group of elderly untrained (GEU) and a group of elderly old trained (GET) in long-distance race and the association with quality of life. Twenty seven (age = 73.1 ± 4.3 years) were engaged in training for distance running and 19 (age = 73.5 ± 6.4 years) older adults who did not practice regular physical exercise. All were underwent a cardiopulmonary exercise test evaluation. To this end we used a gas explorer (CPX/D, breathby breath Medgraphics®, Saint Paul, MN, USA) coupled to an electrocardiograph (HeartWere®, 6.4, BRA). Both systems were computerized. The determination of the maximum physical capacity was assessed on a treadmill (Inbramed ®, ATL-10200, BRA) using incremental protocol (1.2 km.h-1every two minutes) and a fixed inclination of 1%. The following results were observed: In second ventilatory threshold (VT2) [GEU vs. GET]: HR (bpm) [69.4 ± 9.9 vs. 65.4 ± 6.8; p <0.05], RQ [1.03 ± 0.03 vs.1.01 ± 0.03; p <0.05]; PO2 (mL/bpm) [11.3 ±2.4 vs.14.4 ± 2.8, p <0.05]. At peak effort: VO2max (mL/kg/min) [27 ± 5.4 vs. 39.3 ± 5.6; p <0.05], TT (min) [9.6 ± 2.9 vs. 16.4 ± 2.7; p <0.05] and running speed (km.h-1) [9.7 ± 2.5 vs. 13.3 ± 2.5; p <0.05]. To measure quality of life we used the WHOQOL. WHOQOL points [GEU vs. GET: [70 ± 5 vs. 71 ± 6] evaluated the use of drugs from different pharmacological groups through interviews and medical applications. In conclusion, the cardiorespiratory capacity of the GET was significantly higher than the GEU. However, the quality of life was not different between the two groups. Differences in the proportion of medicines used by the groups. GET appears with a higher incidence in antiarrhythmics, anti-inflammatory and muscle relaxants. Instead, the GEU showed greater use of hypoglycemic and anti-coagulants. The increased use of antiinflammatory and muscle relaxants effects by the GET may be due to the fact that runners have a higher prevalence of muscle damage. Instead, the increased use of hypoglycemic and anti-coagulants by GEU, demonstrates the lack of cardiovascular protection by physical inactivity
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
AretusaCardoso.pdf (4.95 Mbytes)
Data de Publicação
2011-08-05
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.