• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.5.2005.tde-27042005-160127
Documento
Autor
Nome completo
Alessandra Carvalho Goulart
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2005
Orientador
Banca examinadora
Benseñor, Isabela Judith Martins (Presidente)
Cardoso, Marly Augusto
Elias, Paulo Eduardo Mangeon
Jaime, Patrícia Constante
Menezes, Paulo Rossi
Título em português
"Obesidade e fatores associados numa amostra de mulheres em área de exclusão social, na cidade de São Paulo: correlação com índices antropométricos"
Palavras-chave em português
Antropometria/métodos
Áreas de pobreza
Estudos transversais/epidemiologia
Fatores de risco
Mulheres
Obesidade
Pesos e medidas corporais
Resumo em português
Introdução: há vários relatos na literatura que referem o aumento progressivo da obesidade em mulheres de nível sócio-econômico baixo das áreas urbanas. Os fatores que podem estar relacionados à transição nutricional nesse estrato da sociedade ainda são muito controversos. Este estudo tem por objetivo avaliar a freqüência de obesidade, e fatores associados em mulheres numa área de exclusão social da cidade de São Paulo. Métodos: foi realizado um estudo transversal, entre o período de junho de 2002 a abril de 2004, em 116 mulheres moradoras de favelas na periferia e região metropolitana de São Paulo. O desfecho antropométrico primário foi o índice de massa corpórea (IMC). As mulheres foram categorizadas em três estratos de índice de massa corpórea [IMC] (= 25.0 kg/m2; 25.0 to 29.9 kg/m2; and = 30.0 kg/m2). Os grupos foram comparados entre si, quanto às características referentes às variáveis de provável exclusão social, hábitos de vida e clínico laboratoriais (medidas antropométricas e fatores de risco cardiovasculares). O modelo logístico usado analisou as variáveis independentes associadas ao sobrepeso e obesidade. Resultados: a freqüência de obesidade nessa amostra (28.4%), foi maior que a observada em outros estudos brasileiros. Após o ajuste multivariado, comparadas às mulheres magras (IMC < 25 kg/m2), as que possuíam história de três ou mais partos foram mais sobrepeso (Razão de chance [RC], 3.4; 95% Intervalo de confiança [95% IC], 1.2-9.6) e obesas (razão de chance [RC], 5,3; 95% Intervalo de confiança [95% IC], 1,6-17,5). Mulheres brancas comparadas com o grupo de referência (magras e negras) foram mais obesas. (RC, 9.9; 95% IC, 1.5-64.6). Comparadas às magras, mulheres obesas apresentaram maiores níveis de dislipidemia por HDL-colesterol baixo (RC, 10; IC 95%, 2.5-50) e hipertrigliceridemia (RC, 8.4; IC95%, 1.5-48). Nessas mulheres de baixo nível sócio-econômico, paridade e raça foram os mais importantes fatores associados à obesidade. Mulheres com cor da pele branca foram claramente mais obesas que as de cor negra e parda.
Título em inglês
Obesity and associated risk factors among very low income women living in São Paulo, Southern Brazil
Palavras-chave em inglês
Anthropometry/methods
Body weights and measures
Cross-sectional studies/epidemiology
Obesity
Poverty areas
Risk factors
Women
Resumo em inglês
To evaluate the prevalence and associated risk factors for obesity in low-income women living in a metropolitan area of the city of São Paulo. Methods: Cross-sectional study (116 women) living in slums. Women were categorized in three body-mass index strata [BMI] (=25.0 kg/m 2 ; 25 to 29.9 kg/m2; and = 30.0 kg/m2). Groups were compared regarding variables of social inequalities and clinical assessment: anthropometric measurements and cardiovascular risk factors. A logistic model was used to analyze the independent variables associated with overweight and obesity. Results: Frequency of obesity of 28.4% was higher than in other Brazilian samples. After multivariate adjustment, compared to lean, women with three or more childbearing were more overweight (Odds Ratio [OR], 3.4; 95% Confidence Interval [95% CI], 1.2-9.6) and obese (Odds Ratio [OR], 5,3; 95% Confidence Interval [95% CI], 1,6-17,5). White women compared to reference group (lean and African American women) were also more obese. (OR, 9.9; 95% CI, 1.5-64.6). Compared to lean, obese women had lower HDL-cholesterol levels (OR, 10; 95% CI, 2.5-50) and hypertriglyceridemia (OR, 8.4; 95% CI, 1.5-48). In these low-income women, parity and race were the most important factors associated to obesity. White women were clearly more obese than mullato and African American women.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2005-08-03
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.