• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.5.2006.tde-13092006-155555
Documento
Autor
Nome completo
Lilian Monteiro Pereira Araújo
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2006
Orientador
Banca examinadora
David Neto, Elias (Presidente)
Carvalho, Maria Fernanda Cordeiro de
Castro, Maria Cristina Ribeiro de
Noronha, Irene de Lourdes
Silva Junior, Hélio Tedesco
Título em português
"Co-interferências da farmacocinética dos inibidores de calcineurina em associação com micofenolato mofetil em pacientes transplantados renais"
Palavras-chave em português
Ácido micofenólico
Áreas sob a curva
Ciclosporina
Farmacocinética
Monitoramento de medicamentos
Tacrolimo
Transplante de rim
Resumo em português
Para avaliar a exposição ao ácido micofenólico (MPA) na fase inicial pós-transplante renal, receptores foram destinados para receber tacrolimo (n=33) ou ciclosporina (n=19, controle) com MMF. Foram feitas coletas de farmacocinética (AUC) do inibidor de calcineurina e MPA nos dias 7, 14, 30, 60 e 180 pós-transplante. Dos dias 14-180, a MPA-AUC foi mais elevada no grupo tacrolimo devido a um maior segundo pico de MPA. Com doses fixas de MMF, uma grande porcentagem de curvas ficou abaixo da faixa terapêutica. No dia 7, a equação que emprega a concentração pré-dose (C0) e na segunda hora (C2) foi a mais precisa para estimar AUC. Após o dia 7, a equação que utiliza C2 foi a mais precisa. A exposição ao MPA nos primeiros seis meses após transplante renal é maior sob tacrolimo do que ciclosporina. Entretanto, para qualquer inibidor de calcineurina empregado com MMF, uma equação que emprega C0 e C2 (dia 7) e C2 isoladamente (após o dia 7), permite a monitoração de MPA com grande precisão
Título em inglês
Interferences of calcineurin inhibitors on the pharmacokinetics of mycophenolic acid in renal transplantation
Palavras-chave em inglês
Area under curve
Cyclosporine
Drug monitoring
Kidney Transplantation
Mycophenolic acid
Pharmacokinetics
Tacrolimus
Resumo em inglês
To evaluate the exposure to mycophenolic acid (MPA) early after renal transplantation, recipients were allocated to tacrolimus (n = 33) or Neoral (n =19, control) plus MMF. Pharmacokinetic curves (AUC) of calcineurin inhibitor and MPA were drawn on days 7, 14, 30, 60 and 180 post-transplant. From days 14-180, MPA-AUC was higher in tacrolimus group due to a higher second MPA peak. With fixed MMF doses, a great amount of curves fell below the proposed therapeutic range. On day 7, the equation that uses pre-dose (C0) and second-hour (C2) concentrations was the most accurate. After day 7, the equation that uses C2 alone was the most accurate. Exposure to MPA during the first six months after transplantation is higher under tacrolimus than Neoral. Nevertheless, despite the calcineurin inhibitor associated with MMF, an equation that uses C0 and C2 up to day 7 and C2 thereafter allows precise MPA monitoring
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2006-09-15
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.