• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.5.2008.tde-04112008-155406
Documento
Autor
Nome completo
Samantha Carlos de Oliveira
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2008
Orientador
Banca examinadora
Bydlowski, Sergio Paulo (Presidente)
Bizzacchi, Joyce Maria Annichino
Castro, Fabio Fernandes Morato
Maffei, Francisco Humberto de Abreu
Saad, Sara Teresinha Ollala
Título em português
Trombocitopenia induzida por heparina: aspectos clínicos e laboratoriais
Palavras-chave em português
Fator plaquetário
Heparina/efeitos adversos
Imunologia
Plaquetas
Trombocitopenia
Trombose/complicações
Resumo em português
A trombocitopenia induzida por heparina (TIH) é uma síndrome imunohematológica mediada por um anticorpo que causa ativação plaquetária na presença de heparina, induz à agregação plaquetária e pode estar associada a graves e paradoxais complicações trombóticas e morte. A freqüência de TIH nos pacientes que recebem heparina por mais de cinco dias é de 1% a 5%, e está relacionada a vários fatores. Este é um estudo pioneiro no Brasil, que objetivou avaliar aqui a freqüência de TIH nos pacientes em uso de heparina, a relação ao gênero, ao tipo de heparina e a associação do genótipo da FcRIIa de receptores plaquetários. Foram selecionados 278 pacientes das Unidades de Terapia Intensiva e Unidades Coronariana do InCor-HCFMUSP, que receberam anticoagulação por heparina não fracionada (HNF) e/ou heparina de baixo peso molecular (HBPM), por pelo menos 5 dias, e excluídas as possíveis causas conhecidas de trombocitopenia. Foi realizada a contagem plaquetária pré e pós terapia com heparina, e o teste de detecção do anticorpo anti-fator 4 plaquetário/heparina (ID-PaGIA, DiaMed; e Asserachrom®-HPIA, Stago). O estudo da genotipagem da FcRIIa de receptores plaquetários foi realizado pelo método de digestão com enzima de restrição alelo específica. A freqüência de TIH encontrada foi de 6 (2,2%), e a freqüência de trombocitopenia com a presença do anticorpo anti-fator 4 plaquetário foi de 24,3%. A análise do gênero do paciente não demonstrou correlação com a TIH, nem com a trombocitopenia e nem com o anticorpo anti-fator 4 plaquetário. As mulheres apresentaram mais trombose do que os homens. A trombocitopenia ocorreu com maior freqüência nos pacientes que utilizaram os dois tipos de heparina (HNF-HBPM) e, com menor freqüência, nos que utilizaram apenas HBPM. O genótipo da FcRIIa de receptores plaquetários não apresentou relação com o gênero, nem com a TIH. Este estudo determinou a freqüência de TIH em uma população brasileira com uso de heparina e auxiliou no diagnostico. O melhor teste para detectar o anticorpo anti-fator 4 plaquetário/heparina, na presença de trombocitopenia e trombose, foi o teste de imunoaglutinação ID-PaGIA (DiaMed). A utilização dos dois tipos de heparina promoveu uma maior freqüência de trombocitopenia. Porém, novos estudos precisam confirmar as relações entre o tipo de heparina, com a trombocitopenia e com a TIH
Título em inglês
Heparin induced thrombocytopenia: clinical and laboratory aspects
Palavras-chave em inglês
Blood platelets
Heparin/adverse effects
Immunology
Platelet factor
Thrombocytopenia
Thrombosis/complications
Resumo em inglês
Heparin induced thrombocytopenia (HIT) is an immune-hematologic syndrome mediated by a heparin dependent antibody that causes platelet activation, platelet aggregation, and can be associated with thrombosis and death. HIT occurs in about 1-5% of patients receiving heparin therapy up to 5 days or more. Many factors influence on the frequency of HIT. This is a pioneer Brazilian study to determine the frequency of HIT on patients under heparin therapy, and the relationship of HIT with gender, heparin type and the FcRIIa platelet receptor genotype. 278 patients from the Intensive Care Unit and Cardiac Care Unit at InCor-HCFMUSP treated with Unfractionated Heparin (UFH) and/or Low Molecular Weight Heparin (LMWH) for 5 or more days were studied. Known causes of thrombocytopenia were excluded. Platelet count was monitored pre and post heparin therapy. All selected patients were tested for detection of anti-heparin/PF4 antibody (ID-PaGIA, DiaMed; and Asserachrom®-HPIA, Stago). HIT frequency found was 6 (2,2%) and the frequency of thrombocytopenia (determined by a decrease in the platelet count below 50%, after the introduction of heparin therapy) and positive anti-heparin/PF4 antibody test was 24,3%. Patients gender was not related to TIH, neither to thrombocytopenia nor to the presence of antiheparin/ PF4 antibody. Thrombosis events were more frequent in women than in men. Thrombocytopenia, related to the type of heparin, was more frequent in patients that had used both types of heparin and less frequent in those that used only LMWH. FcRIIa platelet receptor genotype was associated with neither HIT nor with gender. This study has provided the frequency of HIT in a Brazilian patient population under heparin therapy and auxiliary in the HIT diagnosis. The ID-PaGIA (DiaMed) was shown to be the best test to correlate the presence of anti-heparin/PF4 antibody to thrombocytopenia and thrombosis event. The use of both heparin types promotes more thrombocytopenia. New studies are needed to confirm the relationship between heparin type and thrombocytopenia with HIT
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
SamanthaCOliveria.pdf (758.86 Kbytes)
Data de Publicação
2008-11-18
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.