• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.5.2008.tde-29012009-134020
Documento
Autor
Nome completo
Roberto Vieira Botelho
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2008
Orientador
Banca examinadora
Bohm, Gyorgy Miklós (Presidente)
Burattini, Marcelo Nascimento
Jatene, Adib Domingos
Paola, Angelo Amato Vincenzo de
Sousa, José Eduardo Moraes Rego
Título em português
Valor preditivo da tele-eletrocardiografia no infarto agudo do miocárdio
Palavras-chave em português
Eletrocardiografia
Infarto agudo do miocárdio
Tele-eletrocardiografia
Telemedicina
Resumo em português
O presente estudo procurou avaliar, prospectivamente, a segurança do sistema de tele-eletrocardiografia para a liberação de pacientes que se apresentem a postos de saúde com queixa de dor torácica. Avaliamos a incidência de infarto do miocárdio dessa população ao longo de seis meses. Como objetivo secundário, correlacionamos, retrospectivamente, a razão das probabilidades entre diferentes indicadores clínicos e eletrocardiográficos e a ocorrência do infarto do miocárdio. Entre junho e dezembro de 2006, 32444 pacientes foram atendidos em postos de saúde pública, carentes de cardiologistas e tiveram o seu tele-eletrocardiograma transmitido até uma central de telemedicina, através de linha telefônica fixa. Selecionaram-se 1535 pacientes atendidos devido a dor torácica, que tinham mais de 50 anos e apresentavam exame clínico, laboratorial (troponina I ou creatino fosfoquinase fração MB-CKMB) e tele-eletrocardiográfico normais além de consentirem em repetir o tele-eletrocardiograma após um e seis meses. Todos os pacientes foram seguidos durante seis meses. Não houve eventos durante o primeiro mês. No segundo mês houve 12(0,8%) infartos; no terceiro mês, 18(1,2%); no quarto mês, 38(2,4%) e no sexto, 18(1,2%). Ao longo dos seis meses houve 15(1%) óbitos, sendo 9(0,6%) de origem cardíaca; 9 (0,6%)acidentes vasculares encefálicos e 86(5,6%) infartos agudos do miocárdio. Entre as variáveis que se correlacionaram, independentemente, com maior chance de infarto agudo do miocárdio, encontrou-se a obesidade grau I [p=0,009 RC 4,5 IC 95%(1,5-13,8)], a dislipidemia [p< 0,0001 RC 3,4 IC 95%(2,0-5,8)], a baixa amplitude da onda T em V2 [p<0,001 RC 2,9 IC 95%(2,4-3,5)] e o sobrepeso [p=0,019 RC 2,6 IC 95%(1,2-5,7)]. Cada 0,5mm de redução na amplitude da onda T aumentou em quase três vezes a chance de ocorrência do infarto agudo do miocárdio durante seis meses. O tabagismo apresentou forte tendência [p=0,057 RC 1,7 IC 95%(1,0-2,8)] à regressão logística binária e foi significante após análise por árvore de decisão. Estes resultados permitiram as seguintes conclusões: o sistema de tele-eletrocardiografia oferece alta segurança ao estratificar o risco de pacientes com exame clínico, laboratorial e tele-eletrocardiográfico normais, queixando-se de dor torácica. Identificou-se, ao longo dos seis meses, a população de maior chance de apresentar o evento através de variáveis clínicas (obesidade, dislipidemia, tabagismo e sobrepeso) e tele-eletrocardiográficas (amplitude da onda T em V2), que determinaram, independentemente, a ocorrência de infarto agudo do miocárdio
Título em inglês
Myocardial infarction predictors as detected by teleelectrocardiography
Palavras-chave em inglês
Acute myocardial infarction
Electrocardiography
Tele-electrocardiography
Telemedicine
Resumo em inglês
The present study aimed at prospectively evaluating the reliability of teleeletrocardiography for the discharge of chest pain patients who present themselves at remote medical centers. The incidence of acute myocardial infarction among this population was evaluated during a period of six months. As a secondary objective, the correlation between different clinical and electrocardiographic features and the occurrence of myocardial infarction was retrospectively checked. Between June and December of 2006, 32.444 patients were treated in public medical centers which lacked the assistance of cardiologists. Those patients had their electrocardiogram transmitted to a telemedicine center over a fixed-wired telephone line. Among them 1535 patients who had been assisted due to chest pain were selected. Those patients were all older than 50 years and showed normal clinical and laboratorial (troponine I or creatine phosphokinase MB-CKMB fraction) exams, as well as normal tele-electrocardiograms. They also agreed to repeat the teleelectrocardiogram in a six-month period. All patients were followed up to the sixth-month. In the second month, there were 12 (0,8%) infarctions; in the third month there were 18 (1,2%) infarctions; in the fourth month there were 38 (2,4%) infarctions, and in the sixth month there were 18 (1,2%) infarctions. Over that six month period, there were 15 (1%) deaths, 9 (0,6%) of which were related to cardiac causes; 9 (0,6%) strokes, and 86 (5,6%) acute myocardial infarctions. Among the variables which independently correlated with greater risk of acute myocardial infarction, we found grade I obesity [p=0,009 RC 4,5 IC95%(1,5-13,8)]; dyslipidemia [p<0,0001 RC 3,4 IC 95%(2,0-5,8)]; low T-wave amplitude in V2 [p<0,001 RC 2,9 IC 95%(2,4-3,5)], and overweight [p=0,019 RC 2,6 IC 95%(1,2-5,7)]. Each 0,5mm reduction in the T-wave raised almost three times the chance for the occurrence of acute myocardial infarction in a sixmonth period. Smoking showed a strong tendency [p=0,057 RC 1,7 IC 95%(1,0-2,8)] to binary logistic regression and was significant after decision tree analysis. These results lead to the following conclusions: the teleelectrocardiographic system offers high level of safety and reliability due to its capacity to stratify chest pain patient risk. Over these six months the study identified the population who showed greater chances of presenting the event through clinical (obesity, dyslipidemia, smoking and overweight) and teleelectrocardiography (amplitude of T-wave in V2) variables, which independently, determined the occurrence of acute myocardial infarction
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2009-02-13
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.