• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.5.2007.tde-17022009-115336
Documento
Autor
Nome completo
Claudia Alvares Calvo Alessi
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2007
Orientador
Banca examinadora
Corbett, Carlos Eduardo Pereira (Presidente)
Saldiva, Paulo Hilario Nascimento
Savani, Elisa San Martin Mouriz
Silveira, Fernando Tobias
Strauss, Edna
Título em português
Leishmaniose cutânea americana no Pontal do Paranapanema - SP: avaliação clínica, histopatológica e uso da reação em cadeia da polimerase (PCR) para identificação e caracterização das espécies de Leishmania
Palavras-chave em português
Doenças parasitárias
Leishmania
Leishmania braziliensis
Leishmaniose cutânea
Reação em cadeia da polymerase
Resumo em português
As leishmanioses são doenças parasitárias causadas por protozoários do gênero Leishmania e são importante problema de saúde pública. A leishmaniose cutânea americana é considerada doença autóctone do continente americano e se apresenta com diversas formas clínicas, que dependem da espécie que causa a infecção e de outros fatores como virulência e capacidade de evasão do sistema immune. São reconhecidas seis espécies de Leishmania que causam casos humanos de LCA no Brasil, destas, cinco pertencem ao subgênero Viannia e uma ao subgênero Leishmania. Elas são: Leishmania (Viannia) braziliensis, Leishmania (Viannia) guyanensis, Leishmania (Viannia) lainsoni, Leishmania (Viannia) shawi, Leishmania (Viannia) naiffi e a Leishmania (Leishmania) amazonensis. A transmissão da leishmaniose cutânea se mantém na região do Pontal da Paranapanema, com 20 casos notificados em 2006. A Leishmania (V.) braziliensis é a única espécie considerada como agente da doença na região, com identificação dos vetores envolvidos e de possíveis reservatórios silvestres. O objetivo do trabalho é o estudo dos aspectos epidemiológicos, clínicos e histopatológicos da leishmaniose cutânea no Pontal do Paranapanema e a identificação, por métodos moleculares, PCR, do agente etiológico e a caracterização do gênero, subgênero e a espécie de Leishmania presentes na região. A doença foi encontrada em ambos os sexos, predominando no sexo masculino (67,9%), em todas as faixas etárias, mas 70,5% estavam na faixa de 20 a 49 anos de idade. A forma clínica mais encontrada foi a cutânea, com 92,3% dos casos. A pesquisa de parasita na lesão em 78 pacientes que realizaram biópsias foi positiva em 40 amostras (51.3%), em lâminas coradas pela HE; quando se utilizou a IH foi 66,7%. O índice de concordância entre as técnicas da HE e IH foi de 58,97%. Entretanto, 10 casos negativos na IH foram positivos na HE, e de 38 casos negativos na HE, 22 foram positivos na IH. Isto mostra que há necessidade de associação dos dois métodos. A positividade na PCR foi de 53,8%. Avaliando-se os resultados obtidos nesse estudo, podemos verificar que dos 40 casos positivos pela HE, 24 também foram positivos pela PCR; porém, 16 destes, foram negativos pela PCR. Em contrapartida, das 38 amostras negativas na HE, 18 delas foram positivas pela PCR. Pela imunohistoquímica, do total de 26 amostras negativas, apenas 12 permaneceram negativas e 14 foram positivas na PCR; enquanto que, das 52 amostras positivas pela IH, 28 foram positivas e 24 negativas pela PCR. Os níveis de concordância da PCR com HE foram de 56,41% e da PCR com IH de 51,28%. Esses resultados reforçam a idéia da necessidade de se associar os três métodos para o diagnóstico da LC. As características das lesões histopatológicas foram: reação granulomatosa (RG) encontradas em 71,85%, reação granulomatosa com células gigantes (RGCG) em 12,8%, reação granulomatosa com necrose (RGN) em 10,3% e reação granulomatosa com necrose e células gigantes (RGNCG) em 5,1% dos casos. Utilizando-se os primers SSU rDNA S17/S18, foi possível caracterizar, através do seqüenciamento, 27 (34,6%) amostras como sendo do subgênero Viannia e 06 amostras como L. (L.) amazonensis. Este estudo identificou o primeiro caso de L. (L.) amazonensis na região
Título em inglês
American cutaneous leishmaniasis in the Pontal do Paranapanema SP: clinical, histopathological evaluation and use of Polymerase Chain Reaction (PCR) for identification and characterization of the Leishmania species
Palavras-chave em inglês
Cutaneous leishmaniasis
Leishmania
Leishmania braziliensis
Parasite disease
Polymerase chain reaction
Resumo em inglês
Leishmaniasis are parasitic diseases caused by protozoans of the Leishmania genus and are important public health problems. American cutaneous leishmaniasis (ACL) is considered an autochthonous disease of the American continent and presents several clinical forms which depend on the causative species of the infection and other factors such as virulence and ability to evade the immune system. Six Leishmania species are recognized to cause human ACL cases in Brazil of which five belong to the Viannia and one to the Leishmania subspecies. They are: Leishmania (Viannia) braziliensis, Leishmania (Viannia) guyanensis, Leishmania (Viannia) lainsoni, Leishmania (Viannia) shawi, Leishmania (Viannia) naiffi and Leishmania (Leishmania) amazonensis. Cutaneous leishmaniasis transmission is maintained in the Pontal do Paranapanema region, with 20 notified cases in 2006. Leishmania (V.) braziliensis is the only species considered to be the disease agent in the region with identification of the involved vectors and possible wild reservoirs. The aim of this research is the studies of the epidemiological, clinical and histopathological aspects of cutaneous leishmaniasis in the Pontal do Paranapanema and the identification by molecular methods, PCR, of the etiologic agent and characterization of the Leishmania genus, subgenus and species present in the region. The disease was found in both genders, with predominance of males (67.9%), in all age ranges, but 70.5% were in the range of 20 to 49 years. The cutaneous was the mostly found clinical form with 92.3% of the cases. Search for the parasite in the lesion of 78 patients who underwent biopsies was positive in 40 samples (51.5%), in HE stained slides; when IH was used, 66.7% were positive. Agreement index between the HE and IH techniques were 58.97%. However, 10 negative cases using IH were positive with HE, and of 38 HE negative cases 22 were positive using IH. This shows that association of the two methods is needed. Using PCR, there was a positivity of 53.8%. Evaluating the results obtained in this study, we may observe that of the 40 HE positive cases 24 were also positive on PCR; but 16 of these were PCR negative. Contrariwise, of the 38 HE negative samples 18 were positive PCR. Using immunohistochemistry, of the total of 38 HE negative samples, 18 were positive with PCR; while of the 52 IH positive samples, 28 were positive and 24 negative on PCR. Agreement levels of PCR with HE were 56.41%, and of PCR with IH 51.28%. These results reinforce the idea of the need for association of the three methods for CL diagnosis. Histopathological lesion characteristics were: granulomatous reaction (GR) found in 71.85%, granulomatous reaction with giant cells (GRGC) in 12.8T, granulomatous reaction with necrosis (GRN) in 10.3% and granuloma with necrosis and giant cells (GRNGC) in 5.1% of the cases. Using SSU rDNAS 17/S18 primers it was possible to characterize through sequencing 27 (34.6%) samples as being of the Viannia subgenus and 06 samples of the L. (L.).amazonensis This study identified the first L. (L.) amazonensis case in the region
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
claudiaacalessi.pdf (2.42 Mbytes)
Data de Publicação
2009-03-11
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.