• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.5.2005.tde-12082005-155039
Documento
Autor
Nome completo
Maria de Fatima Gomes de Sá Ribeiro
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2004
Orientador
Banca examinadora
Strauss, Edna (Presidente)
Azevedo Neto, Raymundo Soares de
Duarte, Maria Irma Seixas
Guz, Betty
Soares, Elza Cotrim
Título em português
"Fatores prognósticos na evolução da hepatite C"
Palavras-chave em português
DOADORES DE SANGUE
EVOLUÇÃO CLÍNICA
HEPATITE C CRÔNICA/patologia
PROGNÓSTICO
VALOR PREDITIVO DOS TESTES
Resumo em português
O consumo alcoólico pode levar à deterioração da lesão hepática em pacientes com hepatite C. A progressão da doença na hepatite C crônica depende de vários outros fatores relacionados com o hospedeiro, vírus e o meio ambiente embora os mecanismos patogênicos ainda não sejam bem conhecidos. OBJETIVOS: avaliar os dados demográficos, epidemiológicos, clínicos e bioquímicos dos pacientes com hepatite C crônica em relação ao consumo alcoólico e relacionar as variáveis clínicas, epidemiológicas e bioquímicas em relação às alterações histopatológicas ausente e leve em comparação às intensas. MÉTODOS: Nós estudamos os dados demográficos, clínico-epidemiológicos e laboratoriais comparando-os às alterações histopatológicas em 120 doadores voluntários de sangue com hepatite C, divididos em três grupos de acordo com a ingestão alcoólica: (i) grupo abstêmio: n=41; (ii) grupo consumo alcoólico leve: n=36; (iii) grupo consumo alcoólico acentuado: n=43. Os parâmetros histopatológicos como alterações estruturais ou fibrose, atividade periportal e lobular e infiltrado portal foram graduados de 0 a 4 e divididas em leve (0/1/2) e intensa (3/4). RESULTADOS: Quase 70% dos pacientes eram homens e a maior proporção deles (83,5%) era de alcoolistas (leve e acentuado).Por outro lado, as mulheres eram habitualmente abstêmias (58,5%). Transfusão, como fator de risco para hepatite C foi mais freqüente em abstêmios (p=0,056) enquanto que o uso de drogas predominou no grupo de consumo alcoólico acentuado (p < 0,001). Com relação aos grupos, não foram observadas diferenças quando analisados o tempo de ingestão alcoólica, abstinência alcoólica, cirurgia e outros modos de contaminação, níveis séricos de alanina aminotransferase, aspartato aminotransferase, gama-glutamiltransferase, graus de fibrose, atividade lobular e infiltrado portal.Atividade periportal leve foi relevante nos grupos abstêmios e consumo alcoólico leve enquanto a atividade periportal intensa foi maior no consumo alcoólico acentuado (p=0,033). Quando comparamos os diferentes parâmetros histopatológicos, a idade mais avançada foi associada de modo significativo com fibrose (p=0,004), atividade periportal (p=0,001) e infiltrado portal intensos (p=0,001). Valores mais altos de índice de massa corpórea correlacionaram significativamente (p=0,013) com fibrose intensa enquanto maior tempo de ingestão alcoólica foi relacionado com atividade periportal intensa (p=0,001). Níveis de alanina aminotransferase foram maiores significativamente com intensas fibrose (p < 0,001), atividade periportal (p=0,031) e atividade lobular (p=0,013), enquanto níveis elevados de aspartato aminotransferase correlacionaram com fibrose (p < 0,001), atividade periportal (p < 0,001), atividade lobular (p=0,001) e infiltrado portal intensos (p < 0,018). Valores de gama-glutamiltransferase foram significativamente maiores com intensas fibrose (p=0,012), atividade periportal (p=0,013 e atividade lobular (p=0,003) e níveis mais altos de imunoglobulina G correlacionaram com intensas fibrose (p=0,040) e atividade lobular (p=0,048). A contagem de plaquetas foi significativamente menor quando comparada com intensas fibrose (p < 0,001) e atividade periportal (p=0,049). Análise de regressão logística identificou aspartato aminotransferase e contagem de plaquetas como fatores preditivos independentes de intensa fibrose. CONCLUSÕES: Nosso estudo mostrou correlação entre consumo de álcool e atividade periportal mas não com fibrose que está relacionada com idade, índice de massa corpórea, alanina aminotransferase, aspartato aminotransferase, gama-glutamiltransferase e menor contagem de plaquetas. Níveis de aspartato aminotransferase e contagem de plaquetas foram os melhores fatores preditivos de fibrose intensa
Título em inglês
Prognostic factors in evolution of chronic hepatitis C
Palavras-chave em inglês
BLOOD DONORS
CLINICAL EVOLUTION
HEPATITIS C CHRONIC/pathology
PREDICTIVE VALUE OF TESTS
PROGNOSIS
Resumo em inglês
INTRODUCTION: The interaction of hepatitis C with alcohol consumption is thought to be a deleterious one. Progression of liver disease in chronic hepatits C depends on several other factors related to the host, virus and the enviroment but, these factors are not well understood yet. AIMS:To analyze demographic, epidemiological, biochemical and histopathological data of patients with hepatitis C according to heavy, light or no alcohol consumption.To assess the behavior of clinical, epidemiological and biochemical variables in relation to absent or mild histopathological alterations in contrast to severe alterations. METHODS: We have studied the demographic, epidemiological and laboratory data and then compared them to the histopathological alterations in 120 volunteer blood donors with hepatitis C virus divided into three groups according to alcohol intake: abstainers: n=41, light drinkers: n=36 and heavy drinkers: n=43. Liver histopathology alterations, namely architectural staging, periportal and lobular inflammation as well as portal inflammatory infiltrate were graded from 0 to 4 and afterwards divided into light (0 to 2) and severe (3 to 4). RESULTS: Almost 70% (83/120) of the patients were men and a high proportion of men (83.5 %) were drinkers (light and heavy). Women, on the other hand were more likely to be abstainers: 58.5% of them did not drink. Transfusion as risk factor for HCV was more frequent in abstainers (p= 0.056) whereas drug addiction predominated in heavy drinkers (p < 0.001). Regarding these groups no differences were found when duration of alcohol intake, abstinence of alcohol, surgery, other contamination factors, ALT, AST, GGT, degree of fibrosis, lobular inflammation and portal infiltrate were consider.Regarding three groups, mild periportal inflammation was significantly related with abstainers and light drinkers groups whereas severe periportal inflammation was more predominant in heavy drinkers (p=0.033). When we compared mild with severe histopathological alterations older age was significantly associated with severe fibrosis (p=0.004), periportal inflammation (p=0.001) and portal inflammatory infiltrate (p=0.001). Higher BMI values correlated significantly (p=0.013) with severe fibrosis whereas higher duration of alcohol intake was related to severe periportal inflammation (p=0.001). ALT level was significantly higher in severe fibrosis (p < 0.001), periportal inflammation (p=0.031) and lobular inflammation (p=0.013), whereas higher levels of AST correlated with severe fibrosis (p < 0.001), periportal inflammation (p < 0.001), lobular inflammation (p=0.001) and portal inflammatory infiltrate (p=0.018) . GGT values were significantly higher in severe fibrosis (p=0.012), periportal inflammation(p=0.013) and lobular activity (p=0.003) and higher levels of IgG correlated with fibrosis (p=0.040) and lobular inflammation (p=0.048). In the end, platelets were significantly lower (p < 0.001) in severe fibrosis and periportal inflammation (p=0.049). Logistic regression analysis identified AST and platelet count as independent predictors of severe fibrosis.CONCLUSIONS: Our study has shown a correlation between alcohol consumption and periportal inflammation, but not with fibrosis, which is correlated with age, high enzymes levels and low platelet count. AST and platelet count were the best predictors of severe fibrosis
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2005-08-15
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.