• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.5.2007.tde-01082007-164024
Documento
Autor
Nome completo
Daniela Rosa Magalhães Gotardo
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2007
Orientador
Banca examinadora
Strauss, Edna (Presidente)
Alves, Venancio Avancini Ferreira
Bacchella, Telesforo
Kondo, Mario
Pugliese, Vincenzo
Título em português
Qualidade de vida e transplante hepático: avaliação comparativa em diferentes fases pré e pós cirurgia
Palavras-chave em português
Hepatitis C
Qualidade de vida
Questionários
Recidiva
Transplante de fígado/reabilitação
Resumo em português
O transplante de fígado é definido como a terapêutica de escolha para as doenças hepáticas em estágio terminal. Por muitos anos, o sucesso deste procedimento foi mensurado pelas taxas de mortalidade e a freqüência de complicações nas anastomoses biliares e complicações infecciosas. No entanto, mais recentemente um novo foco de preocupação voltou-se para a avaliação da qualidade de vida no grupo de pacientes transplantados. Os benefícios do transplante hepático sobre a qualidade de vida dos pacientes é um evento já demonstrado previamente em alguns estudos que utilizaram questionários genéricos de avaliação de qualidade de vida. A qualidade de vida em saúde também pode ser acessada através de questionários específicos, como o LDQOL (Liver Disease Quality of Life). Este é um instrumento voltado especificamente para sintomas relacionados às doenças hepáticas, desenvolvido nos Estados Unidos e recentemente traduzido para o Português e adaptado culturalmente para à população brasileira. Objetivo Aplicar este novo instrumento na população de pacientes em lista de espera de transplante de fígado e naqueles submetidos a transplante, reavaliando diferentes aspectos da qualidade de vida destes pacientes e avaliando o impacto da recidiva da doença de base após o transplante hepático. Método: Foram aplicados os questionários LDQOL e SF?36 a 126 pacientes em acompanhamento ambulatorial regular no Serviço de Transplante e Cirurgia do Fígado do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo, dos quais 65 eram pacientes cirróticos em lista de espera de transplante de fígado e 61 deles eram pacientes submetidos a transplante hepático há pelo menos 6 meses e no máximo há 60 meses. Também foi aplicado o questionário SF-36 a um grupo de doadores de sangue sadios, pareados por sexo e idade e que funcionou como grupo controle. As avaliações, realizadas a partir da formação destes 3 grupos, incluiram a comparação da qualidade de vida entre cirróticos e transplantados, a comparação entre indivíduos saudáveis e portadores de hepatopatia e a influência de outros aspectos como etiologia da doença hepática, escore do MELD, classificação de Child-Pugh, presença de co-morbidades, tempo decorrido do transplante e efeito da recidiva da doença hepática sobre a qualidade de vida do paciente transplantado. O método estatístico aplicado foi o teste de Mann- Whitney. Resultados: As pontuações atingidas para os pacientes em lista de transplante hepático para mensuração da qualidade de vida foram significantemente mais baixas do que aquelas atingidas pelo grupo controle. Na comparação entre cirróticos com MELD <= 15 e cirróticos com MELD > 15, tanto o SF-36 como o LDQOL mostraram pior qualidade de vida nos pacientes com MELD mais elevado. A comparação entre indivíduos antes e depois do transplante evidenciou melhor qualidade de vida no grupo de pacientes transplantados. Isto ficou evidenciado tanto pelo LDQOL como SF-36. No grupo de pacientes pré-transplante, o questionário LDQOL mostrou maior comprometimento da qualidade de vida naqueles pacientes com cirrose por VHC, quando comparado a outras etiologias, enquanto o SF-36 não teve a mesma acurácia em demonstrar esta diferença. Nos pacientes transplantados, a recidiva da hepatite C determina comprometimento da qualidade de vida, quando avaliados pelo LDQOL, mas não pelo SF-36. Conclusões: O uso de um instrumento de medida de qualidade de vida - o LDQOL - pôde demonstrar, com maior acurácia, o seu comprometimento nos pacientes cirróticos, a melhora observada nos pacientes transplantados e o impacto negativo da recidiva da hepatite C no pós-transplante.
Título em inglês
Quality of life and liver transplantation: evaluation in different stages before and after surgery
Palavras-chave em inglês
Hepatitis C
Liver transplantation/rehabilitation
Quality of life
Questionnaires
Recurrence
Resumo em inglês
Liver transplantation has been established as the standard treatment for patients with end stage liver disease and for many years the outcomes of its procedure has been measured as mortality rates and biliary and infectious complications. More recently a new issue has been raised and many studies have been changing the focus to analyze the health related quality of life among the population of transplanted patients. A positive effect of liver transplantation on health-related quality of life (HRQOL) has been documented in many studies using generic instruments. Health-related quality of life can also be assessed with specific instruments, as the Liver Disease Quality of Life(LDQOL), a questionnaire targeted to symptoms of hepatic disease, that has been recently translated to Portuguese and culturally adapted to Brazilian population. Our aim was to reevaluate different aspects of HRQOL before and after liver transplantation with this new instrument, and determinate the impact of liver disease recurrence after the surgical procedure. Methods: The LDQOL and SF-36 questionnaires were applied to 126 patients at the Service of Transplant and Liver Surgery of Clinical Hospital of University of São Paulo, 65 of them on the transplant waiting list and 61 of them after 6 to 60 months of liver transplantation. It was also analyzed the quality of life, by using the SF-36 questionnaire, of health blood donors, paired by sex and age, to serve as control group. Multiple comparisons were made concerning etiology of cirrhosis, co-morbidities, MELD scores, time elapsed of transplant, recurrence of liver disease after liver transplantation, using the Mann-Whitney test. Results: HRQOL scores for patients waiting for transplantation were significantly lower than those for the control group. Patients with MELD scores > 15 showed worse healthrelated quality of life than patients with MELD scores <= 15, both with SF-36 and LDQOL. When the group of transplanted patients was compared with patients before transplant, an improvement of HRQOL was found in the transplanted group with both SF-36 and LDQOL. Quality of life in pretransplant patients was found to be worse in those with cirrhosis due to hepatitis C than in those with cirrhosis due to other etiologies; the reduction in quality of life was found to be greater using LDQOL than using SF-36. Transplanted patients with recurrence of hepatitis C had worse HRQOL when measured with LDQOL, but not with SF-36. Conclusions: LDQOL, a specific instrument for measuring quality of life is more reliable than SF-36 in showing quality of life impairment. A deterioration in health-related quality of life after recurrence of hepatitis C could be observed with LDQOL.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
danielagotardo.pdf (4.42 Mbytes)
Data de Publicação
2007-08-22
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.