• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.5.2014.tde-25112014-150742
Documento
Autor
Nome completo
Patricia Arena Abramides
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2014
Orientador
Banca examinadora
Bittar, Roseli Saraiva Moreira (Presidente)
Ferraz, Jeanne Oiticica Ramalho
Grasel, Signe Schuster
Jorge Junior, Jose Jarjura
Lavinsky, Luiz
Título em português
Avaliação sequencial do equilíbrio pré e pós-implante coclear em pacientes com surdez pós-lingual
Palavras-chave em português
Doenças vestibulares
Eletronistagmografia
Implante doclear
Surdez pós-lingual
Vertigem
Resumo em português
INTRODUÇÃO: A literatura é discordante com relação à interferência do IC sobre o equilíbrio corporal. Sendo assim, resolvemos avaliar o equilíbrio corporal de pacientes surdos pós-linguais, submetidos a implante coclear unilateral. OBJETIVO: Observar o equilíbrio corporal pré e pós-implante coclear (IC) ao longo de 1 ano. CASUÍSTICA E METODOLOGIA: Estudo prospectivo observacional realizado com 24 pacientes adultos, surdos pós-linguais submetidos à avaliação vestibular antes e depois da cirurgia de implante coclear unilateral. A avaliação vestibular contou com um questionário sobre vertigem, prova calórica (PC), cadeira rotatória (CR) e posturografia dinâmica computadorizada (PDC) aplicados no pré-operatório, 60, 120, 180 dias e 1 ano após a cirurgia de IC. RESULTADOS: A tontura foi referida por 13 (54,2%) pacientes pré-IC, enquanto 11 (45.8%) não apresentaram a queixa. Ao final do estudo 11 sujeitos (84,6%) referiram melhora da tontura, em 1 (7,7%) permaneceu inalterada e em 1 (7,7%) piorou. Dos 24 pacientes apenas 5 indivíduos (20,8%) desenvolveram tontura no pós-operatório imediato com resolução completa após um mês. A prova calórica identificou 7 (29,2%) sujeitos normorreflexos, 8 (33,3%) com hiporreflexia ou arreflexia unilateral , 3 (12,5%) com hiporreflexia bilateral e 6 (25%) com arreflexia vestibular bilateral (AVB).Houve interferência do estímulo elétrico em ambas as orelhas e na evolução da recuperação postural após ativação do IC, que promoveu a melhora significativa dos índices da PDC ao longo de um ano de acompanhamento. Ao final do estudo, as médias numéricas das condições avaliadas pela PDC mostraram-se superiores nos indivíduos que apresentaram resposta à prova calórica em relação àqueles que possuíam AVB. CONCLUSÃO: Foi decisiva a presença ou não de resposta pós-calórica na evolução do equilíbrio corporal ao longo de 1 ano. A ausência de resposta pós-calórica na avaliação pré-operatória implicou em pior prognóstico na evolução do equilíbrio corporal. No entanto, o melhor desempenho postural dos sujeitos com AVB pode ser explicado pelo melhor aproveitamento da informação visual. É fundamental documentar a presença de função vestibular antes da cirurgia de IC, pois dela depende o prognóstico do individuo em relação às habilidades de aprendizado e recuperação postural ao longo do tempo
Título em inglês
Sequential study of vestibular function pre- and post cochlear implantation in postlingual deafened patients
Palavras-chave em inglês
Cochlear implant
Eletronystagmography
Postlingual deafness
Vertigo
Vestibular diseases
Resumo em inglês
INTRODUCTION: There is no consensus in the literature with regard to the effects of cochlear implantation (CI) on vestibular function and balance in patients with deafness. Because of this fact we decided to assess vestibular function before and after unilateral cochlear implantation (CI) in patients with postlingual deafness. OBJECTIVE: To assess balance before and after cochlear implantation (CI) over the course of 1 year. PATIENTS AND METHODS: prospective, observational study sought to assess balance in 24 postlingually deaf adults undergoing vestibular evaluation before and after cochlear implantation (CI). Vestibular assessment consisting of a vertigo questionnaire, caloric tests (CT), rotary chair testing (RC), and computerized dynamic posturography (CDP) was performed preoperatively and at 60, 120, 180 days and 1 year after CI. RESULTS: Overall, 13 patients (54.2%) reported preoperative dizziness and 11 (45.8%) did not have the symptom pre-CI. At the end of the study dizziness ameliorated in 11 (84.6%), remained unchanged in 1 (7.7%) and worsened in 1 (7.7%). Only 5 of the 24 patients (20.8%) developed immediate postoperative dizziness, which resolved within a month. The caloric tests identified 7 (29.2%) patients with normal reflexes, 8 (33.3%) with unilateral areflexia or hyporeflexia, 3 (12.5%) with bilateral hyporeflexia, and 6 (25%) with bilateral vestibular loss (BVL). Electrical stimulation affected both ears and interfered with the progression of postural recovery after CI activation, which led to a significant improvement in CDP values over the course of 1 year of follow-up. At the end of the study, the mean values of the conditions assessed by CDP were higher in individuals who had responded to caloric tests than in individuals with BVL. The better postural performance of subjects with BVL may be due to better use of visual information. CONCLUSION: The presence or absence of CT response was a decisive determinant of balance outcomes over the year after surgery. The absence of post-caloric response in preoperative assessment resulted in a worse prognosis in the evolution of body balance. However, patients with BVL were able to use the visual information for postural stabilization with improvement in the Composite Score. It is essential that vestibular assessment findings be documented before CI surgery because a patient's prognosis in terms of learning skills and postural recovery over time depends on this information
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2014-11-25
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2014. Todos os direitos reservados.