• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.5.2009.tde-16042009-122031
Documento
Autor
Nome completo
Adriana Rahal Rebouças de Carvalho
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2009
Orientador
Banca examinadora
Gomez, Maria Valeria Schmidt Goffi (Presidente)
Cattoni, Débora Martins
Francesco, Renata Cantisani di
Marchesan, Irene Queiroz
Tsuji, Robinson Koji
Título em português
Preferência mastigatória em pacientes com paralisia facial periférica flácida de duração igual ou superior a seis meses: estudo clínico e eletromiográfico
Palavras-chave em português
Eletromiografia
Mastigação
Músculo masseter
Músculos faciais
Paralisia facial
Resumo em português
Introdução: a paralisia facial periférica (PFP) é caracterizada por lesão geralmente unilateral do nervo facial em qualquer parte de seu trajeto. Na paralisia total há perda dos movimentos de todos os segmentos da hemiface ipsilateral à lesão. Clinicamente observa-se que a maioria dos pacientes com PFP em fase flácida apresenta dificuldade para mastigar do lado paralisado, pois a manutenção dos alimentos entre as arcadas dentárias está comprometida pela falta de participação do músculo bucinador. Aliada a isso pode ocorrer incompetência labial devido à flacidez da hemiface afetada em conseqüência à queda da comissura labial ipsilateral. Objetivo: verificar as conseqüências da PFP unilateral na fase flácida, com duração de pelo menos seis meses, na função mastigatória quanto a preferência clínica mastigatória e diferença eletromiográfica entre os masseteres.Casuística e Método: foram selecionados 27 indivíduos de ambos os gêneros, com PFP em fase flácida com pelo menos seis meses de paralisia, com idade entre 16 anos e 67 anos, com dentição natural permanente, selecionados por um protocolo específico, complementado com exame clínico miofuncional e avaliação eletromiográfica de superfície nos músculos masseteres nas provas de aperto dentário e mastigação habitual. Resultados: de acordo com as respostas da anamnese, 77,8% dos pacientes referiram mastigar preferencialmente do lado sadio. Clinicamente, 70% apresentaram preferência mastigatória. A atividade muscular dos bucinadores e orbicular da boca foi estatisticamente significante (p = 0,025) entre os lados sadio e paralisado. Apenas, 22,2% dos pacientes apresentou diminuição de massa do masseter do lado paralisado. Não houve diferença eletromiográfica estatisticamente significante entre os lados sadio e paralisado nos masseteres. Conclusão: no presente estudo, pacientes com PFP unilateral na fase flácida, com duração de pelo menos seis meses, apresentaram preferência clínica mastigatória pelo lado sadio. Não houve diferença clínica e eletromiográfica entre os lados paralisado e sadio nos músculos masseteres
Título em inglês
Clinical and electromyographic study of lateral preference in mastication in patients with long-standing peripheral facial paralysis
Palavras-chave em inglês
Electromyography
Facial muscles
Facial paralysis
Masseter muscle
Mastication
Resumo em inglês
Introduction: peripheral facial paralysis (PFP) usually affects the facial nerve in part or in whole on one side of the face. Most patients with PFP find it difficult to chew on the paralyzed side, especially due to compromised buccinator function. In addition, the sagging of the ipsilateral lip commissure tends to compromise lip competence. In spite of the importance of these associations, the literature on mastication difficulties in PFP patients is scarce, perhaps because the facial nerve has conventionally been considered to be responsible primarily for facial expression. Objective: to evaluate the impact of long-standing peripheral facial nerve paralysis upon mastication, regarding to clinical mastication preference besides clinical and electromyographic activity of the masseters. Method: the study included 27 male and female subjects aged 1669 years with permanent natural dentition and long-standing PFP. Patients answered questions on their mastication habits before and after onset of PFP and were submitted to clinical myofunctional examination and electromyographical tests of the masseters during clenching and habitual mastication. Results: according to the anamnesis, 77.8% claimed to prefer chewing on the unaffected side. Clinically, 70% presented a lateral preference in mastication. In the clinical evaluation, the buccinators and orbicularis oris activity differed significantly (p = 0.025) between the healthy and the paralyzed side. Only 22.2% of the patients presented increased thickness of the contralateral masseters. No statistical significant electromyographic difference was observed between the affected and unaffected masseters. Conclusion: in general, subjects with flaccid-stage PFP for 6 months or longer preferred to masticate on the unaffected side. No significant clinical or electromyographic differences were found between the affected and unaffected side masseter in this patient population
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Adrianarrcarvalho.pdf (1.47 Mbytes)
Data de Publicação
2009-04-28
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.