• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.5.2015.tde-19052015-153502
Documento
Autor
Nome completo
Ana Paula Ferreira Maia
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2015
Orientador
Banca examinadora
Pang, Wang Yuan (Presidente)
Rocca, Cristiana Castanho de Almeida
Caetano, Sheila Cavalcante
Manitto, Alicia Matijasevich
Título em português
Manifestações psicopatológicas do transtorno bipolar com início na infância e na adolescência
Palavras-chave em português
Adolescente
Criança
Diagnóstico
Psicopatologia
Serviços de saúde mental
Transtorno bipolar
Resumo em português
O presente estudo descreveu as manifestações psicopatológicas do transtorno bipolar de início precoce, através da avaliação clínica de uma amostra de pacientes provenientes de um programa terciário de atendimento aos transtornos do humor. Os objetivos do estudo foram: (1) determinar o fluxo de atendimentos dos pacientes no programa, por meio do registro eletrônico dos casos ingressos, no período de janeiro de 2003 a dezembro de 2012; e, para a amostra final de pacientes bipolares (2) descrever as variáveis demográficas e antecedentes familiares de transtornos mentais; (3) estabelecer o intervalo de tempo entre os primeiros sintomas psicopatológicos e a procura por atendimento no programa; (4) investigar a frequência das comorbidades psiquiátricas e das comorbidades médicas gerais; (5) estimar a distribuição dos sintomas depressivos e maniformes e dos tipos clínicos de transtorno bipolar. A amostra inicial foi de 814 sujeitos, com idade entre 02 e 17 anos, encaminhados de serviços públicos e privados, agendados consecutivamente para a triagem. Os sujeitos elegíveis para a avaliação completa apresentaram um dos seguintes critérios diagnósticos: (a) diagnóstico provisório de transtornos do humor; ou (b) outros transtornos mentais mais a presença de oscilações do humor. Na avaliação completa, todas as informações coletadas foram avaliadas pela equipe do programa e o diagnóstico inicial foi realizado pelo método de melhor estimativa com base nos critérios do DSM-IV. No seguimento longitudinal, os pacientes foram atendidos mensalmente para tratamento clínico e confirmação diagnóstica. Nos resultados, a maioria dos 814 sujeitos era do sexo masculino (60%), brancos (83,5%) e com média de idade de 12,3 ± 3,8 anos, na triagem. Cerca de um terço do total de sujeitos não foi elegível para o programa. Dos pacientes restantes, após seguimento de 1,7 ± 1,7 anos, foi possível diagnosticar um terço deles como bipolar enquanto o último terço não preencheu os critérios para qualquer tipo de transtorno bipolar. Entre os pacientes que mudaram o diagnóstico inicial, durante o seguimento, menos de 10% eram falso positivos (diagnóstico bipolar para não bipolar) e cerca de 25% eram falso negativos (diagnóstico não bipolar para bipolar). 181 pacientes compuseram a amostra final de pacientes bipolares. 64,6% era bipolar tipo I, um em quatro tinha ao menos um dos pais bipolares ou deprimidos, 82,3% já haviam apresentado ao menos um episódio de depressão e 18,8% tinham pelo menos uma tentativa de suicídio. A média de tempo entre os primeiros sintomas psicopatológicos até o primeiro contato no programa foi de 4 anos. 50,5% tiveram o primeiro episódio do humor em idade escolar, sendo o tipo depressivo o mais frequente (47%). Dentre os pacientes que tiveram como primeiro episódio do humor os tipos depressivo, misto ou inespecífico, o intervalo de tempo para apresentar o primeiro episódio maniforme foi de 1 a 2 anos. As comorbidades psiquiátricas e médicas gerais ocorreram em, no mínimo, metade da amostra. Os pacientes foram altamente sintomáticos. Em relação aos sintomas depressivos, a grande maioria (>= 70%) apresentou tristeza, irritabilidade, ideias mórbidas, lentificação psicomotora, alterações da fala e do sono. Quanto aos sintomas maniformes, os sintomas mais frequentes (>= 70%) foram agitação psicomotora, explosão de raiva, aumento de energia, irritabilidade, euforia, distratibilidade, aceleração dos pensamentos, grandiosidade, logorréia e alterações do sono. Desse modo, o estudo mostra a importância do seguimento longitudinal não apenas das crianças e adolescentes, inicialmente diagnosticados como bipolares, mas também daqueles com oscilações do humor. A descrição de uma amostra de pacientes bipolares fora dos Estados Unidos pode ampliar as discussões atuais sobre as manifestações clínicas do transtorno bipolar de início precoce e incentivar a realização de trabalhos semelhantes em outros países
Título em inglês
Psychopathological manifestations of bipolar disorder with onset in childhood and adolescence
Palavras-chave em inglês
Adolescent
Bipolar disorder
Child
Diagnosis
Mental health services
Psychopathology
Resumo em inglês
This study described the psychopathological manifestations of early onset bipolar disorder, using clinical assessment of a sample of patients from a tertiary care program for mood disorders. The study's objectives were: (1) to determine, based on electronic records of cases treated between January 2003 and December 2012, the flow of care of patients included in the program, from first contact to final diagnosis; and the final sample of bipolar patients (2) to describe demographic variables and family history of patients with psychiatric disorders; (3) to establish the time interval between the first psychopathological symptoms and the search for care in the program; (4) to investigate the frequency of psychiatric comorbidities and general medical comorbidities; (5) to estimate the distribution of depressive and manic symptoms and the clinical types of bipolar disorder. The initial sample included 814 subjects, aged 2-17 years, referred from public and private services, and scheduled consecutively for screening. Subjects eligible for complete evaluation showed one of the following diagnostic criteria: (a) provisional diagnosis of mood disorders; or (b) other mental disorders, plus the presence of mood disturbances. As part of a full evaluation, the program team analyzed the data, and an initial diagnosis was made according to the best-estimate method based on DSM-IV criteria. In the longitudinal follow-up, patients were seen monthly for clinical treatment and diagnostic confirmation. During screening, most of the 814 subjects were male (60%), white (83.5%), and had a mean age of 12.3 ± 3.8 years. About a third of the subjects were not eligible for the program. Of the remaining patients, after a mean follow-up of 1.7 ± 1.7 years, it was possible to diagnose a third of the sample as bipolar while the last third did not meet the criteria for any type of bipolar disorder. Among the patients who changed the initial diagnosis at follow-up, less than 10% were false positive (diagnosis changed from bipolar to not bipolar) and approximately 25% were false negative (diagnosis changed from not bipolar to bipolar). 181 patients comprised the final sample of bipolar patients. 64.6% were bipolar type I, one in four had at least one bipolar or depressed parent, 82.3% had already presented at least one episode of depression, and 18.8% had attempted suicide. The average time between the first psychopathological symptoms and the first referral to the program was 4 years. 50.5% had their first mood episode while in school age, more often of depressive type (47%). Patients, who had their first mood episode of depressive, mixed or non-specific types, presented their first manic episode 1-2 years after. General medical and psychiatric comorbidities occurred in at least half of the sample. Patients were highly symptomatic. In regard to depressive symptoms, the vast majority (>= 70%) had sadness, irritability, morbid ideas, psychomotor retardation, speech and sleep disorders. As for manic symptoms, the most common symptoms (>= 70%) were psychomotor agitation, outburst of anger, increased energy, irritability, euphoria, distractibility, racing thoughts, grandiosity, logorrhea and sleep disturbances. Thus, the study shows the importance of longitudinal follow-up not only of children and adolescents initially diagnosed as bipolar, but also of those with mood disturbances. The description of a sample of bipolar patients outside the United States may extend the current discussions about the clinical manifestations of early onset bipolar disorder and encourage the pursuit of similar studies in other countries
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2015-05-20
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.