• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
Documento
Autor
Nome completo
Sharon Sanz Simon
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2017
Orientador
Banca examinadora
Busatto Filho, Geraldo (Presidente)
Serafim, Antonio de Padua
Alves, Tania Corrêa de Toledo Ferraz
Caramelli, Paulo
Miotto, Eliane Correa
Título em português
Treino de estratégia de memória para associação de faces e nomes no comprometimento cognitivo leve amnéstico: desfecho em medidas cognitivas e ressonância magnética funcional
Palavras-chave em português
Comprometimento cognitivo leve
Doença de Alzheimer
Imagem por ressonância magnética
Memória episódica
Neuroimagem
Neuropsicologia
Reabilitação cognitiva
Resumo em português
INTRODUÇÃO: O Comprometimento Cognitivo Leve amnéstico (CCL-A) frequentemente representa a zona de transição entre o envelhecimento saudável e a demência, sendo considerado um problema de saúde pública, sobretudo devido ao crescimento da população idosa. Assim, é crucial o desenvolvimento de tratamentos eficazes que possam minimizar os déficits cognitivos presentes, tal como o treino de estratégia de memória (TEM). Destaca-se o TEM com foco na associação entre faces e nomes, alvo relevante, uma vez que esquecer nomes é uma queixa frequente em idosos com CCL-A. Entretanto, até o momento há pouca evidência quanto à eficácia dessa modalidade de intervenção a essa população, assim como à generalização dos possíveis efeitos, e o correlato neural subjacente. OBJETIVO: Investigar a eficácia do TEM com foco na associação face-nome e o correlato neural através da ressonância magnética funcional (RMf), em comparação a um grupo controle ativo (Psicoeducação - PED), em idosos com CCL-A. MÉTODOS: Trinta idosos com CCL-A foram randomizados em dois grupos: Grupo Experimental (GE, N=15), submetido ao TEM, e o Grupo Controle (GC, N=15), submetido a PED. Em cada programa, os participantes completaram quatro sessões de uma hora cada, duas vezes por semana. Os participantes foram avaliados nos momentos pré e pós intervenção, através de testes neuropsicológicos, tarefas de associação face-nome, escalas de humor e metamemória, além de uma tarefa na RMf. Ademais, no momento préintervenção, os participantes realizaram a coleta do líquido cefalorraquidiano; e, após a intervenção, responderam a um questionário de avaliação dos programas. A fim de investigar a manutenção dos efeitos ao longo do tempo, os voluntários foram reavaliados após um mês e após três meses. RESULTADOS: Não houve diferenças significativas entre ambos os grupos quanto ao perfil clínico, neuropsicológico e biomarcadores liquóricos. Quanto às mudanças após as intervenções, o GE apresentou melhor desempenho que o GC na tarefa de associação face-nome para o material treinado, o que generalizou em parte para o material não-treinado, com benefícios persistindo após três meses. No que se refere à generalização para as medidas neuropsicológicas, o GE exibiu melhora em teste de memória visual, porém não houve mudanças em testes de memória verbal e de atenção após ambos os programas. Além disto, em relação ao GC, o GE reportou uso mais frequente de estratégia associativa, e menor frequência de falhas de memória no cotidiano. Após os programas, ambos os grupos reportaram sentimentos mais positivos quanto à própria memória e avaliaram positivamente as intervenções. Ademais, não foram observadas mudanças em sintomas de depressão e ansiedade após os programas. Os achados de neuroimagem indicam que após as intervenções o GE mostrou maior ativação cerebral que o GC em regiões parietais (pré-cuneo, cíngulo posterior e giro angular bilaterais) e frontais (giro frontal medial à esquerda, giros frontal médio e pré-central à direita) ao codificarem o material treinado. Quanto ao material não-treinado, o GE mostrou maior ativação cebrebral que o GC em região anterior temporal (sulco temporal superior, giro temporal superior e médio). CONCLUSÃO: Os benefícios do TEM são observáveis tanto nos estímulos treinados, como transferem, em parte, para estímulos não-treinados e testes neuropsicológicos padronizados. Além disto, após o TEM, houve aumento no uso de estratégias associativas e ganhos de metamemória. Embora o GE tenha reportado menos falhas de memória que o GC, este aspecto não parece associado ao humor, uma vez que não ocorreram mudanças em sintomas de depressão e ansiedade após os programas. Os dados de neuroimagem corroboram os achados comportamentais sugerindo que o cérebro de idosos com CCL-A permanece altamente plástico. O GE mostrou maior aumento de ativação cerebral que o GC em regiões consistentes com as estratégias treinadas, envolvendo recursos atencionais, memória episódica, semântica e subjetiva, imageria mental, pensamento associativo, processamento de faces e cognição social
Título em inglês
Memory strategy training for face name associations in the amnestic mild cognitive impairment: cognitive and magnetic ressonance imaging outcomes
Palavras-chave em inglês
Alzheimer's disease, Neuropsychology
Cognitive rehabilitation
Episodic memory
Mild cognitive impairment
Neuroimaging, Magnetic resonanse imaging
Resumo em inglês
INTRODUCTION: Amnestic mild cognitive impairment (A-MCI) often represents the transitional stage between healthy aging and dementia, and has been considered a public health matter due to the growth of elderly population. Thus, it is critical to develop effective treatments that can minimize the cognitive deficits, such as mnemonic strategy training (MST). We highlight the MST focused on face-name associations, a relevant target since forgetting names is a frequent complaint in elders with MCI. However, at the moment there is little evidence of the efficacy of this modality of MST to this population, as well as, its transfer effects and underlying neural correlate. OBJECTIVE: Investigate the efficacy of MST focused on face-name associations, and the underlying neural correlate, in comparison with an active control group (Psychoeducation - PED) in elders with A-MCI. METOHDS: Thirty elders with A-MCI were randomized in two groups: Experimental Group (EG, N=15), underwent to MST, and the Control Group (CG, N=15), underwent to PED. In each program, the participants completed four individual one-hour sessions, twice a week. The participants were assessed at pre and post intervention through neuropsychological tests, face-name association tasks, mood and metamemory scales, beside a fMRI task. Moreover, at pre-intervention, the participants performed the cerebral spinal fluid (CSF) puncture; and at post-intervention, answered a questionnaire to evaluate the programs. In order to investigate the maintenance of the effects over the time, the volunteers were reassessed after 1 and 3-months. RESULTS: There was no significant differente between groups regarding the clinical and neuropsychological profiles, as well as, the CSF biomarkers. With respect to the changes after intervention, the EG showed a better performance than CG in the face-name association task to the trained material, and transfered, in part, to the untrained material, with the benefits persisting after three months. Regarding the transfer effects to the neuropsychological measures, the EG exhibited an improvement in the visual memory test, however no changes were observed in the verbal memory and attention tests after both programs. In comparison to CG, the EG reported a more frequent use of associative strategy, and less frequent memory mistakes. After the programs, both groups reported more positive feelings regarding their own memory and evaluated positively the interventions. In addition, there was no change in depression and anxiety symptoms after the programs. The neuroimaging findings indicate that after the interventions the EG showed greater cerebral activation than CG in parietal (bilateral precuneus, posterior cingulare and angular gyru), and frontal regions (left medial frontal gyru, right precentral and middle frontal gyrus), when enconding the trained material. For the untrained material, the EG showed greater brain activation than CG in an anterior temporal region (superior temporal sulcus, superior and middle temporal gyru). CONCLUSION: The MST benefits were observed in the trained and transfer, in part, to the untrained stimuli and neuropsychological tests Moreover, after the MST, there was an increase of associative strategy use and gains in metamemory. Despite the EG has been reported less memory mistakes than the CG, this aspect does not seem related to mood, since there was no changes in depression and anxiety symptoms after the programs. The neuroimaging data corroborate the behavioral findings suggesting that the brain of elders with a-MCI remains highly plastic. The EG showed greater increase of brain activation than the CG in regions consistent with the training, involving attentional resourses, episodic, semântic and subjective memory, mental imagery, associative thinking, face processing and social cognition
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2017-09-12
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2014. Todos os direitos reservados.